sábado, 26 de fevereiro de 2011

O Conhecimento como Problema Filosófico (Teoria do Conhecimento)


Os filósofos modernos e a teoria do conhecimento

Quando se diz que a teoria do conhecimento tornou-se uma disciplina específica da Filosofia somente com os filósofos modernos (a partir do século XVII) não se pretende dizer que antes deles o problema do conhecimento não havia ocupado outros filósofos, e sim que, para os modernos, a questão do conhecimento foi considerada anterior à da ontologia e pré-condição ou pré-requisito para a Filosofia e as ciências.
Por que essa mudança de perspectiva dos gregos para os modernos? Porque entre eles instala-se o cristianismo, trazendo problemas que os antigos filósofos desconheciam. A perspectiva cristã introduziu algumas distinções que romperam com a idéiagrega de uma participação di reta e harmoniosa entre o nosso intelecto e a verdade, nosso ser e o mundo. O cristianismo fez distinção entre fé e razão, verdades reveladas e  verdades racionais, matéria e espírito, corpo e alma; afirmou que o erro e a ilusão são parte da natureza humana em decorrência do caráter pervertido de nossa vontade, após o pecado original. Em conseqüência, a Filosofia precisou enfrentar três problemas novos:
1. Como, sendo seres decaídos e pervertidos, podemos conhecer a verdade?
2. Sendo nossa natureza dupla (matéria e espírito), como nossa inteligência pode conhecer o que é diferente dela? Isto é, como seres corporais podem conhecer o incorporal (Deus)  e como seres dotados de alma incorpórea podem conhecer o corpóreo (mundo)?
3. Os filósofos antigos consideravam que éramos entes participantes de todas as formas de realidade: por nosso corpo, participamos da Natureza; por nossa alma, participamos da Inteligência divina. O cristianismo, ao introduzir a noção de pecado original, introduziu a separação radical entre os humanos (pervertidos e finitos) e a divindade (perfeita e infinita). Com isso, fez surgir a pergunta: como o finito (humano) pode conhecer a verdade (infinita e divina)?
Eis porque, durante toda a Idade Média, a fé tornou-se central para a Filosofia, pois era através dela que essas perguntas eram respondidas. Auxiliada pela graça divina, a fé iluminava nosso intelecto e guiava nossa vontade, permitindo à nossa razão o conhecimento do que está ao seu alcance, ao mesmo tempo em que nossaalma recebia os mistérios da revelação. A fé nos fazia saber (mesmo que não pudéssemos compreender como isso era possível) que, pela vontade soberana de Deus, era concedido à nossa alma imaterial conhecer as coisas materiais.
Os filósofos modernos, porém, não aceitaram essas respostas e por esse motivo a questão do conhecimento tornou-se central para eles. Os gregos se surpreendiam que pudesse haver erro, ilusão e mentira. Como a verdade – aletheia – era concebida como presença e manifestação do verdadeiro aos nossos sentidos ou ao nosso intelecto, isto é, como presença do Ser à nossa experiência sensível ou ao puro pensamento, a pergunta filosófica só podia ser: Como é possível o erro ou a ilusão? Ou seja, como é possível ver o que não é, dizer o que não é, pensar o que não é?
Para os modernos, a situação é exatamente contrária. Se a verdade depende da revelação e da vontade divinas, e se nosso intelecto foi pervertido pela nossa vontade pecadora, como podemos conhecer a verdade? Se a verdade depender da fé e se depender da fraqueza da nossa vontade, como nossa razão poderá conhecê-la? O cristianismo, particularmente com santo Agostinho, trouxe a idéia de que cada ser humano é uma  pessoa. Essa idéia vem do Direito Romano, que define a pessoa como um sujeito de direitos e de deveres. Se somos pessoas, somos responsáveis por nossos atos e pensamentos. Nossa pessoa é nossa  consciência, que é nossa alma dotada de vontade, imaginação, memória e inteligência.
A vontade é livre e, aprisionada num corpo passional e fraco, pode mergulhar nossa alma na ilusão e no erro. Estar no erro ou na verdade dependerá, portanto, de nós mesmos e por isso precisamos saber se podemos ou não conhecer a verdade e em que condições tal conhecimento é possível. Os primeiros filósofos cristãos e os medievais afirmavam que podemos conhecer a verdade, desde que a razão não contradiga a fé e se submeta a ela no tocante às verdades últimas e principais.
A primeira tarefa que os modernos se deram foi a de separar fé de razão, considerando cada uma delas destinada a conhecimentos diferentes e sem qualquer relação entre si. A segunda tarefa foi a de explicar como a alma-consciência, embora diferente dos corpos, pode conhecê-los. Consideraram que a alma pode conhecer os corpos porque os representa intelectualmente por meio das idéias e estas são imateriais como a própria alma. A terceira tarefa foi a de explicar como a razão e o pensamento podem tornar-se mais fortes do que a vontade e controlá-la para que evite o erro.
O problema do conhecimento torna-se, portanto, crucial e a Filosofia precisa começar pelo exame da capacidade humana de conhecer, pelo entendimento ou sujeito do conhecimento. A teoria do conhecimento volta-se para a relação entre o pensamento e as coisas, a consciência (interior) e a realidade (exterior), o entendimento e a realidade; em suma, o sujeito e o objeto do conhecimento.
Os dois filósofos que iniciam o exame da capacidade humana para o erro e a verdade são o inglês Francis Bacon e o francês René Descartes. O filósofo que propõe, pela primeira vez, uma teoria do conhecimento propriamente dita é o inglês John Locke. A partir do século XVII, portanto, a teoria do conhecimento torna-se uma disciplina central da Filosofia.

Bacon e Descartes 

Os gregos indagavam: como o erro é possível? Os modernos perguntaram: como a verdade é possível? Para os gregos, a verdade era  aletheia, para os modernos, veritas. Em outras palavras, para os modernos trata-se de compreender e explicar como os relatos mentais  – nossas idéias  – correspondem ao que se passa verdadeiramente na realidade. Apesar dessas diferenças, os filósofos retomaram o modo de trabalhar filosoficamente proposto por Sócrates, Platão e Aristóteles, qual seja, começar pelo exame das opiniões contrárias e ilusórias para ultrapassá - las em direção à verdade.
Antes de abordar o conhecimento verdadeiro, Bacon e Descartes examinaram exaustivamente as causas e as formas do erro, inaugurando um estilo filosófico que permanecerá na Filosofia, isto é, a análise dos preconceitos e do senso comum.
Bacon elaborou uma teoria conhecida como a crítica dos ídolos (a palavra  ídolo vem do grego  eidolon e significa imagem). Descartes, como já mencionamos, elaborou um método de análise conhecido como dúvida metódica. De acordo com Bacon, existem quatro tipos de ídolos ou de imagens que formam opiniões cristalizadas e preconceitos, que impedem o conhecimento da verdade:
1. ídolos da caverna: as opiniões que se formam em nós por erros e defeitos de nossos órgãos dos sentidos. São os mais fáceis de corrigir por nosso intelecto; 2. ídolos do fórum: são as opiniões que se formam em nós como conseqüência da linguagem e de nossas relações com os outros. São difíceis de vencer, mas o intelecto tem poder sobre eles; 3. ídolos do teatro: são as opiniões formadas em nós em decorrência dos poderes das autoridades que nos impõem seus pontos de vista e os transformam em decretos e leis inquestionáveis. Só podem ser refeitos se houver uma mudança social e política; 4.  ídolos da tribo: são as opiniões que se formam em nós em decorrência de nossa natureza humana; esses ídolos são próprios da espécie humana e só podem ser vencidos se houver uma reforma da própria natureza humana. Bacon inaugurou o método da indução enquanto Descartes o da dedução. Segundo o método da indução, para se chegar ao conhecimento verdadeiro deve se partir do particular, dos fenômenos individuais para observando-se a frequência com que eles ocorrem criar a teoria. Já Descartes fazia o inverso, ou seja, ia de uma ideia universal em direção aos fenômenos individuais, método conhecido como dedução.
Bacon acreditava que o avanço dos conhecimentos e das técnicas, as mudanças sociais e políticas e o desenvolvimento das ciências e da Filosofia propiciariam uma grande reforma do conhecimento humano, que seria também uma grande reforma na vida humana. Tanto assim  que, ao lado de suas obras filosóficas, escreveu uma obra filosófico-política, a Nova Atlântida, na qual descreve e narra uma sociedade ideal e perfeita, nascida do conhecimento verdadeiro e do desenvolvimento das técnicas.
Descartes localizava a origem do erro em duas atitudes que chamou de atitudes infantis:
1. a  prevenção, que é a facilidade com que nosso espírito se deixa levar pelas opiniões e idéias alheias, sem se preocupar em verificar se são ou não verdadeiras. São as opiniões que se cristalizam em nós sob a forma de preconceitos (colocados em nós por pais, professores, livros, autoridades) e que escravizam nosso pensamento, impedindo-nos de pensar e de investigar;
2. a  precipitação, que é a facilidade e a velocidade com que nossa vontade nos faz emitir juízos sobre as coisas antes de verificarmos se nossas idéias são ou não são verdadeiras. São opiniões que emitimos em conseqüência de nossa vontade ser mais forte e poderosa do que nosso intelecto. Originam-se no conhecimento sensível, na imaginação,  na linguagem e na memória.
Como Bacon, Descartes também está convencido de que é possível vencer esses efeitos, graças a uma reforma do entendimento e das ciências. (Descartes não pensa na necessidade de mudanças sociais e políticas, diferindo de Bacon nesse aspecto.) Essa reforma pode ser feita pelo sujeito do conhecimento, se este decidir e deliberar pela necessidade de encontrar fundamentos seguros para o saber. Para isso Descartes criou um procedimento, a dúvida metódica, pela qual o sujeito do conhecimento, analisando cada um de seus conhecimentos, conhece e avalia as fontes e as causas de cada um, a forma e o conteúdo de cada um, a falsidade e a verdade de cada um e encontra meios para livrar-se de tudo quanto seja duvidoso perante o pensamento. Ao mesmo tempo, o pensamento oferece ao espírito um conjunto de  regras que deverão ser obedecidas para que um conhecimento seja considerado verdadeiro.
Para Descartes, o conhecimento sensível (isto é, sensação, percepção, imaginação, memória e linguagem) é a causa do erro e deve ser afastado. O conhecimento verdadeiro é puramente intelectual, parte das idéias inatas e controla (por meio de regras) as investigações filosóficas, científicas e técnicas.
 
Locke

Locke é o iniciador da teoria do conhecimento propriamente dita porque se propõe a analisar cada uma das formas de conhecimento que possuímos, a origem de nossas idéias e nossos discursos, a finalidade das teorias e as capacidades do sujeito cognoscente relacionadas com os objetos que ele pode conhecer. Seguindo a trilha que fora aberta por Aristóteles, Locke também distingue graus de conhecimento, começando pelas sensações até chegar ao pensamento.
Comparemos o que escreveu Aristóteles, no início da Metafísica, e o que afirmou Locke, no início do Ensaio sobre o entendimento humano.
Aristóteles escreveu:
Todos os homens têm, por natureza, o desejo de conhecer. O prazer causado pelas sensações é a prova disso, pois, mesmo fora de qualquer utilidade, as sensações nos agradam por si mesmas e, mais do que todas as outras, as sensações visuais.
Locke afirmou:
Visto que o entendimento situa o homem acima dos outros seres sensíveis e dá-lhe toda vantagem e todo domínio que tem sobre eles, seu estudo consiste certamente num tópico que, por sua nobreza, é merecedor de nosso trabalho de investigá-lo. O entendimento, como o olho, que nos faz ver e perceber todas as outras coisas, não se observa a si mesmo; requer arte e esforço situá-lo à distância e fazê-lo seu próprio objeto.
Assim como Aristóteles diferia de Platão, Locke difere de Descartes. Platão e Descartes afastam a experiência sensível ou o conhecimento sensível do conhecimento verdadeiro, que é puramente intelectual. Aristóteles e Locke consideram que o conhecimento se realiza por graus contínuos, partindo da sensação até chegar às idéias.
Essa diferença de perspectiva estabelece as duas grandes orientações da teoria do conhecimento, conhecidas como racionalismo e empirismo.
Para o racionalismo, a fonte do conhecimento verdadeiro é a razão operando por si mesma, sem  o auxílio da experiência sensível e controlando a própriaexperiência sensível. Para o empirismo, a fonte de todo e qualquer conhecimento é a experiência sensível, responsável pelas idéias da razão e controlando o trabalho da própria razão.
Essas diferenças, porém, não impedem que haja um elemento comum a todos os filósofos a partir da modernidade, qual seja, tomar o entendimento humano como objeto da investigação filosófica. Tornar o entendimento objeto para si próprio, tornar o sujeito do conhecimento objeto de conhecimento para si mesmo é a grande tarefa que a modernidade filosófica inaugura, ao desenvolver a teoria do conhecimento. Como se trata da volta do conhecimento sobre si mesmo para conhecer-se, ou do sujeito do conhecimento colocando-se como objeto para si mesmo, a teoria do conhecimento é a reflexão filosófica.

A consciência: o eu, a pessoa, o cidadão e o sujeito
A teoria do conhecimento no seu todo realiza-se como reflexão do entendimento e baseia-se num pressuposto fundamental: o de que somos seres racionais conscientes.

O que se entende por consciência?
A capacidade humana para conhecer, para saber que conhece e para saber o que sabe que conhece. A consciência é um conhecimento (das coisas e de si) e um conhecimento desse conhecimento (reflexão).
Do ponto de vista psicológico, a consciência é o sentimento de nossa própria identidade: é o eu, um fluxo temporal de estados corporais e mentais, que retém o passado na memória, percebe o presente pela atenção e espera o futuro pela imaginação e pelo pensamento. O  eu é o centro ou a unidade de todos esses estados psíquicos.
A consciência psicológica ou o  eu é formada por nossas  vivências, isto é, pela maneira como sentimos e compreendemos o que se passa em nosso corpo e no mundo que nos rodeia, assim como o que se passa em nosso interior. É a maneira individual e própria com que cada um de nós percebe, imagina, lembra, opina, deseja, age, ama e odeia, sente prazer e dor, toma posição diante das coisas e dos outros, decide, sente-se feliz ou infeliz.
Do ponto de vista ético e moral, a consciência é a espontaneidade livre e racional, para escolher, deliberar e agir conforme à liberdade, aos direitos alheios e ao dever. É a  pessoa, dotada de vontade livre e de responsabilidade. É a capacidade para compreender e interpretar sua situação e sua condição (física, mental, social, cultural, histórica), viver na companhia dos outros segundo as normas e os valores morais definidos por sua sociedade, agir tendo em vista fins escolhidos por deliberação e decisão, realizar as virtudes e, quando necessário, contrapor-se e opor-se aos valores estabelecidos em nome de outros, considerados mais adequados à liberdade e à responsabilidade.
Do ponto de vista político, a consciência é o  cidadão, isto é, tanto o indivíduo situado  no tecido das relações sociais, como portador de direitos e deveres,  relacionando-se com a esfera pública do poder e das leis, quanto o membro de uma classe social, definido por sua situação e posição nessa classe, portador e defensor de interesses específicos de seu grupo ou de sua classe, relacionando-se
com a esfera pública do poder e das leis.
A consciência moral (a pessoa) e a consciência política (o cidadão) formam-se pelas relações entre as vivências do  eu e os valores e as instituições de sua sociedade ou de sua cultura. São as maneiras pelas quais nos relacionamos com os outros por meio de comportamentos e de práticas determinados pelos códigos morais (que definem deveres, obrigações, virtudes) e políticos (que definem direitos, deveres e instituições coletivas públicas), a partir do modo como uma cultura e uma sociedade determinadas definem o bem e o mal, o justo e o injusto, o legítimo e o ilegítimo, o legal e o ilegal, o privado e o público. O  eu é uma vivência e uma experiência que se realiza por comportamentos; a  pessoa e o cidadão são a consciência como agente (moral e político), como práxis.
Do ponto de vista da teoria do conhecimento, a consciência é uma atividade sensível e intelectual dotada do poder de análise, síntese e representação. É o sujeito. Reconhece-se como diferente dos objetos, cria e descobre significações, institui sentidos, elabora conceitos, idéias, juízos e teorias. É dotado de capacidade para conhecer-se a si mesmo no ato do conhecimento, ou seja, é capaz de reflexão. É saber de si e saber sobre o mundo, manifestando-se como sujeito percebedor, imaginante, memorioso, falante e pensante. É o entendimento propriamente dito.
A consciência reflexiva ou o sujeito do conhecimento forma-se como atividade de análise e síntese, de representação e de significação voltadas para a explicação, descrição e interpretação da realidade e das outras três esferas da vida consciente (vida psíquica, moral e política), isto é, da posição do mundo natural e cultural e de si mesma como objetos de conhecimento. Apóia-se em métodos de conhecer e busca a verdade ou o verdadeiro. É o aspecto intelectual e teórico da consciência.
Ao contrário do  eu, o  sujeito do conhecimento não é uma vivência individual, mas aspira à universalidade, ou seja, à capacidade  de conhecimento que seja idêntica em todos os seres humanos e com validade para todos os seres humanos, em todos os tempos e lugares. Assim, por exemplo, João pode gostar de geometria e Paula pode detestar essa matéria, mas o que ambos sentem não afetam os conceitos geométricos, nem os procedimentos matemáticos, cujo sentido e valor independem das vivências de ambos e são o objeto construído ou descoberto pelo sujeito do conhecimento.
Maria pode não saber que existe a física quântica e pode, ao ser informada sobre ela, não acreditar nela e não gostar da idéia de que seu corpo seja apenas movimento infinito de partículas invisíveis. Isso, porém, não afeta a validade e o sentido da ciência quântica, descoberta e conhecida pelo sujeito. Luíza tem lembranças agradáveis quando vê rosas amarelas; Antônio, porém, tem péssimas lembranças quando as vê. Porém, ver flores e cores, perceber qualidades, senti-las afetivamente não depende de que queiramos ou não vê -las, como não depende do nosso eu percebê-las espacialmente ou temporalmente. A percepção de cores, de seres espaciais e temporais se realiza em mim não apenas segundo minhas vivências psicológicas individuais, mas também segundo leis, normas, princípios de estruturação e organização das coisas, que são as mesmas para todos os sujeitos percebedores. É com essa estruturação e organização que lida o sujeito.
A vivência é singular (minha). O conhecimento é universal (nosso, de todos os humanos). Eu,  pessoa,  cidadão e  sujeito constituem a consciência como  subjetividade ativa, sede da razão e do pensamento, capaz de identidade consigo mesma, virtude, direitos e verdade.

Fonte: Marilena Chauí, Convite à Filosofia.

Para pensar:

1. O cristianismo fez distinção entre fé e razão, verdades reveladas e  verdades racionais, matéria e espírito, corpo e alma; afirmou que o erro e a ilusão são parte da natureza humana em decorrência do caráter pervertido de nossa vontade, após o pecado original. Em conseqüência, a Filosofia precisou enfrentar três problemas novos. Quais os três problemas que a filosofia moderna precisou enfrentar com relação ao problema do conhecimento?

2. Quando o conhecimento se torna um problema propriamente dito para a Filosofia? Quem é o filósofo que inicia essa investigação das condições de possibilidade do conhecimento?

3. Para que haja conhecimento é preciso uma relação entre dois elementos, quais são eles? Explique como se dá essa relação.

4. Os filósofos modernos, na investigação do conhecimento, querem evitar o erro. São eles Bacon e Descartes. Como eles fazem para evitar o erro e ter certeza de conhecer a verdade?

5. Explique a diferença entre o método indutivo e o dedutivo. Dê exemplos.

6. De acordo com Locke, qual seria a origem do conhecimento? Dê exemplos.

7. De acordo com Descartes, qual a origem do conhecimento? Dê exemplos.

8. Explique método da "dúvida metódica" de Descartes para desenvolver a sua filosofia do conhecimento verdadeiro.

9. Qual a diferença entre o racionalismo e o empirismo?

10. De acordo com o que você aprendeu sobre o racionalismo e o empirismo, como você se posiciona a respeito da origem do conhecimento verdadeiro? Seria a razão, a fonte do conhecimento ou, ao contrário, seria a experiência decorrente dos nossos sentidos, que originam nosso conhecimento?

95 comentários:

andreza 2 D disse...

1 1. Como, sendo seres decaídos e pervertidos, podemos conhecer a verdade?
2. Sendo nossa natureza dupla (matéria e espírito), como nossa inteligência pode conhecer o que é diferente dela? Isto é, como seres corporais podem conhecer o incorporal (Deus) e como seres dotados de alma incorpórea podem conhecer o corpóreo (mundo)?
3. Os filósofos antigos consideravam que éramos entes participantes de todas as formas de realidade: por nosso corpo, participamos da Natureza; por nossa alma, participamos da Inteligência divina. O cristianismo, ao introduzir a noção de pecado original, introduziu a separação radical entre os humanos (pervertidos e finitos) e a divindade (perfeita e infinita).nnnnnnnn

andreza 2 D disse...

2 Locke é o iniciador da teoria do conhecimento propriamente dita porque se propõe a analisar cada uma das formas de conhecimento que possuímos, a origem de nossas idéias e nossos discursos, a finalidade das teorias e as capacidades do sujeito cognoscente relacionadas com os objetos que ele pode conhecer.

luisfelipedonascimentoferreira.nº33.2ºD.TURNO:TARDE disse...

1. O cristianismo fez distinção entre fé e razão, verdades reveladas e verdades racionais, matéria e espírito, corpo e alma; afirmou que o erro e a ilusão são parte da natureza humana em decorrência do caráter pervertido de nossa vontade, após o pecado original. Em conseqüência, a Filosofia precisou enfrentar três problemas novos. Quais os três problemas que a filosofia moderna precisou enfrentar com relação ao problema do conhecimento?

2. Quando o conhecimento se torna um problema propriamente dito para a Filosofia? Quem é o filósofo que inicia essa investigação das condições de possibilidade do conhecimento?
3. Para que haja conhecimento é preciso uma relação entre dois elementos, quais são eles? Explique como se dá essa relação.
4. Os filósofos modernos, na investigação do conhecimento, querem evitar o erro. São eles Bacon e Descartes. Como eles fazem para evitar o erro e ter certeza de conhecer a verdade?
5. Explique a diferença entre o método indutivo e o dedutivo. Dê exemplos.

6. De acordo com Locke, qual seria a origem do conhecimento? Dê exemplos.
7. De acordo com Descartes, qual a origem do conhecimento? Dê exemplos.

8. Explique método da "dúvida metódica" de Descartes para desenvolver a sua filosofia do conhecimento verdadeiro.

9. Qual a diferença entre o racionalismo e o empirismo?

10. De acordo com o que você aprendeu sobre o racionalismo e o empirismo, como você se posiciona a respeito da origem do conhecimento verdadeiro? Seria a razão, a fonte do conhecimento ou, ao contrário, seria a experiência decorrente dos nossos sentidos, que originam nosso conhecimento?

andreza 2 D disse...

3 A consciência é um conhecimento (das coisas e de si) e um conhecimento desse conhecimento (reflexão).
Do ponto de vista psicológico, a consciência é o sentimento de nossa própria identidade: é o eu, um fluxo temporal de estados corporais e mentais, que retém o passado na memória, percebe o presente pela atenção e espera o futuro pela imaginação e pelo pensamento. O eu é o centro ou a unidade de todos esses estados psíquicos.

Fernanda Torres 2º D Eliézer disse...

1) 1. Como, sendo seres decaídos e pervertidos, podemos conhecer a verdade?
2. Sendo nossa natureza dupla (matéria e espírito), como nossa inteligência pode conhecer o que é diferente dela? Isto é, como seres corporais podem conhecer o incorporal (Deus) e como seres dotados de alma incorpórea podem conhecer o corpóreo (mundo)?
3. Os filósofos antigos consideravam que éramos entes participantes de todas as formas de realidade: por nosso corpo, participamos da Natureza; por nossa alma, participamos da Inteligência divina. O cristianismo, ao introduzir a noção de pecado original, introduziu a separação radical entre os humanos (pervertidos e finitos) e a divindade (perfeita e infinita).

2) Locke é o iniciador da teoria do conhecimento propriamente dita porque se propõe a analisar cada uma das formas de conhecimento que possuímos, a origem de nossas idéias e nossos discursos, a finalidade das teorias e as capacidades do sujeito cognoscente relacionadas com os objetos que ele pode conhecer.

3) A consciência é um conhecimento (das coisas e de si) e um conhecimento desse conhecimento (reflexão).
Do ponto de vista psicológico, a consciência é o sentimento de nossa própria identidade: é o eu, um fluxo temporal de estados corporais e mentais, que retém o passado na memória, percebe o presente pela atenção e espera o futuro pela imaginação e pelo pensamento. O eu é o centro ou a unidade de todos esses estados psíquicos.

Carlos Henrique Ferreira mota 2º D disse...

1. O cristianismo fez distinção entre fé e razão, verdades reveladas e verdades racionais, matéria e espírito, corpo e alma; afirmou que o erro e a ilusão são parte da natureza humana em decorrência do caráter pervertido de nossa vontade, após o pecado original. Em conseqüência, a Filosofia precisou enfrentar três problemas novos. Quais os três problemas que a filosofia moderna precisou enfrentar com relação ao problema do conhecimento?

R=1. Como, sendo seres decaídos e pervertidos, podemos conhecer a verdade? 2. Sendo nossa natureza dupla (matéria e espírito), como nossa inteligência pode conhecer o que é diferente dela? Isto é, como seres corporais podem conhecer o incorporal (Deus) e como seres dotados de alma incorpórea podem conhecer o corpóreo (mundo)? 3. Os filósofos antigos consideravam que éramos entes participantes de todas as formas de realidade: por nosso corpo, participamos da Natureza; por nossa alma, participamos da Inteligência divina.

2. Quando o conhecimento se torna um problema propriamente dito para a Filosofia? Quem é o filósofo que inicia essa investigação das condições de possibilidade do conhecimento?

A palavra ser em português, traduz a palavra latina esse e a expressão grega ta onta. A palavra latina esse é o infinitivo de um verbo, o verbo ser. A expressão grega ta onta quer dizer: as coisas existentes, os entes, os seres. No singular, ta onta se diz to on, que é traduzida por: o ser. Os primeiros filósofos ocupavam-se com a origem e a ordem do mundo, o kosmos, e a filosofia nascente era uma cosmologia. Pouco a pouco, passou-se a indagar o que era o próprio kosmos, qual era o fundo eterno e imutável que permanecia sob a multiplicidade e transformação das coisas. Qual era e o que era o ser subjacente a todos os seres. Com isto, a filosofia nascente tornou-se ontologia, isto é, conhecimento ou saber sobre o ser.

3. Para que haja conhecimento é preciso uma relação entre dois elementos, quais são eles? Explique como se dá essa relação.

Sujeito e objeto

4. Os filósofos modernos, na investigação do conhecimento, querem evitar o erro. São eles Bacon e Descartes. Como eles fazem para evitar o erro e ter certeza de conhecer a verdade?

Bacon faz a critica aos idolos
Descartes, como já mencionamos, elaborou um método de análise conhecido como dúvida metódica.

5. Explique a diferença entre o método indutivo e o dedutivo. Dê exemplos.

andressa do nascimento 2º d disse...

1[1-como,sendo seres decaidos e pervertido,podemos conhecer a verdade?
2-sendo nossa natureza dupla(materia e espirito)

bob marley... -.- disse...

1-1. Como, sendo seres decaídos e pervertidos, podemos conhecer a verdade? 2. Sendo nossa natureza dupla (matéria e espírito), como nossa inteligência pode conhecer o que é diferente dela? Isto é, como seres corporais podem conhecer o incorporal (Deus) e como seres dotados de alma incorpórea podem conhecer o corpóreo (mundo)? 3. Os filósofos antigos consideravam que éramos entes participantes de todas as formas de realidade: por nosso corpo, participamos da Natureza; por nossa alma, participamos da Inteligência divina.
2-Bacon.
3-Apesar dessas diferenças, os filósofos retomaram o modo de trabalhar filosoficamente proposto por Sócrates, Platão e Aristóteles, qual seja, começar pelo exame das opiniões contrárias e ilusórias para ultrapassá - las em direção à verdade.
4-

Andressa do nascimento silva.Eliezer de freitas guimaraes.2ANO D disse...

1.[1-como ;sendo seres decaidos e pervertidos ;podemos conhecer a verdade? 2-sendo de nossa natureza dupla(materia e espirito)como nossa inteligencia pode conhecer o que é diferente dela? 3-os filosofos antigos consideravam que éramos antes participantes de todas as formas da realidade;por nosso corpo participamos da natureza por nossa alma participamos da inteligencia divina. 2.o cristianismo ao introduzir a noçao do pecado original;introduziu a separaçao radical entre os humanos e a divindade.com isso foram surgindo várias perguntas como por exemplo como o finito pode conhecer a verdade?surgiu assim portanto o conhecimento como problema filosófico;locke criou a teoria do conhecimento. 3.sujeito cognoscente(aqueles que conhecem alguma coisa) e objeto cognoscível(é o objeto que é conhecido). 4.Bacon elaborou uma teoria conhecida como crítica do ídolo e descartes criou um metodo de análise conhecido como duvida metódica.Existem 4 tipos de ídolos:1-idolos da caverna;opnioes que se formam em nós por erros e defeitos de nossos órgaos de sentidos.2Foŕum:sao as opnioes q se formam em nós por consequencia da linguagem.3-Sao as opnioes formadas em nós em decorrencia das autoridades.4-Tribo:Sao as opnioes q se formam em nós em decorrencia de nossa natureza humana;esses ídolo sao proprios da espécie humana. 5.O Método indutivo parte do particular para o universal já o dedutivo parte do universal para o particular.EX:todo homem é mortal .kariny é humana;portanto kariny é mortal. 6.Nós seres humanos nascemos sem conhecimento;com o tempo é q vamos adquirindo.EX:Quando nascemos nao sabemos falar;aprendemos com o tempo. 7.PARA Descartes a fonte do conhecimento é a RAZAO.EX:o ser humano nasce com ideias inatas q ira desenvolve-las no decorrer do tempo. 8.Dúvida metodica é metodo de analise;Descartes com esse metodo vai combater o erro.ele usava a duvida para filosofia. 9.No Racionalismo a fonte do conhecimento é a razao;e o empirismo é uma experiencia sensível. 10.Meu posicionamento é racionalismo pois nada melhor que a razao para conhecer as diversas coisas existentes no mundo.Nós conhecemos as coisas pela a RAZAO.

Andressa do nascimento silva.Eliezer de freitas guimaraes.2ANO D disse...

1.[1-como ;sendo seres decaidos e pervertidos ;podemos conhecer a verdade? 2-sendo de nossa natureza dupla(materia e espirito)como nossa inteligencia pode conhecer o que é diferente dela? 3-os filosofos antigos consideravam que éramos antes participantes de todas as formas da realidade;por nosso corpo participamos da natureza por nossa alma participamos da inteligencia divina. 2.o cristianismo ao introduzir a noçao do pecado original;introduziu a separaçao radical entre os humanos e a divindade.com isso foram surgindo várias perguntas como por exemplo como o finito pode conhecer a verdade?surgiu assim portanto o conhecimento como problema filosófico;locke criou a teoria do conhecimento. 3.sujeito cognoscente(aqueles que conhecem alguma coisa) e objeto cognoscível(é o objeto que é conhecido). 4.Bacon elaborou uma teoria conhecida como crítica do ídolo e descartes criou um metodo de análise conhecido como duvida metódica.Existem 4 tipos de ídolos:1-idolos da caverna;opnioes que se formam em nós por erros e defeitos de nossos órgaos de sentidos.2Foŕum:sao as opnioes q se formam em nós por consequencia da linguagem.3-Sao as opnioes formadas em nós em decorrencia das autoridades.4-Tribo:Sao as opnioes q se formam em nós em decorrencia de nossa natureza humana;esses ídolo sao proprios da espécie humana. 5.O Método indutivo parte do particular para o universal já o dedutivo parte do universal para o particular.EX:todo homem é mortal .kariny é humana;portanto kariny é mortal. 6.Nós seres humanos nascemos sem conhecimento;com o tempo é q vamos adquirindo.EX:Quando nascemos nao sabemos falar;aprendemos com o tempo. 7.PARA Descartes a fonte do conhecimento é a RAZAO.EX:o ser humano nasce com ideias inatas q ira desenvolve-las no decorrer do tempo. 8.Dúvida metodica é metodo de analise;Descartes com esse metodo vai combater o erro.ele usava a duvida para filosofia. 9.No Racionalismo a fonte do conhecimento é a razao;e o empirismo é uma experiencia sensível. 10.Meu posicionamento é racionalismo pois nada melhor que a razao para conhecer as diversas coisas existentes no mundo.Nós conhecemos as coisas pela a RAZAO.

Andressa do nascimento silva.Eliezer de freitas guimaraes.2ANO D disse...

1.[1-como ;sendo seres decaidos e pervertidos ;podemos conhecer a verdade? 2-sendo de nossa natureza dupla(materia e espirito)como nossa inteligencia pode conhecer o que é diferente dela? 3-os filosofos antigos consideravam que éramos antes participantes de todas as formas da realidade;por nosso corpo participamos da natureza por nossa alma participamos da inteligencia divina. 2.o cristianismo ao introduzir a noçao do pecado original;introduziu a separaçao radical entre os humanos e a divindade.com isso foram surgindo várias perguntas como por exemplo como o finito pode conhecer a verdade?surgiu assim portanto o conhecimento como problema filosófico;locke criou a teoria do conhecimento. 3.sujeito cognoscente(aqueles que conhecem alguma coisa) e objeto cognoscível(é o objeto que é conhecido). 4.Bacon elaborou uma teoria conhecida como crítica do ídolo e descartes criou um metodo de análise conhecido como duvida metódica.Existem 4 tipos de ídolos:1-idolos da caverna;opnioes que se formam em nós por erros e defeitos de nossos órgaos de sentidos.2Foŕum:sao as opnioes q se formam em nós por consequencia da linguagem.3-Sao as opnioes formadas em nós em decorrencia das autoridades.4-Tribo:Sao as opnioes q se formam em nós em decorrencia de nossa natureza humana;esses ídolo sao proprios da espécie humana. 5.O Método indutivo parte do particular para o universal já o dedutivo parte do universal para o particular.EX:todo homem é mortal .kariny é humana;portanto kariny é mortal. 6.Nós seres humanos nascemos sem conhecimento;com o tempo é q vamos adquirindo.EX:Quando nascemos nao sabemos falar;aprendemos com o tempo. 7.PARA Descartes a fonte do conhecimento é a RAZAO.EX:o ser humano nasce com ideias inatas q ira desenvolve-las no decorrer do tempo. 8.Dúvida metodica é metodo de analise;Descartes com esse metodo vai combater o erro.ele usava a duvida para filosofia. 9.No Racionalismo a fonte do conhecimento é a razao;e o empirismo é uma experiencia sensível. 10.Meu posicionamento é racionalismo pois nada melhor que a razao para conhecer as diversas coisas existentes no mundo.Nós conhecemos as coisas pela a RAZAO.

Allef WEsley = 2º Ano D = Tarde - Nº: 01 disse...

1) 1. Como, sendo seres decaídos e pervertidos, podemos conhecer a verdade?
2. Sendo nossa natureza dupla (matéria e espírito), como nossa inteligência pode conhecer o que é diferente dela? Isto é, como seres corporais podem conhecer o incorporal (Deus) e como seres dotados de alma incorpórea podem conhecer o corpóreo (mundo)?
3. Os filósofos antigos consideravam que éramos entes participantes de todas as formas de realidade: por nosso corpo, participamos da Natureza; por nossa alma, participamos da Inteligência divina. O cristianismo, ao introduzir a noção de pecado original, introduziu a separação radical entre os humanos (pervertidos e finitos) e a divindade (perfeita e infinita). Com isso, fez surgir a pergunta: como o finito (humano) pode conhecer a verdade (infinita e divina)?
Eis porque, durante toda a Idade Média, a fé tornou-se central para a Filosofia, pois era através dela que essas perguntas eram respondidas. Auxiliada pela graça divina, a fé iluminava nosso intelecto e guiava nossa vontade, permitindo à nossa razão o conhecimento do que está ao seu alcance, ao mesmo tempo em que nossaalma recebia os mistérios da revelação. A fé nos fazia saber (mesmo que não pudéssemos compreender como isso era possível) que, pela vontade soberana de Deus, era concedido à nossa alma imaterial conhecer as coisas materiais.

2)O problema do conhecimento torna-se, portanto, crucial e a Filosofia precisa começar pelo exame da capacidade humana de conhecer, pelo entendimento ou sujeito do conhecimento. A teoria do conhecimento volta-se para a relação entre o pensamento e as coisas, a consciência (interior) e a realidade (exterior), o entendimento e a realidade; em suma, o sujeito e o objeto do conhecimento.
Os dois filósofos que iniciam o exame da capacidade humana para o erro e a verdade são o inglês Francis Bacon e o francês René Descartes. O filósofo que propõe, pela primeira vez, uma teoria do conhecimento propriamente dita é o inglês John Locke. A partir do século XVII, portanto, a teoria do conhecimento torna-se uma disciplina central da Filosofia.

3)Sujeito e objeto

4)Antes de abordar o conhecimento verdadeiro, Bacon e Descartes examinaram exaustivamente as causas e as formas do erro, inaugurando um estilo filosófico que permanecerá na Filosofia, isto é, a análise dos preconceitos e do senso comum.
Bacon elaborou uma teoria conhecida como a crítica dos ídolos (a palavra ídolo vem do grego eidolon e significa imagem). Descartes, como já mencionamos, elaborou um método de análise conhecido como dúvida metódica. De acordo com Bacon, existem quatro tipos de ídolos ou de imagens que formam opiniões cristalizadas e preconceitos, que impedem o conhecimento da verdade.

5)O Método indutivo parte do particular para o universal já o dedutivo parte do universal para o particular.EX:todo homem é mortal .kariny é humana;portanto kariny é mortal.

6)Nós seres humanos nascemos sem conhecimento;com o tempo é q vamos adquirindo.EX:Quando nascemos nao sabemos falar;aprendemos com o tempo.

7)PARA Descartes a fonte do conhecimento é a RAZAO.EX:o ser humano nasce com ideias inatas q ira desenvolve-las no decorrer do tempo.

8)Dúvida metodica é metodo de analise;Descartes com esse metodo vai combater o erro.ele usava a duvida para filosofia.

9).No Racionalismo a fonte do conhecimento é a razao;e o empirismo é uma experiencia sensível.

10).Meu posicionamento é racionalismo pois nada melhor que a razao para conhecer as diversas coisas existentes no mundo.Nós conhecemos as coisas pela a RAZAO.

winderson 2A Eliezer disse...

1 1. Como, sendo seres decaídos e pervertidos, podemos conhecer a verdade?
2. Sendo nossa natureza dupla (matéria e espírito), como nossa inteligência pode conhecer o que é diferente dela? Isto é, como seres corporais podem conhecer o incorporal (Deus) e como seres dotados de alma incorpórea podem conhecer o corpóreo (mundo)?
3. Os filósofos antigos consideravam que éramos entes participantes de todas as formas de realidade: por nosso corpo, participamos da Natureza; por nossa alma, participamos da Inteligência divina. O cristianismo, ao introduzir a noção de pecado original, introduziu a separação radical entre os humanos (pervertidos e finitos) e a divindade (perfeita e infinita).

winderson2A disse...

2 Locke é o iniciador da teoria do conhecimento propriamente dita porque se propõe a analisar cada uma das formas de conhecimento que possuímos, a origem de nossas idéias e nossos discursos, a finalidade das teorias e as capacidades do sujeito cognoscente relacionadas com os objetos que ele pode conhecer.

winderson 2A Eliezer disse...

3 A consciência é um conhecimento (das coisas e de si) e um conhecimento desse conhecimento (reflexão).
Do ponto de vista psicológico, a consciência é o sentimento de nossa própria identidade: é o eu, um fluxo temporal de estados corporais e mentais, que retém o passado na memória, percebe o presente pela atenção e espera o futuro pela imaginação e pelo pensamento. O eu é o centro ou a unidade de todos esses estados psíquicos.

winderson 2A Eliezer disse...

Bacon faz a critica aos idolos
Descartes, como já mencionamos, elaborou um método de análise conhecido como dúvida metódica.

winderson2A disse...

5.Indução é um processo mental por intermédio do qual, partindo de dados particulares, suficientemente constatados, infere-se uma verdade geral ou universal, não contida nas partes examinadas. Portanto, o objetivo dos argumentos é levar a conclusões cujo conteúdo é muito mais amplo do que o das premissas nas quais se basearam.

Exemplo:

O corvo 1 é negro
O corvo 2 é negro
O corvo 3 é negro
O corvo "n" é negro
----------------------------
(todo) corvo é negro
A dedução é o processo mental contrário à indução. Através da indução, não produzimos conhecimentos novos, porém explicitamos conhecimentos que antes estavam implícitos.
ex.Todo mamífero tem um coração.
Ora, todos os cães são mamíferos.
----------------------------
Logo, todos os cães têm um coração.

winderson 2A Eliezer disse...

6.propriamente dita porque se propõe a analisar cada uma das formas de conhecimento que possuímos, a origem de nossas idéias e nossos discursos, a finalidade das teorias e as capacidades do sujeito cognoscente relacionadas com os objetos que ele pode conhecer.

winderson 2A Eliezer disse...

7. Verificamos então que o seu método para chegar ao conhecimento engloba quatro partes distintas:

1. Não aceitar nada que não seja evidente e indubitável;

2. Dividir um problema em quantas partes forem necessárias, a fim de as analisar individualmente;

3. Conduzir o pensamento por ordem, partindo dos objectos mais simples para os mais complexos, como se de um puzzle se tratasse;

4. Verificar minuciosamente as conclusões de modo a nada escapar.

É através deste método que Descartes chega às suas três conclusões mais importantes: a existência do ser humano (através da famosa frase “Penso, logo existo”), a existência de Deus (desenvolvida em três provas) e o conhecimento do mundo.

winderson 2A Eliezer disse...

8.Essa reforma pode ser feita pelo sujeito do conhecimento, se este decidir e deliberar pela necessidade de encontrar fundamentos seguros para o saber. Para isso Descartes criou um procedimento, a dúvida metódica, pela qual o sujeito do conhecimento, analisando cada um de seus conhecimentos, conhece e avalia as fontes e as causas de cada um, a forma e o conteúdo de cada um, a falsidade e a verdade de cada um e encontra meios para livrar-se de tudo quanto seja duvidoso perante o pensamento. Ao mesmo tempo, o pensamento oferece ao espírito um conjunto de regras que deverão ser obedecidas para que um conhecimento seja considerado verdadeiro.

winderson 2A Eliezer disse...

9.Empirismo é a visão de que o conhecimento deriva da experiência do mundo. Nesse sentido, afirmações são sujeitas e derivadas de nossas experiências ou observações. Hipóteses científicas são desenvolvidas e testadas através de métodos empíricos consistindo de observações e experimentos
O realismo científico, ou empirismo ingênuo, é a visão de que o universo é explicado da forma que realmente é pelas afirmações científicas. Realistas defendem que coisas como elétrons e campos magnéticos realmente existem. É ingênuo no sentido de tomar modelos científicos como sendo a verdade, e é a visão que a maior parte dos cientistas adota.

winderson 2A Eliezer disse...

10. o conhecimento se adiquiri com experiencias no decorre de nossa vida tudo se basea em fazer praticar isso vai nos dar conhecimento nao sei explicar mais acredito que o conhecimento teria que ter um poucos dos dois

Mateus/Rondinelle 2A disse...

1. O cristianismo fez distinção entre fé e razão, verdades reveladas e verdades racionais, matéria e espírito, corpo e alma; afirmou que o erro e a ilusão são parte da natureza humana em decorrência do caráter pervertido de nossa vontade, após o pecado original. Em conseqüência, a Filosofia precisou enfrentar três problemas novos. Quais os três problemas que a filosofia moderna precisou enfrentar com relação ao problema do conhecimento?

2. Quando o conhecimento se torna um problema propriamente dito para a Filosofia? Quem é o filósofo que inicia essa investigação das condições de possibilidade do conhecimento?
3. Para que haja conhecimento é preciso uma relação entre dois elementos, quais são eles? Explique como se dá essa relação.
4. Os filósofos modernos, na investigação do conhecimento, querem evitar o erro. São eles Bacon e Descartes. Como eles fazem para evitar o erro e ter certeza de conhecer a verdade?
5. Explique a diferença entre o método indutivo e o dedutivo. Dê exemplos.

6. De acordo com Locke, qual seria a origem do conhecimento? Dê exemplos.
7. De acordo com Descartes, qual a origem do conhecimento? Dê exemplos.

8. Explique método da "dúvida metódica" de Descartes para desenvolver a sua filosofia do conhecimento verdadeiro.

9. Qual a diferença entre o racionalismo e o empirismo?

10. De acordo com o que você aprendeu sobre o racionalismo e o empirismo, como você se posiciona a respeito da origem do conhecimento verdadeiro? Seria a razão, a fonte do conhecimento ou, ao contrário, seria a experiência decorrente dos nossos sentidos, que originam nosso conhecimento

keillyanne disse...

1. O cristianismo fez distinção entre fé e razão, verdades reveladas e verdades racionais, matéria e espírito, corpo e alma; afirmou que o erro e a ilusão são parte da natureza humana em decorrência do caráter pervertido de nossa vontade, após o pecado original. Em conseqüência, a Filosofia precisou enfrentar três problemas novos. Quais os três problemas que a filosofia moderna precisou enfrentar com relação ao problema do conhecimento?

2. Quando o conhecimento se torna um problema propriamente dito para a Filosofia? Quem é o filósofo que inicia essa investigação das condições de possibilidade do conhecimento?
3. Para que haja conhecimento é preciso uma relação entre dois elementos, quais são eles? Explique como se dá essa relação.
4. Os filósofos modernos, na investigação do conhecimento, querem evitar o erro. São eles Bacon e Descartes. Como eles fazem para evitar o erro e ter certeza de conhecer a verdade?
5. Explique a diferença entre o método indutivo e o dedutivo. Dê exemplos.

6. De acordo com Locke, qual seria a origem do conhecimento? Dê exemplos.
7. De acordo com Descartes, qual a origem do conhecimento? Dê exemplos.

8. Explique método da "dúvida metódica" de Descartes para desenvolver a sua filosofia do conhecimento verdadeiro.

9. Qual a diferença entre o racionalismo e o empirismo?

10. De acordo com o que você aprendeu sobre o racionalismo e o empirismo, como você se posiciona a respeito da origem do conhecimento verdadeiro? Seria a razão, a fonte do conhecimento ou, ao contrário, seria a experiência decorrente dos nossos sentidos, que originam nosso conhecimento?

flávia disse...

1. O cristianismo fez distinção entre fé e razão, verdades reveladas e verdades racionais, matéria e espírito, corpo e alma; afirmou que o erro e a ilusão são parte da natureza humana em decorrência do caráter pervertido de nossa vontade, após o pecado original. Em conseqüência, a Filosofia precisou enfrentar três problemas novos. Quais os três problemas que a filosofia moderna precisou enfrentar com relação ao problema do conhecimento?

2. Quando o conhecimento se torna um problema propriamente dito para a Filosofia? Quem é o filósofo que inicia essa investigação das condições de possibilidade do conhecimento?
3. Para que haja conhecimento é preciso uma relação entre dois elementos, quais são eles? Explique como se dá essa relação.
4. Os filósofos modernos, na investigação do conhecimento, querem evitar o erro. São eles Bacon e Descartes. Como eles fazem para evitar o erro e ter certeza de conhecer a verdade?
5. Explique a diferença entre o método indutivo e o dedutivo. Dê exemplos.

6. De acordo com Locke, qual seria a origem do conhecimento? Dê exemplos.
7. De acordo com Descartes, qual a origem do conhecimento? Dê exemplos.

8. Explique método da "dúvida metódica" de Descartes para desenvolver a sua filosofia do conhecimento verdadeiro.

9. Qual a diferença entre o racionalismo e o empirismo?

10. De acordo com o que você aprendeu sobre o racionalismo e o empirismo, como você se posiciona a respeito da origem do conhecimento verdadeiro? Seria a razão, a fonte do conhecimento ou, ao contrário, seria a experiência decorrente dos nossos sentidos, que originam nosso conhecimento?

João Pedro 2ª disse...

1. O cristianismo fez distinção entre fé e razão, verdades reveladas e verdades racionais, matéria e espírito, corpo e alma; afirmou que o erro e a ilusão são parte da natureza humana em decorrência do caráter pervertido de nossa vontade, após o pecado original. Em conseqüência, a Filosofia precisou enfrentar três problemas novos.

2.A palavra ser em português, traduz a palavra latina esse e a expressão grega ta onta. A palavra latina esse é o infinitivo de um verbo, o verbo ser. A expressão grega ta onta quer dizer: as coisas existentes, os entes, os seres. No singular, ta onta se diz to on, que é traduzida por: o ser. Os primeiros filósofos ocupavam-se com a origem e a ordem do mundo, o kosmos, e a filosofia nascente era uma cosmologia. Pouco a pouco, passou-se a indagar o que era o próprio kosmos, qual era o fundo eterno e imutável que permanecia sob a multiplicidade e transformação das coisas.

3.para que aja um conhecimento tanto para se aprofundar como para se questionar no mundo em que vivemos.

4..Bacon elaborou uma teoria conhecida como crítica do ídolo e descartes criou um metodo de análise conhecido como duvida metódica.Existem 4 tipos de ídolos:1-idolos da caverna;opnioes que se formam em nós por erros e defeitos de nossos órgaos de sentidos.2Foŕum:sao as opnioes q se formam em nós por consequencia da linguagem.3-Sao as opnioes formadas em nós em decorrencia das autoridades.4-Tribo:Sao as opnioes q se formam em nós em decorrencia de nossa natureza humana;esses ídolo sao proprios da espécie humana.

5.O Método indutivo parte do particular para o universal já o dedutivo parte do universal para o particular.EX:todo homem é mortal .kariny é humana;portanto kariny é mortal.

6..Nós seres humanos nascemos sem conhecimento;com o tempo é q vamos adquirindo.EX:Quando nascemos nao sabemos falar;aprendemos com o tempo.

7.PARA Descartes a fonte do conhecimento é a RAZAO.EX:o ser humano nasce com ideias inatas q ira desenvolve-las no decorrer do tempo.

8.Dúvida metodica é metodo de analise;Descartes com esse metodo vai combater o erro.ele usava a duvida para filosofia.

9.No Racionalismo a fonte do conhecimento é a razao;e o empirismo é uma experiencia sensível.

10.Meu posicionamento é racionalismo pois nada melhor que a razao para conhecer as diversas coisas existentes no mundo.Nós conhecemos as coisas pela a RAZAO.

Brenno henrique 2A disse...

1. O cristianismo fez distinção entre fé e razão, verdades reveladas e verdades racionais, matéria e espírito, corpo e alma; afirmou que o erro e a ilusão são parte da natureza humana em decorrência do caráter pervertido de nossa vontade, após o pecado original. Em conseqüência, a Filosofia precisou enfrentar três problemas novos. Quais os três problemas que a filosofia moderna precisou enfrentar com relação ao problema do conhecimento?

R:Como, sendo seres decaídos e pervertidos, podemos conhecer a verdade? 2. Sendo nossa natureza dupla (matéria e espírito), como nossa inteligência pode conhecer o que é diferente dela? Isto é, como seres corporais podem conhecer o incorporal (Deus) e como seres dotados de alma incorpórea podem conhecer o corpóreo (mundo)? 3. Os filósofos antigos consideravam que éramos entes participantes de todas as formas de realidade: por nosso corpo, participamos da Natureza; por nossa alma, participamos da Inteligência divina.

2. Quando o conhecimento se torna um problema propriamente dito para a Filosofia? Quem é o filósofo que inicia essa investigação das condições de possibilidade do conhecimento?

A palavra ser em português, traduz a palavra latina esse e a expressão grega ta onta. A palavra latina esse é o infinitivo de um verbo, o verbo ser. A expressão grega ta onta quer dizer: as coisas existentes, os entes, os seres. No singular, ta onta se diz to on, que é traduzida por: o ser. Os primeiros filósofos ocupavam-se com a origem e a ordem do mundo, o kosmos, e a filosofia nascente era uma cosmologia. Pouco a pouco, passou-se a indagar o que era o próprio kosmos, qual era o fundo eterno e imutável que permanecia sob a multiplicidade e transformação das coisas. Qual era e o que era o ser subjacente a todos os seres. Com isto, a filosofia nascente tornou-se ontologia, isto é, conhecimento ou saber sobre o ser.

3. Para que haja conhecimento é preciso uma relação entre dois elementos, quais são eles? Explique como se dá essa relação.

Sujeito e objeto

4. Os filósofos modernos, na investigação do conhecimento, querem evitar o erro. São eles Bacon e Descartes. Como eles fazem para evitar o erro e ter certeza de conhecer a verdade?

Bacon faz a critica aos idolos
Descartes, como já mencionamos, elaborou um método de análise conhecido como dúvida metódica.

5. Explique a diferença entre o método indutivo e o dedutivo. Dê exemplos.
R:O Método indutivo parte do particular para o universal já o dedutivo parte do universal para o particular.EX:todo homem é mortal .kariny é humana;portanto kariny é mortal.

6. De acordo com Locke, qual seria a origem do conhecimento? Dê exemplos.
R:Nós seres humanos nascemos sem conhecimento;com o tempo é q vamos adquirindo.EX:Quando nascemos nao sabemos falar;aprendemos com o tempo.

7:PARA Descartes a fonte do conhecimento é a RAZAO.EX:o ser humano nasce com ideias inatas q ira desenvolve-las no decorrer do tempo.

8.Dúvida metodica é metodo de analise;Descartes com esse metodo vai combater o erro.ele usava a duvida para filosofia.

9.No Racionalismo a fonte do conhecimento é a razao;e o empirismo é uma experiencia sensível.

10.Meu posicionamento é racionalismo pois nada melhor que a razao para conhecer as diversas coisas existentes no mundo.Nós conhecemos as coisas pela a RAZAO.

Lucas Rodrigues Nº:32 Serie:2ºano "D" disse...

1ª) 1. Como, sendo seres decaídos e pervertidos, podemos conhecer a verdade? 2. Sendo nossa natureza dupla (matéria e espírito), como nossa inteligência pode conhecer o que é diferente dela? Isto é, como seres corporais podem conhecer o incorporal (Deus) e como seres dotados de alma incorpórea podem conhecer o corpóreo (mundo)? 3. Os filósofos antigos consideravam que éramos entes participantes de todas as formas de realidade: por nosso corpo, participamos da Natureza; por nossa alma, participamos da Inteligência divina.
2ª)Como, sendo seres decaídos e pervertidos, podemos conhecer a verdade?. Sendo nossa natureza dupla (matéria e espírito), como nossa inteligência pode conhecer o que é diferente dela? Isto é, como seres corporais podem conhecer o incorporal (Deus) e como seres dotados de alma incorpórea podem conhecer o corpóreo (mundo)? 3. Os filósofos antigos consideravam que éramos entes participantes de todas as formas de realidade: por nosso corpo, participamos da Natureza; por nossa alma, participamos da Inteligência divina.
3ª)Os filósofos antigos consideravam que éramos entes participantes de todas as formas de realidade: por nosso corpo, participamos da Natureza; por nossa alma, participamos da Inteligência divina. O cristianismo, ao introduzir a noção de pecado original, introduziu a separação radical entre os humanos (pervertidos e finitos) e a divindade (perfeita e infinita).
4ª).Bacon elaborou uma teoria conhecida como crítica do ídolo e descartes criou um metodo de análise conhecido como duvida metódica.Existem 4 tipos de ídolos:1-idolos da caverna;opnioes que se formam em nós por erros e defeitos de nossos órgaos de sentidos.2Foŕum:sao as opnioes q se formam em nós por consequencia da linguagem.3-Sao as opnioes formadas em nós em decorrencia das autoridades.4-Tribo:Sao as opnioes q se formam em nós em decorrencia de nossa natureza humana;esses ídolo sao proprios da espécie humana.
5ª)O Método indutivo parte do particular para o universal já o dedutivo parte do universal para o particular.EX:todo homem é mortal .kariny é humana;portanto kariny é mortal.
6ª)Nós seres humanos nascemos sem conhecimento;com o tempo é q vamos adquirindo.EX:Quando nascemos nao sabemos falar;aprendemos com o tempo.
7ª)PARA Descartes a fonte do conhecimento é a RAZAO.EX:o ser humano nasce com ideias inatas q ira desenvolve-las no decorrer do tempo.
8ª) É metodo de analise;Descartes com esse metodo vai combater o erro.ele usava a duvida para filosofia.
9ª)Racionalismo:A fonte do conhecimento é a razão.
Empirismo:É uma experiencia sensível.
10ª)

Lucas Rodrigues Nº:32 Serie:2ºano "D" disse...

1ª) 1. Como, sendo seres decaídos e pervertidos, podemos conhecer a verdade? 2. Sendo nossa natureza dupla (matéria e espírito), como nossa inteligência pode conhecer o que é diferente dela? Isto é, como seres corporais podem conhecer o incorporal (Deus) e como seres dotados de alma incorpórea podem conhecer o corpóreo (mundo)? 3. Os filósofos antigos consideravam que éramos entes participantes de todas as formas de realidade: por nosso corpo, participamos da Natureza; por nossa alma, participamos da Inteligência divina.
2ª)Como, sendo seres decaídos e pervertidos, podemos conhecer a verdade?. Sendo nossa natureza dupla (matéria e espírito), como nossa inteligência pode conhecer o que é diferente dela? Isto é, como seres corporais podem conhecer o incorporal (Deus) e como seres dotados de alma incorpórea podem conhecer o corpóreo (mundo)? 3. Os filósofos antigos consideravam que éramos entes participantes de todas as formas de realidade: por nosso corpo, participamos da Natureza; por nossa alma, participamos da Inteligência divina.
3ª)Os filósofos antigos consideravam que éramos entes participantes de todas as formas de realidade: por nosso corpo, participamos da Natureza; por nossa alma, participamos da Inteligência divina. O cristianismo, ao introduzir a noção de pecado original, introduziu a separação radical entre os humanos (pervertidos e finitos) e a divindade (perfeita e infinita).
4ª).Bacon elaborou uma teoria conhecida como crítica do ídolo e descartes criou um metodo de análise conhecido como duvida metódica.Existem 4 tipos de ídolos:1-idolos da caverna;opnioes que se formam em nós por erros e defeitos de nossos órgaos de sentidos.2Foŕum:sao as opnioes q se formam em nós por consequencia da linguagem.3-Sao as opnioes formadas em nós em decorrencia das autoridades.4-Tribo:Sao as opnioes q se formam em nós em decorrencia de nossa natureza humana;esses ídolo sao proprios da espécie humana.
5ª)O Método indutivo parte do particular para o universal já o dedutivo parte do universal para o particular.EX:todo homem é mortal .kariny é humana;portanto kariny é mortal.
6ª)Nós seres humanos nascemos sem conhecimento;com o tempo é q vamos adquirindo.EX:Quando nascemos nao sabemos falar;aprendemos com o tempo.
7ª)PARA Descartes a fonte do conhecimento é a RAZAO.EX:o ser humano nasce com ideias inatas q ira desenvolve-las no decorrer do tempo.
8ª) É metodo de analise;Descartes com esse metodo vai combater o erro.ele usava a duvida para filosofia.
9ª)Racionalismo:A fonte do conhecimento é a razão.
Empirismo:É uma experiencia sensível.
10ª)

Tiago Laurentino Ricardo Nº 47 2º E disse...

1) 1. Como, sendo seres decaídos e pervertidos, podemos conhecer a verdade?
2. Sendo nossa natureza dupla (matéria e espírito), como nossa inteligência pode conhecer o que é diferente dela? Isto é, como seres corporais podem conhecer o incorporal (Deus) e como seres dotados de alma incorpórea podem conhecer o corpóreo (mundo)?
3. Os filósofos antigos consideravam que éramos entes participantes de todas as formas de realidade: por nosso corpo, participamos da Natureza; por nossa alma, participamos da Inteligência divina. O cristianismo, ao introduzir a noção de pecado original, introduziu a separação radical entre os humanos (pervertidos e finitos) e a divindade (perfeita e infinita). Com isso, fez surgir a pergunta: como o finito (humano) pode conhecer a verdade (infinita e divina)?
Eis porque, durante toda a Idade Média, a fé tornou-se central para a Filosofia, pois era através dela que essas perguntas eram respondidas. Auxiliada pela graça divina, a fé iluminava nosso intelecto e guiava nossa vontade, permitindo à nossa razão o conhecimento do que está ao seu alcance, ao mesmo tempo em que nossaalma recebia os mistérios da revelação. A fé nos fazia saber (mesmo que não pudéssemos compreender como isso era possível) que, pela vontade soberana de Deus, era concedido à nossa alma imaterial conhecer as coisas materiais.

2)O problema do conhecimento torna-se, portanto, crucial e a Filosofia precisa começar pelo exame da capacidade humana de conhecer, pelo entendimento ou sujeito do conhecimento. A teoria do conhecimento volta-se para a relação entre o pensamento e as coisas, a consciência (interior) e a realidade (exterior), o entendimento e a realidade; em suma, o sujeito e o objeto do conhecimento.
Os dois filósofos que iniciam o exame da capacidade humana para o erro e a verdade são o inglês Francis Bacon e o francês René Descartes. O filósofo que propõe, pela primeira vez, uma teoria do conhecimento propriamente dita é o inglês John Locke. A partir do século XVII, portanto, a teoria do conhecimento torna-se uma disciplina central da Filosofia.

3)Sujeito e objeto

4)Antes de abordar o conhecimento verdadeiro, Bacon e Descartes examinaram exaustivamente as causas e as formas do erro, inaugurando um estilo filosófico que permanecerá na Filosofia, isto é, a análise dos preconceitos e do senso comum.
Bacon elaborou uma teoria conhecida como a crítica dos ídolos (a palavra ídolo vem do grego eidolon e significa imagem). Descartes, como já mencionamos, elaborou um método de análise conhecido como dúvida metódica. De acordo com Bacon, existem quatro tipos de ídolos ou de imagens que formam opiniões cristalizadas e preconceitos, que impedem o conhecimento da verdade.

5)O Método indutivo parte do particular para o universal já o dedutivo parte do universal para o particular.EX:todo homem é mortal .kariny é humana;portanto kariny é mortal.

6)Nós seres humanos nascemos sem conhecimento;com o tempo é q vamos adquirindo.EX:Quando nascemos nao sabemos falar;aprendemos com o tempo.

7)PARA Descartes a fonte do conhecimento é a RAZAO.EX:o ser humano nasce com ideias inatas q ira desenvolve-las no decorrer do tempo.

8)Dúvida metodica é metodo de analise;Descartes com esse metodo vai combater o erro.ele usava a duvida para filosofia.

9).No Racionalismo a fonte do conhecimento é a razao;e o empirismo é uma experiencia sensível.

10).Meu posicionamento é racionalismo pois nada melhor que a razao para conhecer as diversas coisas existentes no mundo.Nós conhecemos as coisas pela a RAZAO.

Samuel Chaves Nº 44 2º E disse...

1) 1. Como, sendo seres decaídos e pervertidos, podemos conhecer a verdade?
2. Sendo nossa natureza dupla (matéria e espírito), como nossa inteligência pode conhecer o que é diferente dela? Isto é, como seres corporais podem conhecer o incorporal (Deus) e como seres dotados de alma incorpórea podem conhecer o corpóreo (mundo)?
3. Os filósofos antigos consideravam que éramos entes participantes de todas as formas de realidade: por nosso corpo, participamos da Natureza; por nossa alma, participamos da Inteligência divina. O cristianismo, ao introduzir a noção de pecado original, introduziu a separação radical entre os humanos (pervertidos e finitos) e a divindade (perfeita e infinita). Com isso, fez surgir a pergunta: como o finito (humano) pode conhecer a verdade (infinita e divina)?
Eis porque, durante toda a Idade Média, a fé tornou-se central para a Filosofia, pois era através dela que essas perguntas eram respondidas. Auxiliada pela graça divina, a fé iluminava nosso intelecto e guiava nossa vontade, permitindo à nossa razão o conhecimento do que está ao seu alcance, ao mesmo tempo em que nossaalma recebia os mistérios da revelação. A fé nos fazia saber (mesmo que não pudéssemos compreender como isso era possível) que, pela vontade soberana de Deus, era concedido à nossa alma imaterial conhecer as coisas materiais.

2)O problema do conhecimento torna-se, portanto, crucial e a Filosofia precisa começar pelo exame da capacidade humana de conhecer, pelo entendimento ou sujeito do conhecimento. A teoria do conhecimento volta-se para a relação entre o pensamento e as coisas, a consciência (interior) e a realidade (exterior), o entendimento e a realidade; em suma, o sujeito e o objeto do conhecimento.
Os dois filósofos que iniciam o exame da capacidade humana para o erro e a verdade são o inglês Francis Bacon e o francês René Descartes. O filósofo que propõe, pela primeira vez, uma teoria do conhecimento propriamente dita é o inglês John Locke. A partir do século XVII, portanto, a teoria do conhecimento torna-se uma disciplina central da Filosofia.

3)Sujeito e objeto

4)Antes de abordar o conhecimento verdadeiro, Bacon e Descartes examinaram exaustivamente as causas e as formas do erro, inaugurando um estilo filosófico que permanecerá na Filosofia, isto é, a análise dos preconceitos e do senso comum.
Bacon elaborou uma teoria conhecida como a crítica dos ídolos (a palavra ídolo vem do grego eidolon e significa imagem). Descartes, como já mencionamos, elaborou um método de análise conhecido como dúvida metódica. De acordo com Bacon, existem quatro tipos de ídolos ou de imagens que formam opiniões cristalizadas e preconceitos, que impedem o conhecimento da verdade.

5)O Método indutivo parte do particular para o universal já o dedutivo parte do universal para o particular.EX:todo homem é mortal .kariny é humana;portanto kariny é mortal.

6)Nós seres humanos nascemos sem conhecimento;com o tempo é q vamos adquirindo.EX:Quando nascemos nao sabemos falar;aprendemos com o tempo.

7)PARA Descartes a fonte do conhecimento é a RAZAO.EX:o ser humano nasce com ideias inatas q ira desenvolve-las no decorrer do tempo.

8)Dúvida metodica é metodo de analise;Descartes com esse metodo vai combater o erro.ele usava a duvida para filosofia.

9).No Racionalismo a fonte do conhecimento é a razao;e o empirismo é uma experiencia sensível.

10).Meu posicionamento é racionalismo pois nada melhor que a razao para conhecer as diversas coisas existentes no mundo.Nós conhecemos as coisas pela a RAZAO.

yuri disse...

1ª) 1. Como, sendo seres decaídos e pervertidos, podemos conhecer a verdade? 2. Sendo nossa natureza dupla (matéria e espírito), como nossa inteligência pode conhecer o que é diferente dela? Isto é, como seres corporais podem conhecer o incorporal (Deus) e como seres dotados de alma incorpórea podem conhecer o corpóreo (mundo)? 3. Os filósofos antigos consideravam que éramos entes participantes de todas as formas de realidade: por nosso corpo, participamos da Natureza; por nossa alma, participamos da Inteligência divina.
2ª)Como, sendo seres decaídos e pervertidos, podemos conhecer a verdade?. Sendo nossa natureza dupla (matéria e espírito), como nossa inteligência pode conhecer o que é diferente dela? Isto é, como seres corporais podem conhecer o incorporal (Deus) e como seres dotados de alma incorpórea podem conhecer o corpóreo (mundo)? 3. Os filósofos antigos consideravam que éramos entes participantes de todas as formas de realidade: por nosso corpo, participamos da Natureza; por nossa alma, participamos da Inteligência divina.
3ª)Os filósofos antigos consideravam que éramos entes participantes de todas as formas de realidade: por nosso corpo, participamos da Natureza; por nossa alma, participamos da Inteligência divina. O cristianismo, ao introduzir a noção de pecado original, introduziu a separação radical entre os humanos (pervertidos e finitos) e a divindade (perfeita e infinita).
4ª).Bacon elaborou uma teoria conhecida como crítica do ídolo e descartes criou um metodo de análise conhecido como duvida metódica.Existem 4 tipos de ídolos:1-idolos da caverna;opnioes que se formam em nós por erros e defeitos de nossos órgaos de sentidos.2Foŕum:sao as opnioes q se formam em nós por consequencia da linguagem.3-Sao as opnioes formadas em nós em decorrencia das autoridades.4-Tribo:Sao as opnioes q se formam em nós em decorrencia de nossa natureza humana;esses ídolo sao proprios da espécie humana.
5ª)O Método indutivo parte do particular para o universal já o dedutivo parte do universal para o particular.EX:todo homem é mortal .kariny é humana;portanto kariny é mortal.
6ª)Nós seres humanos nascemos sem conhecimento;com o tempo é q vamos adquirindo.EX:Quando nascemos nao sabemos falar;aprendemos com o tempo.
7ª)PARA Descartes a fonte do conhecimento é a RAZAO.EX:o ser humano nasce com ideias inatas q ira desenvolve-las no decorrer do tempo.
8ª) É metodo de analise;Descartes com esse metodo vai combater o erro.ele usava a duvida para filosofia.
9ª)Racionalismo:A fonte do conhecimento é a razão.
Empirismo:É uma experiencia sensível.
10ª)

aluno: YURI COSTA DOS SANTOS, ELIEZER DE FREITAS GUIMARÃES, 2º ANO E. Nº49

yuri disse...

1. O cristianismo fez distinção entre fé e razão, verdades reveladas e verdades racionais, matéria e espírito, corpo e alma; afirmou que o erro e a ilusão são parte da natureza humana em decorrência do caráter pervertido de nossa vontade, após o pecado original. Em conseqüência, a Filosofia precisou enfrentar três problemas novos. Quais os três problemas que a filosofia moderna precisou enfrentar com relação ao problema do conhecimento?

R:Como, sendo seres decaídos e pervertidos, podemos conhecer a verdade? 2. Sendo nossa natureza dupla (matéria e espírito), como nossa inteligência pode conhecer o que é diferente dela? Isto é, como seres corporais podem conhecer o incorporal (Deus) e como seres dotados de alma incorpórea podem conhecer o corpóreo (mundo)? 3. Os filósofos antigos consideravam que éramos entes participantes de todas as formas de realidade: por nosso corpo, participamos da Natureza; por nossa alma, participamos da Inteligência divina.

2. Quando o conhecimento se torna um problema propriamente dito para a Filosofia? Quem é o filósofo que inicia essa investigação das condições de possibilidade do conhecimento?

A palavra ser em português, traduz a palavra latina esse e a expressão grega ta onta. A palavra latina esse é o infinitivo de um verbo, o verbo ser. A expressão grega ta onta quer dizer: as coisas existentes, os entes, os seres. No singular, ta onta se diz to on, que é traduzida por: o ser. Os primeiros filósofos ocupavam-se com a origem e a ordem do mundo, o kosmos, e a filosofia nascente era uma cosmologia. Pouco a pouco, passou-se a indagar o que era o próprio kosmos, qual era o fundo eterno e imutável que permanecia sob a multiplicidade e transformação das coisas. Qual era e o que era o ser subjacente a todos os seres. Com isto, a filosofia nascente tornou-se ontologia, isto é, conhecimento ou saber sobre o ser.

3. Para que haja conhecimento é preciso uma relação entre dois elementos, quais são eles? Explique como se dá essa relação.

Sujeito e objeto

4. Os filósofos modernos, na investigação do conhecimento, querem evitar o erro. São eles Bacon e Descartes. Como eles fazem para evitar o erro e ter certeza de conhecer a verdade?

Bacon faz a critica aos idolos
Descartes, como já mencionamos, elaborou um método de análise conhecido como dúvida metódica.

5. Explique a diferença entre o método indutivo e o dedutivo. Dê exemplos.
R:O Método indutivo parte do particular para o universal já o dedutivo parte do universal para o particular.EX:todo homem é mortal .kariny é humana;portanto kariny é mortal.

6. De acordo com Locke, qual seria a origem do conhecimento? Dê exemplos.
R:Nós seres humanos nascemos sem conhecimento;com o tempo é q vamos adquirindo.EX:Quando nascemos nao sabemos falar;aprendemos com o tempo.

7:PARA Descartes a fonte do conhecimento é a RAZAO.EX:o ser humano nasce com ideias inatas q ira desenvolve-las no decorrer do tempo.

8.Dúvida metodica é metodo de analise;Descartes com esse metodo vai combater o erro.ele usava a duvida para filosofia.

9.No Racionalismo a fonte do conhecimento é a razao;e o empirismo é uma experiencia sensível.

10.Meu posicionamento é racionalismo pois nada melhor que a razao para conhecer as diversas coisas existentes no mundo.Nós conhecemos as coisas pela a RAZAO.

aluna: DRIELLY GREICY ARAUJO DA COSTA , 2ºano E tarde Eliezer de freitas Guimarães

leidiane r. n. 2ºano E disse...

1) 1. Como, sendo seres decaídos e pervertidos, podemos conhecer a verdade?
2. Sendo nossa natureza dupla (matéria e espírito), como nossa inteligência pode conhecer o que é diferente dela? Isto é, como seres corporais podem conhecer o incorporal (Deus) e como seres dotados de alma incorpórea podem conhecer o corpóreo (mundo)?
3. Os filósofos antigos consideravam que éramos entes participantes de todas as formas de realidade: por nosso corpo, participamos da Natureza; por nossa alma, participamos da Inteligência divina. O cristianismo, ao introduzir a noção de pecado original, introduziu a separação radical entre os humanos (pervertidos e finitos) e a divindade (perfeita e infinita). Com isso, fez surgir a pergunta: como o finito (humano) pode conhecer a verdade (infinita e divina)?
Eis porque, durante toda a Idade Média, a fé tornou-se central para a Filosofia, pois era através dela que essas perguntas eram respondidas. Auxiliada pela graça divina, a fé iluminava nosso intelecto e guiava nossa vontade, permitindo à nossa razão o conhecimento do que está ao seu alcance, ao mesmo tempo em que nossaalma recebia os mistérios da revelação. A fé nos fazia saber (mesmo que não pudéssemos compreender como isso era possível) que, pela vontade soberana de Deus, era concedido à nossa alma imaterial conhecer as coisas materiais.

2)O problema do conhecimento torna-se, portanto, crucial e a Filosofia precisa começar pelo exame da capacidade humana de conhecer, pelo entendimento ou sujeito do conhecimento. A teoria do conhecimento volta-se para a relação entre o pensamento e as coisas, a consciência (interior) e a realidade (exterior), o entendimento e a realidade; em suma, o sujeito e o objeto do conhecimento.
Os dois filósofos que iniciam o exame da capacidade humana para o erro e a verdade são o inglês Francis Bacon e o francês René Descartes. O filósofo que propõe, pela primeira vez, uma teoria do conhecimento propriamente dita é o inglês John Locke. A partir do século XVII, portanto, a teoria do conhecimento torna-se uma disciplina central da Filosofia.

3)Sujeito e objeto

4)Antes de abordar o conhecimento verdadeiro, Bacon e Descartes examinaram exaustivamente as causas e as formas do erro, inaugurando um estilo filosófico que permanecerá na Filosofia, isto é, a análise dos preconceitos e do senso comum.
Bacon elaborou uma teoria conhecida como a crítica dos ídolos (a palavra ídolo vem do grego eidolon e significa imagem). Descartes, como já mencionamos, elaborou um método de análise conhecido como dúvida metódica. De acordo com Bacon, existem quatro tipos de ídolos ou de imagens que formam opiniões cristalizadas e preconceitos, que impedem o conhecimento da verdade.

5)O Método indutivo parte do particular para o universal já o dedutivo parte do universal para o particular.EX:todo homem é mortal .kariny é humana;portanto kariny é mortal.

6)Nós seres humanos nascemos sem conhecimento;com o tempo é q vamos adquirindo.EX:Quando nascemos nao sabemos falar;aprendemos com o tempo.

7)PARA Descartes a fonte do conhecimento é a RAZAO.EX:o ser humano nasce com ideias inatas q ira desenvolve-las no decorrer do tempo.

8)Dúvida metodica é metodo de analise;Descartes com esse metodo vai combater o erro.ele usava a duvida para filosofia.

9.No Racionalismo a fonte do conhecimento é a razao;e o empirismo é uma experiencia sensível.

10.Meu posicionamento é racionalismo pois nada melhor que a razao para conhecer as diversas coisas existentes no mundo.Nós conhecemos as coisas pela a RAZAO.

yuri disse...

1. O cristianismo fez distinção entre fé e razão, verdades reveladas e verdades racionais, matéria e espírito, corpo e alma; afirmou que o erro e a ilusão são parte da natureza humana em decorrência do caráter pervertido de nossa vontade, após o pecado original. Em conseqüência, a Filosofia precisou enfrentar três problemas novos. Quais os três problemas que a filosofia moderna precisou enfrentar com relação ao problema do conhecimento?

R:Como, sendo seres decaídos e pervertidos, podemos conhecer a verdade? 2. Sendo nossa natureza dupla (matéria e espírito), como nossa inteligência pode conhecer o que é diferente dela? Isto é, como seres corporais podem conhecer o incorporal (Deus) e como seres dotados de alma incorpórea podem conhecer o corpóreo (mundo)? 3. Os filósofos antigos consideravam que éramos entes participantes de todas as formas de realidade: por nosso corpo, participamos da Natureza; por nossa alma, participamos da Inteligência divina.

2. Quando o conhecimento se torna um problema propriamente dito para a Filosofia? Quem é o filósofo que inicia essa investigação das condições de possibilidade do conhecimento?

A palavra ser em português, traduz a palavra latina esse e a expressão grega ta onta. A palavra latina esse é o infinitivo de um verbo, o verbo ser. A expressão grega ta onta quer dizer: as coisas existentes, os entes, os seres. No singular, ta onta se diz to on, que é traduzida por: o ser. Os primeiros filósofos ocupavam-se com a origem e a ordem do mundo, o kosmos, e a filosofia nascente era uma cosmologia. Pouco a pouco, passou-se a indagar o que era o próprio kosmos, qual era o fundo eterno e imutável que permanecia sob a multiplicidade e transformação das coisas. Qual era e o que era o ser subjacente a todos os seres. Com isto, a filosofia nascente tornou-se ontologia, isto é, conhecimento ou saber sobre o ser.

3. Para que haja conhecimento é preciso uma relação entre dois elementos, quais são eles? Explique como se dá essa relação.

Sujeito e objeto

4. Os filósofos modernos, na investigação do conhecimento, querem evitar o erro. São eles Bacon e Descartes. Como eles fazem para evitar o erro e ter certeza de conhecer a verdade?

Bacon faz a critica aos idolos
Descartes, como já mencionamos, elaborou um método de análise conhecido como dúvida metódica.

5. Explique a diferença entre o método indutivo e o dedutivo. Dê exemplos.
R:O Método indutivo parte do particular para o universal já o dedutivo parte do universal para o particular.EX:todo homem é mortal .kariny é humana;portanto kariny é mortal.

6. De acordo com Locke, qual seria a origem do conhecimento? Dê exemplos.
R:Nós seres humanos nascemos sem conhecimento;com o tempo é q vamos adquirindo.EX:Quando nascemos nao sabemos falar;aprendemos com o tempo.

7:PARA Descartes a fonte do conhecimento é a RAZAO.EX:o ser humano nasce com ideias inatas q ira desenvolve-las no decorrer do tempo.

8.Dúvida metodica é metodo de analise;Descartes com esse metodo vai combater o erro.ele usava a duvida para filosofia.

9.No Racionalismo a fonte do conhecimento é a razao;e o empirismo é uma experiencia sensível.

10.Meu posicionamento é racionalismo pois nada melhor que a razao para conhecer as diversas coisas existentes no mundo.Nós conhecemos as coisas pela a RAZAO.

ALUNA : Cintia Fideles , 2º ano E Eliezer de freitas Guimarães

camilla botelho 2ano"E" disse...

1ª) 1. Como, sendo seres decaídos e pervertidos, podemos conhecer a verdade? 2. Sendo nossa natureza dupla (matéria e espírito), como nossa inteligência pode conhecer o que é diferente dela? Isto é, como seres corporais podem conhecer o incorporal (Deus) e como seres dotados de alma incorpórea podem conhecer o corpóreo (mundo)? 3. Os filósofos antigos consideravam que éramos entes participantes de todas as formas de realidade: por nosso corpo, participamos da Natureza; por nossa alma, participamos da Inteligência divina.
2ª)Como, sendo seres decaídos e pervertidos, podemos conhecer a verdade?. Sendo nossa natureza dupla (matéria e espírito), como nossa inteligência pode conhecer o que é diferente dela? Isto é, como seres corporais podem conhecer o incorporal (Deus) e como seres dotados de alma incorpórea podem conhecer o corpóreo (mundo)? 3. Os filósofos antigos consideravam que éramos entes participantes de todas as formas de realidade: por nosso corpo, participamos da Natureza; por nossa alma, participamos da Inteligência divina.
3ª)Os filósofos antigos consideravam que éramos entes participantes de todas as formas de realidade: por nosso corpo, participamos da Natureza; por nossa alma, participamos da Inteligência divina. O cristianismo, ao introduzir a noção de pecado original, introduziu a separação radical entre os humanos (pervertidos e finitos) e a divindade (perfeita e infinita).
4ª).Bacon elaborou uma teoria conhecida como crítica do ídolo e descartes criou um metodo de análise conhecido como duvida metódica.Existem 4 tipos de ídolos:1-idolos da caverna;opnioes que se formam em nós por erros e defeitos de nossos órgaos de sentidos.2Foŕum:sao as opnioes q se formam em nós por consequencia da linguagem.3-Sao as opnioes formadas em nós em decorrencia das autoridades.4-Tribo:Sao as opnioes q se formam em nós em decorrencia de nossa natureza humana;esses ídolo sao proprios da espécie humana.
5ª)O Método indutivo parte do particular para o universal já o dedutivo parte do universal para o particular.EX:todo homem é mortal .kariny é humana;portanto kariny é mortal.
6ª)Nós seres humanos nascemos sem conhecimento;com o tempo é q vamos adquirindo.EX:Quando nascemos nao sabemos falar;aprendemos com o tempo.
7ª)PARA Descartes a fonte do conhecimento é a RAZAO.EX:o ser humano nasce com ideias inatas q ira desenvolve-las no decorrer do tempo.
8ª) É metodo de analise;Descartes com esse metodo vai combater o erro.ele usava a duvida para filosofia.
9ª)Racionalismo:A fonte do conhecimento é a razão.
10ª) Empirismo:É uma experiencia sensível.

yuri disse...

1. O cristianismo fez distinção entre fé e razão, verdades reveladas e verdades racionais, matéria e espírito, corpo e alma; afirmou que o erro e a ilusão são parte da natureza humana em decorrência do caráter pervertido de nossa vontade, após o pecado original. Em conseqüência, a Filosofia precisou enfrentar três problemas novos. Quais os três problemas que a filosofia moderna precisou enfrentar com relação ao problema do conhecimento?

R:Como, sendo seres decaídos e pervertidos, podemos conhecer a verdade? 2. Sendo nossa natureza dupla (matéria e espírito), como nossa inteligência pode conhecer o que é diferente dela? Isto é, como seres corporais podem conhecer o incorporal (Deus) e como seres dotados de alma incorpórea podem conhecer o corpóreo (mundo)? 3. Os filósofos antigos consideravam que éramos entes participantes de todas as formas de realidade: por nosso corpo, participamos da Natureza; por nossa alma, participamos da Inteligência divina.

2. Quando o conhecimento se torna um problema propriamente dito para a Filosofia? Quem é o filósofo que inicia essa investigação das condições de possibilidade do conhecimento?

A palavra ser em português, traduz a palavra latina esse e a expressão grega ta onta. A palavra latina esse é o infinitivo de um verbo, o verbo ser. A expressão grega ta onta quer dizer: as coisas existentes, os entes, os seres. No singular, ta onta se diz to on, que é traduzida por: o ser. Os primeiros filósofos ocupavam-se com a origem e a ordem do mundo, o kosmos, e a filosofia nascente era uma cosmologia. Pouco a pouco, passou-se a indagar o que era o próprio kosmos, qual era o fundo eterno e imutável que permanecia sob a multiplicidade e transformação das coisas. Qual era e o que era o ser subjacente a todos os seres. Com isto, a filosofia nascente tornou-se ontologia, isto é, conhecimento ou saber sobre o ser.

3. Para que haja conhecimento é preciso uma relação entre dois elementos, quais são eles? Explique como se dá essa relação.

Sujeito e objeto

4. Os filósofos modernos, na investigação do conhecimento, querem evitar o erro. São eles Bacon e Descartes. Como eles fazem para evitar o erro e ter certeza de conhecer a verdade?

Bacon faz a critica aos idolos
Descartes, como já mencionamos, elaborou um método de análise conhecido como dúvida metódica.

5. Explique a diferença entre o método indutivo e o dedutivo. Dê exemplos.
R:O Método indutivo parte do particular para o universal já o dedutivo parte do universal para o particular.EX:todo homem é mortal .kariny é humana;portanto kariny é mortal.

6. De acordo com Locke, qual seria a origem do conhecimento? Dê exemplos.
R:Nós seres humanos nascemos sem conhecimento;com o tempo é q vamos adquirindo.EX:Quando nascemos nao sabemos falar;aprendemos com o tempo.

7:PARA Descartes a fonte do conhecimento é a RAZAO.EX:o ser humano nasce com ideias inatas q ira desenvolve-las no decorrer do tempo.

8.Dúvida metodica é metodo de analise;Descartes com esse metodo vai combater o erro.ele usava a duvida para filosofia.

9.No Racionalismo a fonte do conhecimento é a razao;e o empirismo é uma experiencia sensível.

10.Meu posicionamento é racionalismo pois nada melhor que a razao para conhecer as diversas coisas existentes no mundo.Nós conhecemos as coisas pela a RAZAO.

aluno : Diego Manuel Façanha 2º ano E Eliezer

Ana Carolina Aguiar 2°E N°02 disse...

1)1. Como, sendo seres decaídos e pervertidos, podemos conhecer a verdade?
2. Sendo nossa natureza dupla (matéria e espírito), como nossa inteligência pode conhecer o que é diferente dela? Isto é, como seres corporais podem ¿conhecer o incorporal (Deus) e como seres dotados de alma incorpórea podem conhecer o corpóreo (mundo)?
3. Os filósofos antigos consideravam que éramos entes participantes de todas as formas de realidade: por nosso corpo, participamos da Natureza; por nossa alma, participamos da Inteligência divina. O cristianismo, ao introduzir a noção de pecado original, introduziu a separação radical entre os humanos (pervertidos e finitos) e a divindade (perfeita e infinita). Com isso, fez surgir a pergunta: como o finito (humano) pode conhecer a verdade (infinita e divina)?
Eis porque, durante toda a Idade Média, a fé tornou-se central para a Filosofia, pois era através dela que essas perguntas eram respondidas. Auxiliada pela graça divina, a fé iluminava nosso intelecto e guiava nossa vontade, permitindo à nossa razão o conhecimento do que está ao seu alcance, ao mesmo tempo em que nossaalma recebia os mistérios da revelação. A fé nos fazia saber (mesmo que não pudéssemos compreender como isso era possível) que, pela vontade soberana de Deus, era concedido à nossa alma imaterial conhecer as coisas materiais.

2)O problema do conhecimento torna-se, portanto, crucial e a Filosofia precisa começar pelo exame da capacidade humana de conhecer, pelo entendimento ou sujeito do conhecimento. A teoria do conhecimento volta-se para a relação entre o pensamento e as coisas, a consciência (interior) e a realidade (exterior), o entendimento e a realidade; em suma, o sujeito e o objeto do conhecimento.
Os dois filósofos que iniciam o exame da capacidade humana para o erro e a verdade são o inglês Francis Bacon e o francês René Descartes. O filósofo que propõe, pela primeira vez, uma teoria do conhecimento propriamente dita é o inglês John Locke. A partir do século XVII, portanto, a teoria do conhecimento torna-se uma disciplina central da Filosofia.

3)Sujeito e objeto.

4)Antes de abordar o conhecimento verdadeiro, Bacon e Descartes examinaram exaustivamente as causas e as formas do erro, inaugurando um estilo filosófico que permanecerá na Filosofia, isto é, a análise dos preconceitos e do senso comum.
Bacon elaborou uma teoria conhecida como a crítica dos ídolos (a palavra ídolo vem do grego eidolon e significa imagem). Descartes, como já mencionamos, elaborou um método de análise conhecido como dúvida metódica. De acordo com Bacon, existem quatro tipos de ídolos ou de imagens que formam opiniões cristalizadas e preconceitos, que impedem o conhecimento da verdade.

5)O Método indutivo parte do particular para o universal já o dedutivo parte do universal para o particular.EX:todo homem é mortal .kariny é humana;portanto kariny é mortal.

6)Nós seres humanos nascemos sem conhecimento;com o tempo é q vamos adquirindo.EX:Quando nascemos nao sabemos falar;aprendemos com o tempo.

7)PARA Descartes a fonte do conhecimento é a RAZAO.EX:o ser humano nasce com ideias inatas q ira desenvolve-las no decorrer do tempo.

8)Dúvida metodica é metodo de analise;Descartes com esse metodo vai combater o erro.ele usava a duvida para filosofia.

9).No Racionalismo a fonte do conhecimento é a razao;e o empirismo é uma experiencia sensível.

10).Meu posicionamento é racionalismo pois nada melhor que a razao para conhecer as diversas coisas existentes no mundo.Nós conhecemos as coisas pela a RAZAO.

raquel 2º E (TARDE) disse...

1. O cristianismo fez distinção entre fé e razão, verdades reveladas e verdades racionais, matéria e espírito, corpo e alma; afirmou que o erro e a ilusão são parte da natureza humana em decorrência do caráter pervertido de nossa vontade, após o pecado original. Em conseqüência, a Filosofia precisou enfrentar três problemas novos. Quais os três problemas que a filosofia moderna precisou enfrentar com relação ao problema do conhecimento?

R:Como, sendo seres decaídos e pervertidos, podemos conhecer a verdade? 2. Sendo nossa natureza dupla (matéria e espírito), como nossa inteligência pode conhecer o que é diferente dela? Isto é, como seres corporais podem conhecer o incorporal (Deus) e como seres dotados de alma incorpórea podem conhecer o corpóreo (mundo)? 3. Os filósofos antigos consideravam que éramos entes participantes de todas as formas de realidade: por nosso corpo, participamos da Natureza; por nossa alma, participamos da Inteligência divina.

2. Quando o conhecimento se torna um problema propriamente dito para a Filosofia? Quem é o filósofo que inicia essa investigação das condições de possibilidade do conhecimento?

A palavra ser em português, traduz a palavra latina esse e a expressão grega ta onta. A palavra latina esse é o infinitivo de um verbo, o verbo ser. A expressão grega ta onta quer dizer: as coisas existentes, os entes, os seres. No singular, ta onta se diz to on, que é traduzida por: o ser. Os primeiros filósofos ocupavam-se com a origem e a ordem do mundo, o kosmos, e a filosofia nascente era uma cosmologia. Pouco a pouco, passou-se a indagar o que era o próprio kosmos, qual era o fundo eterno e imutável que permanecia sob a multiplicidade e transformação das coisas. Qual era e o que era o ser subjacente a todos os seres. Com isto, a filosofia nascente tornou-se ontologia, isto é, conhecimento ou saber sobre o ser.

3. Para que haja conhecimento é preciso uma relação entre dois elementos, quais são eles? Explique como se dá essa relação.

Sujeito e objeto

4. Os filósofos modernos, na investigação do conhecimento, querem evitar o erro. São eles Bacon e Descartes. Como eles fazem para evitar o erro e ter certeza de conhecer a verdade?

Bacon faz a critica aos idolos
Descartes, como já mencionamos, elaborou um método de análise conhecido como dúvida metódica.

5. Explique a diferença entre o método indutivo e o dedutivo. Dê exemplos.
R:O Método indutivo parte do particular para o universal já o dedutivo parte do universal para o particular.EX:todo homem é mortal .kariny é humana;portanto kariny é mortal.

6. De acordo com Locke, qual seria a origem do conhecimento? Dê exemplos.
R:Nós seres humanos nascemos sem conhecimento;com o tempo é q vamos adquirindo.EX:Quando nascemos nao sabemos falar;aprendemos com o tempo.

7:PARA Descartes a fonte do conhecimento é a RAZAO.EX:o ser humano nasce com ideias inatas q ira desenvolve-las no decorrer do tempo.

8.Dúvida metodica é metodo de analise;Descartes com esse metodo vai combater o erro.ele usava a duvida para filosofia.

9.No Racionalismo a fonte do conhecimento é a razao;e o empirismo é uma experiencia sensível.
10.Meu posicionamento é racionalismo pois nada melhor que a razao para conhecer as diversas coisas existentes no mundo.Nós conhecemos as coisas pela a RAZAO.

yuri disse...

1. O cristianismo fez distinção entre fé e razão, verdades reveladas e verdades racionais, matéria e espírito, corpo e alma; afirmou que o erro e a ilusão são parte da natureza humana em decorrência do caráter pervertido de nossa vontade, após o pecado original. Em conseqüência, a Filosofia precisou enfrentar três problemas novos. Quais os três problemas que a filosofia moderna precisou enfrentar com relação ao problema do conhecimento?

R:Como, sendo seres decaídos e pervertidos, podemos conhecer a verdade? 2. Sendo nossa natureza dupla (matéria e espírito), como nossa inteligência pode conhecer o que é diferente dela? Isto é, como seres corporais podem conhecer o incorporal (Deus) e como seres dotados de alma incorpórea podem conhecer o corpóreo (mundo)? 3. Os filósofos antigos consideravam que éramos entes participantes de todas as formas de realidade: por nosso corpo, participamos da Natureza; por nossa alma, participamos da Inteligência divina.

2. Quando o conhecimento se torna um problema propriamente dito para a Filosofia? Quem é o filósofo que inicia essa investigação das condições de possibilidade do conhecimento?

A palavra ser em português, traduz a palavra latina esse e a expressão grega ta onta. A palavra latina esse é o infinitivo de um verbo, o verbo ser. A expressão grega ta onta quer dizer: as coisas existentes, os entes, os seres. No singular, ta onta se diz to on, que é traduzida por: o ser. Os primeiros filósofos ocupavam-se com a origem e a ordem do mundo, o kosmos, e a filosofia nascente era uma cosmologia. Pouco a pouco, passou-se a indagar o que era o próprio kosmos, qual era o fundo eterno e imutável que permanecia sob a multiplicidade e transformação das coisas. Qual era e o que era o ser subjacente a todos os seres. Com isto, a filosofia nascente tornou-se ontologia, isto é, conhecimento ou saber sobre o ser.

3. Para que haja conhecimento é preciso uma relação entre dois elementos, quais são eles? Explique como se dá essa relação.

Sujeito e objeto

4. Os filósofos modernos, na investigação do conhecimento, querem evitar o erro. São eles Bacon e Descartes. Como eles fazem para evitar o erro e ter certeza de conhecer a verdade?

Bacon faz a critica aos idolos
Descartes, como já mencionamos, elaborou um método de análise conhecido como dúvida metódica.

5. Explique a diferença entre o método indutivo e o dedutivo. Dê exemplos.
R:O Método indutivo parte do particular para o universal já o dedutivo parte do universal para o particular.EX:todo homem é mortal .kariny é humana;portanto kariny é mortal.

6. De acordo com Locke, qual seria a origem do conhecimento? Dê exemplos.
R:Nós seres humanos nascemos sem conhecimento;com o tempo é q vamos adquirindo.EX:Quando nascemos nao sabemos falar;aprendemos com o tempo.

7:PARA Descartes a fonte do conhecimento é a RAZAO.EX:o ser humano nasce com ideias inatas q ira desenvolve-las no decorrer do tempo.

8.Dúvida metodica é metodo de analise;Descartes com esse metodo vai combater o erro.ele usava a duvida para filosofia.

9.No Racionalismo a fonte do conhecimento é a razao;e o empirismo é uma experiencia sensível.

10.Meu posicionamento é racionalismo pois nada melhor que a razao para conhecer as diversas coisas existentes no mundo.Nós conhecemos as coisas pela a RAZAO.

ALUNO: Ségio Breno de Oliveira Melo 2ºano E , Eliezer

karoline pereira 2ano"E" disse...

1ª) 1. Como, sendo seres decaídos e pervertidos, podemos conhecer a verdade? 2. Sendo nossa natureza dupla (matéria e espírito), como nossa inteligência pode conhecer o que é diferente dela? Isto é, como seres corporais podem conhecer o incorporal (Deus) e como seres dotados de alma incorpórea podem conhecer o corpóreo (mundo)? 3. Os filósofos antigos consideravam que éramos entes participantes de todas as formas de realidade: por nosso corpo, participamos da Natureza; por nossa alma, participamos da Inteligência divina.
2ª)Como, sendo seres decaídos e pervertidos, podemos conhecer a verdade?. Sendo nossa natureza dupla (matéria e espírito), como nossa inteligência pode conhecer o que é diferente dela? Isto é, como seres corporais podem conhecer o incorporal (Deus) e como seres dotados de alma incorpórea podem conhecer o corpóreo (mundo)? 3. Os filósofos antigos consideravam que éramos entes participantes de todas as formas de realidade: por nosso corpo, participamos da Natureza; por nossa alma, participamos da Inteligência divina.
3ª)Os filósofos antigos consideravam que éramos entes participantes de todas as formas de realidade: por nosso corpo, participamos da Natureza; por nossa alma, participamos da Inteligência divina. O cristianismo, ao introduzir a noção de pecado original, introduziu a separação radical entre os humanos (pervertidos e finitos) e a divindade (perfeita e infinita).
4ª).Bacon elaborou uma teoria conhecida como crítica do ídolo e descartes criou um metodo de análise conhecido como duvida metódica.Existem 4 tipos de ídolos:1-idolos da caverna;opnioes que se formam em nós por erros e defeitos de nossos órgaos de sentidos.2Foŕum:sao as opnioes q se formam em nós por consequencia da linguagem.3-Sao as opnioes formadas em nós em decorrencia das autoridades.4-Tribo:Sao as opnioes q se formam em nós em decorrencia de nossa natureza humana;esses ídolo sao proprios da espécie humana.
5ª)O Método indutivo parte do particular para o universal já o dedutivo parte do universal para o particular.EX:todo homem é mortal .kariny é humana;portanto kariny é mortal.
6ª)Nós seres humanos nascemos sem conhecimento;com o tempo é q vamos adquirindo.EX:Quando nascemos nao sabemos falar;aprendemos com o tempo.
7ª)PARA Descartes a fonte do conhecimento é a RAZAO.EX:o ser humano nasce com ideias inatas q ira desenvolve-las no decorrer do tempo.
8ª) É metodo de analise;Descartes com esse metodo vai combater o erro.ele usava a duvida para filosofia.
9ª)Racionalismo:A fonte do conhecimento é a razão.
10ª)Empirismo:É uma experiencia sensível.

Débora 2º Ano "E" disse...

1. O cristianismo fez distinção entre fé e razão, verdades reveladas e verdades racionais, matéria e espírito, corpo e alma; afirmou que o erro e a ilusão são parte da natureza humana em decorrência do caráter pervertido de nossa vontade, após o pecado original. Em conseqüência, a Filosofia precisou enfrentar três problemas novos.

2.A palavra ser em português, traduz a palavra latina esse e a expressão grega ta onta. A palavra latina esse é o infinitivo de um verbo, o verbo ser. A expressão grega ta onta quer dizer: as coisas existentes, os entes, os seres. No singular, ta onta se diz to on, que é traduzida por: o ser. Os primeiros filósofos ocupavam-se com a origem e a ordem do mundo, o kosmos, e a filosofia nascente era uma cosmologia. Pouco a pouco, passou-se a indagar o que era o próprio kosmos, qual era o fundo eterno e imutável que permanecia sob a multiplicidade e transformação das coisas.

3.para que aja um conhecimento tanto para se aprofundar como para se questionar no mundo em que vivemos.

4..Bacon elaborou uma teoria conhecida como crítica do ídolo e descartes criou um metodo de análise conhecido como duvida metódica.Existem 4 tipos de ídolos:1-idolos da caverna;opnioes que se formam em nós por erros e defeitos de nossos órgaos de sentidos.2Foŕum:sao as opnioes q se formam em nós por consequencia da linguagem.3-Sao as opnioes formadas em nós em decorrencia das autoridades.4-Tribo:Sao as opnioes q se formam em nós em decorrencia de nossa natureza humana;esses ídolo sao proprios da espécie humana.

5.O Método indutivo parte do particular para o universal já o dedutivo parte do universal para o particular.EX:todo homem é mortal .kariny é humana;portanto kariny é mortal.

6..Nós seres humanos nascemos sem conhecimento;com o tempo é q vamos adquirindo.EX:Quando nascemos nao sabemos falar;aprendemos com o tempo.

7.PARA Descartes a fonte do conhecimento é a RAZAO.EX:o ser humano nasce com ideias inatas q ira desenvolve-las no decorrer do tempo.

8.Dúvida metodica é metodo de analise;Descartes com esse metodo vai combater o erro.ele usava a duvida para filosofia.

9.No Racionalismo a fonte do conhecimento é a razao;e o empirismo é uma experiencia sensível.

10.Meu posicionamento é racionalismo pois nada melhor que a razao para conhecer as diversas coisas existentes no mundo.Nós conhecemos as coisas pela a RAZAO.

Luis Fellipe 2°E n°51 disse...

1) 1. Como, sendo seres decaídos e pervertidos, podemos conhecer a verdade?
2. Sendo nossa natureza dupla (matéria e espírito), como nossa inteligência pode conhecer o que é diferente dela? Isto é, como seres corporais podem conhecer o incorporal (Deus) e como seres dotados de alma incorpórea podem conhecer o corpóreo (mundo)?
3. Os filósofos antigos consideravam que éramos entes participantes de todas as formas de realidade: por nosso corpo, participamos da Natureza; por nossa alma, participamos da Inteligência divina. O cristianismo, ao introduzir a noção de pecado original, introduziu a separação radical entre os humanos (pervertidos e finitos) e a divindade (perfeita e infinita). Com isso, fez surgir a pergunta: como o finito (humano) pode conhecer a verdade (infinita e divina)?
Eis porque, durante toda a Idade Média, a fé tornou-se central para a Filosofia, pois era através dela que essas perguntas eram respondidas. Auxiliada pela graça divina, a fé iluminava nosso intelecto e guiava nossa vontade, permitindo à nossa razão o conhecimento do que está ao seu alcance, ao mesmo tempo em que nossaalma recebia os mistérios da revelação. A fé nos fazia saber (mesmo que não pudéssemos compreender como isso era possível) que, pela vontade soberana de Deus, era concedido à nossa alma imaterial conhecer as coisas materiais.

2)O problema do conhecimento torna-se, portanto, crucial e a Filosofia precisa começar pelo exame da capacidade humana de conhecer, pelo entendimento ou sujeito do conhecimento. A teoria do conhecimento volta-se para a relação entre o pensamento e as coisas, a consciência (interior) e a realidade (exterior), o entendimento e a realidade; em suma, o sujeito e o objeto do conhecimento.
Os dois filósofos que iniciam o exame da capacidade humana para o erro e a verdade são o inglês Francis Bacon e o francês René Descartes. O filósofo que propõe, pela primeira vez, uma teoria do conhecimento propriamente dita é o inglês John Locke. A partir do século XVII, portanto, a teoria do conhecimento torna-se uma disciplina central da Filosofia.

3)Sujeito e objeto

4)Antes de abordar o conhecimento verdadeiro, Bacon e Descartes examinaram exaustivamente as causas e as formas do erro, inaugurando um estilo filosófico que permanecerá na Filosofia, isto é, a análise dos preconceitos e do senso comum.
Bacon elaborou uma teoria conhecida como a crítica dos ídolos (a palavra ídolo vem do grego eidolon e significa imagem). Descartes, como já mencionamos, elaborou um método de análise conhecido como dúvida metódica. De acordo com Bacon, existem quatro tipos de ídolos ou de imagens que formam opiniões cristalizadas e preconceitos, que impedem o conhecimento da verdade.

5)O Método indutivo parte do particular para o universal já o dedutivo parte do universal para o particular.EX:todo homem é mortal .kariny é humana;portanto kariny é mortal.

6)Nós seres humanos nascemos sem conhecimento;com o tempo é q vamos adquirindo.EX:Quando nascemos nao sabemos falar;aprendemos com o tempo.

7)PARA Descartes a fonte do conhecimento é a RAZAO.EX:o ser humano nasce com ideias inatas q ira desenvolve-las no decorrer do tempo.

8)Dúvida metodica é metodo de analise;Descartes com esse metodo vai combater o erro.ele usava a duvida para filosofia.

9).No Racionalismo a fonte do conhecimento é a razao;e o empirismo é uma experiencia sensível.

10).Meu posicionamento é racionalismo pois nada melhor que a razao para conhecer as diversas coisas existentes no mundo.Nós conhecemos as coisas pela a RAZAO.

Erica 2ºano E disse...

1. O cristianismo fez distinção entre fé e razão, verdades reveladas e verdades racionais, matéria e espírito, corpo e alma; afirmou que o erro e a ilusão são parte da natureza humana em decorrência do caráter pervertido de nossa vontade, após o pecado original. Em conseqüência, a Filosofia precisou enfrentar três problemas novos.

2.A palavra ser em português, traduz a palavra latina esse e a expressão grega ta onta. A palavra latina esse é o infinitivo de um verbo, o verbo ser. A expressão grega ta onta quer dizer: as coisas existentes, os entes, os seres. No singular, ta onta se diz to on, que é traduzida por: o ser. Os primeiros filósofos ocupavam-se com a origem e a ordem do mundo, o kosmos, e a filosofia nascente era uma cosmologia. Pouco a pouco, passou-se a indagar o que era o próprio kosmos, qual era o fundo eterno e imutável que permanecia sob a multiplicidade e transformação das coisas.

3.para que aja um conhecimento tanto para se aprofundar como para se questionar no mundo em que vivemos.

4..Bacon elaborou uma teoria conhecida como crítica do ídolo e descartes criou um metodo de análise conhecido como duvida metódica.Existem 4 tipos de ídolos:1-idolos da caverna;opnioes que se formam em nós por erros e defeitos de nossos órgaos de sentidos.2Foŕum:sao as opnioes q se formam em nós por consequencia da linguagem.3-Sao as opnioes formadas em nós em decorrencia das autoridades.4-Tribo:Sao as opnioes q se formam em nós em decorrencia de nossa natureza humana;esses ídolo sao proprios da espécie humana.

5.O Método indutivo parte do particular para o universal já o dedutivo parte do universal para o particular.EX:todo homem é mortal .kariny é humana;portanto kariny é mortal.

6..Nós seres humanos nascemos sem conhecimento;com o tempo é q vamos adquirindo.EX:Quando nascemos nao sabemos falar;aprendemos com o tempo.

7.PARA Descartes a fonte do conhecimento é a RAZAO.EX:o ser humano nasce com ideias inatas q ira desenvolve-las no decorrer do tempo.

8.Dúvida metodica é metodo de analise;Descartes com esse metodo vai combater o erro.ele usava a duvida para filosofia.

9.No Racionalismo a fonte do conhecimento é a razao;e o empirismo é uma experiencia sensível.

10.Meu posicionamento é racionalismo pois nada melhor que a razao para conhecer as diversas coisas existentes no mundo.Nós conhecemos as coisas pela a RAZAO.

Yago luiz 2°E n°48 disse...

1) 1. Como, sendo seres decaídos e pervertidos, podemos conhecer a verdade?
2. Sendo nossa natureza dupla (matéria e espírito), como nossa inteligência pode conhecer o que é diferente dela? Isto é, como seres corporais podem conhecer o incorporal (Deus) e como seres dotados de alma incorpórea podem conhecer o corpóreo (mundo)?
3. Os filósofos antigos consideravam que éramos entes participantes de todas as formas de realidade: por nosso corpo, participamos da Natureza; por nossa alma, participamos da Inteligência divina. O cristianismo, ao introduzir a noção de pecado original, introduziu a separação radical entre os humanos (pervertidos e finitos) e a divindade (perfeita e infinita). Com isso, fez surgir a pergunta: como o finito (humano) pode conhecer a verdade (infinita e divina)?
Eis porque, durante toda a Idade Média, a fé tornou-se central para a Filosofia, pois era através dela que essas perguntas eram respondidas. Auxiliada pela graça divina, a fé iluminava nosso intelecto e guiava nossa vontade, permitindo à nossa razão o conhecimento do que está ao seu alcance, ao mesmo tempo em que nossaalma recebia os mistérios da revelação. A fé nos fazia saber (mesmo que não pudéssemos compreender como isso era possível) que, pela vontade soberana de Deus, era concedido à nossa alma imaterial conhecer as coisas materiais.

2)O problema do conhecimento torna-se, portanto, crucial e a Filosofia precisa começar pelo exame da capacidade humana de conhecer, pelo entendimento ou sujeito do conhecimento. A teoria do conhecimento volta-se para a relação entre o pensamento e as coisas, a consciência (interior) e a realidade (exterior), o entendimento e a realidade; em suma, o sujeito e o objeto do conhecimento.
Os dois filósofos que iniciam o exame da capacidade humana para o erro e a verdade são o inglês Francis Bacon e o francês René Descartes. O filósofo que propõe, pela primeira vez, uma teoria do conhecimento propriamente dita é o inglês John Locke. A partir do século XVII, portanto, a teoria do conhecimento torna-se uma disciplina central da Filosofia.

3)Sujeito e objeto

4)Antes de abordar o conhecimento verdadeiro, Bacon e Descartes examinaram exaustivamente as causas e as formas do erro, inaugurando um estilo filosófico que permanecerá na Filosofia, isto é, a análise dos preconceitos e do senso comum.
Bacon elaborou uma teoria conhecida como a crítica dos ídolos (a palavra ídolo vem do grego eidolon e significa imagem). Descartes, como já mencionamos, elaborou um método de análise conhecido como dúvida metódica. De acordo com Bacon, existem quatro tipos de ídolos ou de imagens que formam opiniões cristalizadas e preconceitos, que impedem o conhecimento da verdade.

5)O Método indutivo parte do particular para o universal já o dedutivo parte do universal para o particular.EX:todo homem é mortal .kariny é humana;portanto kariny é mortal.

6)Nós seres humanos nascemos sem conhecimento;com o tempo é q vamos adquirindo.EX:Quando nascemos nao sabemos falar;aprendemos com o tempo.

7)PARA Descartes a fonte do conhecimento é a RAZAO.EX:o ser humano nasce com ideias inatas q ira desenvolve-las no decorrer do tempo.

8)Dúvida metodica é metodo de analise;Descartes com esse metodo vai combater o erro.ele usava a duvida para filosofia.

9).No Racionalismo a fonte do conhecimento é a razao;e o empirismo é uma experiencia sensível.

10).Meu posicionamento é racionalismo pois nada melhor que a razao para conhecer as diversas coisas existentes no mundo.Nós conhecemos as coisas pela a RAZAO.

Manuela 2º ano E disse...

1. O cristianismo fez distinção entre fé e razão, verdades reveladas e verdades racionais, matéria e espírito, corpo e alma; afirmou que o erro e a ilusão são parte da natureza humana em decorrência do caráter pervertido de nossa vontade, após o pecado original. Em conseqüência, a Filosofia precisou enfrentar três problemas novos.

2.A palavra ser em português, traduz a palavra latina esse e a expressão grega ta onta. A palavra latina esse é o infinitivo de um verbo, o verbo ser. A expressão grega ta onta quer dizer: as coisas existentes, os entes, os seres. No singular, ta onta se diz to on, que é traduzida por: o ser. Os primeiros filósofos ocupavam-se com a origem e a ordem do mundo, o kosmos, e a filosofia nascente era uma cosmologia. Pouco a pouco, passou-se a indagar o que era o próprio kosmos, qual era o fundo eterno e imutável que permanecia sob a multiplicidade e transformação das coisas.

3.para que aja um conhecimento tanto para se aprofundar como para se questionar no mundo em que vivemos.

4..Bacon elaborou uma teoria conhecida como crítica do ídolo e descartes criou um metodo de análise conhecido como duvida metódica.Existem 4 tipos de ídolos:1-idolos da caverna;opnioes que se formam em nós por erros e defeitos de nossos órgaos de sentidos.2Foŕum:sao as opnioes q se formam em nós por consequencia da linguagem.3-Sao as opnioes formadas em nós em decorrencia das autoridades.4-Tribo:Sao as opnioes q se formam em nós em decorrencia de nossa natureza humana;esses ídolo sao proprios da espécie humana.

5.O Método indutivo parte do particular para o universal já o dedutivo parte do universal para o particular.EX:todo homem é mortal .kariny é humana;portanto kariny é mortal.

6..Nós seres humanos nascemos sem conhecimento;com o tempo é q vamos adquirindo.EX:Quando nascemos nao sabemos falar;aprendemos com o tempo.

7.PARA Descartes a fonte do conhecimento é a RAZAO.EX:o ser humano nasce com ideias inatas q ira desenvolve-las no decorrer do tempo.

8.Dúvida metodica é metodo de analise;Descartes com esse metodo vai combater o erro.ele usava a duvida para filosofia.

9.No Racionalismo a fonte do conhecimento é a razao;e o empirismo é uma experiencia sensível.

10.Meu posicionamento é racionalismo pois nada melhor que a razao para conhecer as diversas coisas existentes no mundo.Nós conhecemos as coisas pela a RAZAO.

DANILO 2º ano E disse...

1. O cristianismo fez distinção entre fé e razão, verdades reveladas e verdades racionais, matéria e espírito, corpo e alma; afirmou que o erro e a ilusão são parte da natureza humana em decorrência do caráter pervertido de nossa vontade, após o pecado original. Em conseqüência, a Filosofia precisou enfrentar três problemas novos.

2.A palavra ser em português, traduz a palavra latina esse e a expressão grega ta onta. A palavra latina esse é o infinitivo de um verbo, o verbo ser. A expressão grega ta onta quer dizer: as coisas existentes, os entes, os seres. No singular, ta onta se diz to on, que é traduzida por: o ser. Os primeiros filósofos ocupavam-se com a origem e a ordem do mundo, o kosmos, e a filosofia nascente era uma cosmologia. Pouco a pouco, passou-se a indagar o que era o próprio kosmos, qual era o fundo eterno e imutável que permanecia sob a multiplicidade e transformação das coisas.

3.para que aja um conhecimento tanto para se aprofundar como para se questionar no mundo em que vivemos.

4..Bacon elaborou uma teoria conhecida como crítica do ídolo e descartes criou um metodo de análise conhecido como duvida metódica.Existem 4 tipos de ídolos:1-idolos da caverna;opnioes que se formam em nós por erros e defeitos de nossos órgaos de sentidos.2Foŕum:sao as opnioes q se formam em nós por consequencia da linguagem.3-Sao as opnioes formadas em nós em decorrencia das autoridades.4-Tribo:Sao as opnioes q se formam em nós em decorrencia de nossa natureza humana;esses ídolo sao proprios da espécie humana.

5.O Método indutivo parte do particular para o universal já o dedutivo parte do universal para o particular.EX:todo homem é mortal .kariny é humana;portanto kariny é mortal.

6..Nós seres humanos nascemos sem conhecimento;com o tempo é q vamos adquirindo.EX:Quando nascemos nao sabemos falar;aprendemos com o tempo.

7.PARA Descartes a fonte do conhecimento é a RAZAO.EX:o ser humano nasce com ideias inatas q ira desenvolve-las no decorrer do tempo.

8.Dúvida metodica é metodo de analise;Descartes com esse metodo vai combater o erro.ele usava a duvida para filosofia.

9.No Racionalismo a fonte do conhecimento é a razao;e o empirismo é uma experiencia sensível.

10.Meu posicionamento é racionalismo pois nada melhor que a razao para conhecer as diversas coisas existentes no mundo.Nós conhecemos as coisas pela a RAZAO.

juliana maria 2°E N°27 disse...

1) 1. Como, sendo seres decaídos e pervertidos, podemos conhecer a verdade?
2. Sendo nossa natureza dupla (matéria e espírito), como nossa inteligência pode conhecer o que é diferente dela? Isto é, como seres corporais podem conhecer o incorporal (Deus) e como seres dotados de alma incorpórea podem conhecer o corpóreo (mundo)?
3. Os filósofos antigos consideravam que éramos entes participantes de todas as formas de realidade: por nosso corpo, participamos da Natureza; por nossa alma, participamos da Inteligência divina. O cristianismo, ao introduzir a noção de pecado original, introduziu a separação radical entre os humanos (pervertidos e finitos) e a divindade (perfeita e infinita). Com isso, fez surgir a pergunta: como o finito (humano) pode conhecer a verdade (infinita e divina)?
Eis porque, durante toda a Idade Média, a fé tornou-se central para a Filosofia, pois era através dela que essas perguntas eram respondidas. Auxiliada pela graça divina, a fé iluminava nosso intelecto e guiava nossa vontade, permitindo à nossa razão o conhecimento do que está ao seu alcance, ao mesmo tempo em que nossaalma recebia os mistérios da revelação. A fé nos fazia saber (mesmo que não pudéssemos compreender como isso era possível) que, pela vontade soberana de Deus, era concedido à nossa alma imaterial conhecer as coisas materiais.

2)O problema do conhecimento torna-se, portanto, crucial e a Filosofia precisa começar pelo exame da capacidade humana de conhecer, pelo entendimento ou sujeito do conhecimento. A teoria do conhecimento volta-se para a relação entre o pensamento e as coisas, a consciência (interior) e a realidade (exterior), o entendimento e a realidade; em suma, o sujeito e o objeto do conhecimento.
Os dois filósofos que iniciam o exame da capacidade humana para o erro e a verdade são o inglês Francis Bacon e o francês René Descartes. O filósofo que propõe, pela primeira vez, uma teoria do conhecimento propriamente dita é o inglês John Locke. A partir do século XVII, portanto, a teoria do conhecimento torna-se uma disciplina central da Filosofia.

3)Sujeito e objeto

4)Antes de abordar o conhecimento verdadeiro, Bacon e Descartes examinaram exaustivamente as causas e as formas do erro, inaugurando um estilo filosófico que permanecerá na Filosofia, isto é, a análise dos preconceitos e do senso comum.
Bacon elaborou uma teoria conhecida como a crítica dos ídolos (a palavra ídolo vem do grego eidolon e significa imagem). Descartes, como já mencionamos, elaborou um método de análise conhecido como dúvida metódica. De acordo com Bacon, existem quatro tipos de ídolos ou de imagens que formam opiniões cristalizadas e preconceitos, que impedem o conhecimento da verdade.

5)O Método indutivo parte do particular para o universal já o dedutivo parte do universal para o particular.EX:todo homem é mortal .kariny é humana;portanto kariny é mortal.

6)Nós seres humanos nascemos sem conhecimento;com o tempo é q vamos adquirindo.EX:Quando nascemos nao sabemos falar;aprendemos com o tempo.

7)PARA Descartes a fonte do conhecimento é a RAZAO.EX:o ser humano nasce com ideias inatas q ira desenvolve-las no decorrer do tempo.

8)Dúvida metodica é metodo de analise;Descartes com esse metodo vai combater o erro.ele usava a duvida para filosofia.

9).No Racionalismo a fonte do conhecimento é a razao;e o empirismo é uma experiencia sensível.

10).Meu posicionamento é racionalismo pois nada melhor que a razao para conhecer as diversas coisas existentes no mundo.Nós conhecemos as coisas pela a RAZAO.

Bruna 2ºE tarde eliezer disse...

1. O cristianismo fez distinção entre fé e razão, verdades reveladas e verdades racionais, matéria e espírito, corpo e alma; afirmou que o erro e a ilusão são parte da natureza humana em decorrência do caráter pervertido de nossa vontade, após o pecado original. Em conseqüência, a Filosofia precisou enfrentar três problemas novos. Quais os três problemas que a filosofia moderna precisou enfrentar com relação ao problema do conhecimento?

2. Quando o conhecimento se torna um problema propriamente dito para a Filosofia? Quem é o filósofo que inicia essa investigação das condições de possibilidade do conhecimento?
3. Para que haja conhecimento é preciso uma relação entre dois elementos, quais são eles? Explique como se dá essa relação.
4. Os filósofos modernos, na investigação do conhecimento, querem evitar o erro. São eles Bacon e Descartes. Como eles fazem para evitar o erro e ter certeza de conhecer a verdade?
5. Explique a diferença entre o método indutivo e o dedutivo. Dê exemplos.

6. De acordo com Locke, qual seria a origem do conhecimento? Dê exemplos.
7. De acordo com Descartes, qual a origem do conhecimento? Dê exemplos.

8. Explique método da "dúvida metódica" de Descartes para desenvolver a sua filosofia do conhecimento verdadeiro.

9. Qual a diferença entre o racionalismo e o empirismo?

10. De acordo com o que você aprendeu sobre o racionalismo e o empirismo, como você se posiciona a respeito da origem do conhecimento verdadeiro? Seria a razão, a fonte do conhecimento ou, ao contrário, seria a experiência decorrente dos nossos sentidos, que originam nosso conhecimento?

Antonio Jorge 2º E Eliezer disse...

1. O cristianismo fez distinção entre fé e razão, verdades reveladas e verdades racionais, matéria e espírito, corpo e alma; afirmou que o erro e a ilusão são parte da natureza humana em decorrência do caráter pervertido de nossa vontade, após o pecado original. Em conseqüência, a Filosofia precisou enfrentar três problemas novos. Quais os três problemas que a filosofia moderna precisou enfrentar com relação ao problema do conhecimento?

2. Quando o conhecimento se torna um problema propriamente dito para a Filosofia? Quem é o filósofo que inicia essa investigação das condições de possibilidade do conhecimento?
3. Para que haja conhecimento é preciso uma relação entre dois elementos, quais são eles? Explique como se dá essa relação.
4. Os filósofos modernos, na investigação do conhecimento, querem evitar o erro. São eles Bacon e Descartes. Como eles fazem para evitar o erro e ter certeza de conhecer a verdade?
5. Explique a diferença entre o método indutivo e o dedutivo. Dê exemplos.

6. De acordo com Locke, qual seria a origem do conhecimento? Dê exemplos.
7. De acordo com Descartes, qual a origem do conhecimento? Dê exemplos.

8. Explique método da "dúvida metódica" de Descartes para desenvolver a sua filosofia do conhecimento verdadeiro.

9. Qual a diferença entre o racionalismo e o empirismo?

10. De acordo com o que você aprendeu sobre o racionalismo e o empirismo, como você se posiciona a respeito da origem do conhecimento verdadeiro? Seria a razão, a fonte do conhecimento ou, ao contrário, seria a experiência decorrente dos nossos sentidos, que originam nosso conhecimento?

raquel 2º E (TARDE) NO:39 E.E.M disse...

O cristianismo fez distinção entre fé e razão, verdades reveladas e verdades racionais, matéria e espírito, corpo e alma; afirmou que o erro e a ilusão são parte da natureza humana em decorrência do caráter pervertido de nossa vontade, após o pecado original. Em conseqüência, a Filosofia precisou enfrentar três problemas novos. Quais os três problemas que a filosofia moderna precisou enfrentar com relação ao problema do conhecimento?

R=1. Como, sendo seres decaídos e pervertidos, podemos conhecer a verdade? 2. Sendo nossa natureza dupla (matéria e espírito), como nossa inteligência pode conhecer o que é diferente dela? Isto é, como seres corporais podem conhecer o incorporal (Deus) e como seres dotados de alma incorpórea podem conhecer o corpóreo (mundo)? 3. Os filósofos antigos consideravam que éramos entes participantes de todas as formas de realidade: por nosso corpo, participamos da Natureza; por nossa alma, participamos da Inteligência divina.

2. Quando o conhecimento se torna um problema propriamente dito para a Filosofia? Quem é o filósofo que inicia essa investigação das condições de possibilidade do conhecimento?

A palavra ser em português, traduz a palavra latina esse e a expressão grega ta onta. A palavra latina esse é o infinitivo de um verbo, o verbo ser. A expressão grega ta onta quer dizer: as coisas existentes, os entes, os seres. No singular, ta onta se diz to on, que é traduzida por: o ser. Os primeiros filósofos ocupavam-se com a origem e a ordem do mundo, o kosmos, e a filosofia nascente era uma cosmologia. Pouco a pouco, passou-se a indagar o que era o próprio kosmos, qual era o fundo eterno e imutável que permanecia sob a multiplicidade e transformação das coisas. Qual era e o que era o ser subjacente a todos os seres. Com isto, a filosofia nascente tornou-se ontologia, isto é, conhecimento ou saber sobre o ser.

3. Para que haja conhecimento é preciso uma relação entre dois elementos, quais são eles? Explique como se dá essa relação.

Sujeito e objeto

4. Os filósofos modernos, na investigação do conhecimento, querem evitar o erro. São eles Bacon e Descartes. Como eles fazem para evitar o erro e ter certeza de conhecer a verdade?

Bacon faz a critica aos idolos
Descartes, como já mencionamos, elaborou um método de análise conhecido como dúvida metódica.
5ª)O Método indutivo parte do particular para o universal já o dedutivo parte do universal para o particular.EX:todo homem é mortal .kariny é humana;portanto kariny é mortal.
6ª)Nós seres humanos nascemos sem conhecimento;com o tempo é q vamos adquirindo.EX:Quando nascemos nao sabemos falar;aprendemos com o tempo.
7ª)PARA Descartes a fonte do conhecimento é a RAZAO.EX:o ser humano nasce com ideias inatas q ira desenvolve-las no decorrer do tempo.
8ª) É metodo de analise;Descartes com esse metodo vai combater o erro.ele usava a duvida para filosofia.
9ª)Racionalismo:A fonte do conhecimento é a razão.
Empirismo:É uma experiencia sensível. 10. o conhecimento se adiquiri com experiencias no decorre de nossa vida tudo se basea em fazer praticar isso vai nos dar conhecimento nao sei explicar mais acredito que o conhecimento teria que ter um poucos dos dois

sabrina 2.e disse...

R=1. Como, sendo seres decaídos e pervertidos, podemos conhecer a verdade? 2. Sendo nossa natureza dupla (matéria e espírito), como nossa inteligência pode conhecer o que é diferente dela? Isto é, como seres corporais podem conhecer o incorporal (Deus) e como seres dotados de alma incorpórea podem conhecer o corpóreo (mundo)? 3. Os filósofos antigos consideravam que éramos entes participantes de todas as formas de realidade: por nosso corpo, participamos da Natureza; por nossa alma, participamos da Inteligência divina.


r.2-Bacon

3-Apesar dessas diferenças, os filósofos retomaram o modo de trabalhar filosoficamente proposto por Sócrates, Platão e Aristóteles, qual seja, começar pelo exame das opiniões contrárias e ilusórias para ultrapassá - las em direção à verdade.

r.4.Bacon elaborou uma teoria conhecida como crítica do ídolo e descartes criou um metodo de análise conhecido como duvida metódica.Existem 4 tipos de ídolos:1-idolos da caverna;opnioes que se formam em nós por erros e defeitos de nossos órgaos de sentidos.2Foŕum:sao as opnioes q se formam em nós por consequencia da linguagem.3-Sao as opnioes formadas em nós em decorrencia das autoridades.4-Tribo:Sao as opnioes q se formam em nós em decorrencia de nossa natureza humana;esses ídolo sao proprios da espécie humana.

r.5.O Método indutivo parte do particular para o universal já o dedutivo parte do universal para o particular.EX:todo homem é mortal .kariny é humana;portanto kariny é mortal.

r.6.Nós seres humanos nascemos sem conhecimento;com o tempo é q vamos adquirindo.EX:Quando nascemos nao sabemos falar;aprendemos com o tempo.

7.PARA Descartes a fonte do conhecimento é a RAZAO.EX:o ser humano nasce com ideias inatas q ira desenvolve-las no decorrer do tempo.

8.Dúvida metodica é metodo de analise;Descartes com esse metodo vai combater o erro.ele usava a duvida para filosofia.

9.No Racionalismo a fonte do conhecimento é a razao;e o empirismo é uma experiencia sensível.

10.Meu posicionamento é racionalismo pois nada melhor que a razao para conhecer as diversas coisas existentes no mundo.Nós conhecemos as coisas pela a RAZA

eliziane 2 ano e disse...

1. O cristianismo fez distinção entre fé e razão, verdades reveladas e verdades racionais, matéria e espírito, corpo e alma; afirmou que o erro e a ilusão são parte da natureza humana em decorrência do caráter pervertido de nossa vontade, após o pecado original. Em conseqüência, a Filosofia precisou enfrentar três problemas novos.

2.A palavra ser em português, traduz a palavra latina esse e a expressão grega ta onta. A palavra latina esse é o infinitivo de um verbo, o verbo ser. A expressão grega ta onta quer dizer: as coisas existentes, os entes, os seres. No singular, ta onta se diz to on, que é traduzida por: o ser. Os primeiros filósofos ocupavam-se com a origem e a ordem do mundo, o kosmos, e a filosofia nascente era uma cosmologia. Pouco a pouco, passou-se a indagar o que era o próprio kosmos, qual era o fundo eterno e imutável que permanecia sob a multiplicidade e transformação das coisas.

3.para que aja um conhecimento tanto para se aprofundar como para se questionar no mundo em que vivemos.

4..Bacon elaborou uma teoria conhecida como crítica do ídolo e descartes criou um metodo de análise conhecido como duvida metódica.Existem 4 tipos de ídolos:1-idolos da caverna;opnioes que se formam em nós por erros e defeitos de nossos órgaos de sentidos.2Foŕum:sao as opnioes q se formam em nós por consequencia da linguagem.3-Sao as opnioes formadas em nós em decorrencia das autoridades.4-Tribo:Sao as opnioes q se formam em nós em decorrencia de nossa natureza humana;esses ídolo sao proprios da espécie humana.

5.O Método indutivo parte do particular para o universal já o dedutivo parte do universal para o particular.EX:todo homem é mortal .kariny é humana;portanto kariny é mortal.

6..Nós seres humanos nascemos sem conhecimento;com o tempo é q vamos adquirindo.EX:Quando nascemos nao sabemos falar;aprendemos com o tempo.

7.PARA Descartes a fonte do conhecimento é a RAZAO.EX:o ser humano nasce com ideias inatas q ira desenvolve-las no decorrer do tempo.

8.Dúvida metodica é metodo de analise;Descartes com esse metodo vai combater o erro.ele usava a duvida para filosofia.

9.No Racionalismo a fonte do conhecimento é a razao;e o empirismo é uma experiencia sensível.

10.Meu posicionamento é racionalismo pois nada melhor que a razao para conhecer as diversas coisas existentes no mundo.Nós conhecemos as coisas pela a RAZAO.

eliane gadelha 2ano"E" disse...

1. O cristianismo fez distinção entre fé e razão, verdades reveladas e verdades racionais, matéria e espírito, corpo e alma; afirmou que o erro e a ilusão são parte da natureza humana em decorrência do caráter pervertido de nossa vontade, após o pecado original. Em conseqüência, a Filosofia precisou enfrentar três problemas novos.

2.A palavra ser em português, traduz a palavra latina esse e a expressão grega ta onta. A palavra latina esse é o infinitivo de um verbo, o verbo ser. A expressão grega ta onta quer dizer: as coisas existentes, os entes, os seres. No singular, ta onta se diz to on, que é traduzida por: o ser. Os primeiros filósofos ocupavam-se com a origem e a ordem do mundo, o kosmos, e a filosofia nascente era uma cosmologia. Pouco a pouco, passou-se a indagar o que era o próprio kosmos, qual era o fundo eterno e imutável que permanecia sob a multiplicidade e transformação das coisas.

3.para que aja um conhecimento tanto para se aprofundar como para se questionar no mundo em que vivemos.

4..Bacon elaborou uma teoria conhecida como crítica do ídolo e descartes criou um metodo de análise conhecido como duvida metódica.Existem 4 tipos de ídolos:1-idolos da caverna;opnioes que se formam em nós por erros e defeitos de nossos órgaos de sentidos.2Foŕum:sao as opnioes q se formam em nós por consequencia da linguagem.3-Sao as opnioes formadas em nós em decorrencia das autoridades.4-Tribo:Sao as opnioes q se formam em nós em decorrencia de nossa natureza humana;esses ídolo sao proprios da espécie humana.

5.O Método indutivo parte do particular para o universal já o dedutivo parte do universal para o particular.EX:todo homem é mortal .kariny é humana;portanto kariny é mortal.

6..Nós seres humanos nascemos sem conhecimento;com o tempo é q vamos adquirindo.EX:Quando nascemos nao sabemos falar;aprendemos com o tempo.

7.PARA Descartes a fonte do conhecimento é a RAZAO.EX:o ser humano nasce com ideias inatas q ira desenvolve-las no decorrer do tempo.

8.Dúvida metodica é metodo de analise;Descartes com esse metodo vai combater o erro.ele usava a duvida para filosofia.

9.No Racionalismo a fonte do conhecimento é a razao;e o empirismo é uma experiencia sensível.

10.Meu posicionamento é racionalismo pois nada melhor que a razao para conhecer as diversas coisas existentes no mundo.Nós conhecemos as coisas pela a RAZAO.

francivaldo 2e disse...

R=1. Como, sendo seres decaídos e pervertidos, podemos conhecer a verdade? 2. Sendo nossa natureza dupla (matéria e espírito), como nossa inteligência pode conhecer o que é diferente dela? Isto é, como seres corporais podem conhecer o incorporal (Deus) e como seres dotados de alma incorpórea podem conhecer o corpóreo (mundo)? 3. Os filósofos antigos consideravam que éramos entes participantes de todas as formas de realidade: por nosso corpo, participamos da Natureza; por nossa alma, participamos da Inteligência divina.


r.2-Bacon

3-Apesar dessas diferenças, os filósofos retomaram o modo de trabalhar filosoficamente proposto por Sócrates, Platão e Aristóteles, qual seja, começar pelo exame das opiniões contrárias e ilusórias para ultrapassá - las em direção à verdade.

r.4.Bacon elaborou uma teoria conhecida como crítica do ídolo e descartes criou um metodo de análise conhecido como duvida metódica.Existem 4 tipos de ídolos:1-idolos da caverna;opnioes que se formam em nós por erros e defeitos de nossos órgaos de sentidos.2Foŕum:sao as opnioes q se formam em nós por consequencia da linguagem.3-Sao as opnioes formadas em nós em decorrencia das autoridades.4-Tribo:Sao as opnioes q se formam em nós em decorrencia de nossa natureza humana;esses ídolo sao proprios da espécie humana.

r.5.O Método indutivo parte do particular para o universal já o dedutivo parte do universal para o particular.EX:todo homem é mortal .kariny é humana;portanto kariny é mortal.

r.6.Nós seres humanos nascemos sem conhecimento;com o tempo é q vamos adquirindo.EX:Quando nascemos nao sabemos falar;aprendemos com o tempo.

7.PARA Descartes a fonte do conhecimento é a RAZAO.EX:o ser humano nasce com ideias inatas q ira desenvolve-las no decorrer do tempo.

8.Dúvida metodica é metodo de analise;Descartes com esse metodo vai combater o erro.ele usava a duvida para filosofia.

9.No Racionalismo a fonte do conhecimento é a razao;e o empirismo é uma experiencia sensível.

10.Meu posicionamento é racionalismo pois nada melhor que a razao para conhecer as diversas coisas existentes no mundo.Nós conhecemos as coisas pela a RAZAO.

rené disse...

R=1. Como, sendo seres decaídos e pervertidos, podemos conhecer a verdade? 2. Sendo nossa natureza dupla (matéria e espírito), como nossa inteligência pode conhecer o que é diferente dela? Isto é, como seres corporais podem conhecer o incorporal (Deus) e como seres dotados de alma incorpórea podem conhecer o corpóreo (mundo)? 3. Os filósofos antigos consideravam que éramos entes participantes de todas as formas de realidade: por nosso corpo, participamos da Natureza; por nossa alma, participamos da Inteligência divina.


r.2-Bacon

3-Apesar dessas diferenças, os filósofos retomaram o modo de trabalhar filosoficamente proposto por Sócrates, Platão e Aristóteles, qual seja, começar pelo exame das opiniões contrárias e ilusórias para ultrapassá - las em direção à verdade.

r.4.Bacon elaborou uma teoria conhecida como crítica do ídolo e descartes criou um metodo de análise conhecido como duvida metódica.Existem 4 tipos de ídolos:1-idolos da caverna;opnioes que se formam em nós por erros e defeitos de nossos órgaos de sentidos.2Foŕum:sao as opnioes q se formam em nós por consequencia da linguagem.3-Sao as opnioes formadas em nós em decorrencia das autoridades.4-Tribo:Sao as opnioes q se formam em nós em decorrencia de nossa natureza humana;esses ídolo sao proprios da espécie humana.

r.5.O Método indutivo parte do particular para o universal já o dedutivo parte do universal para o particular.EX:todo homem é mortal .kariny é humana;portanto kariny é mortal.

r.6.Nós seres humanos nascemos sem conhecimento;com o tempo é q vamos adquirindo.EX:Quando nascemos nao sabemos falar;aprendemos com o tempo.

7.PARA Descartes a fonte do conhecimento é a RAZAO.EX:o ser humano nasce com ideias inatas q ira desenvolve-las no decorrer do tempo.

8.Dúvida metodica é metodo de analise;Descartes com esse metodo vai combater o erro.ele usava a duvida para filosofia.

9.No Racionalismo a fonte do conhecimento é a razao;e o empirismo é uma experiencia sensível.

10.Meu posicionamento é racionalismo pois nada melhor que a razao para conhecer as diversas coisas existentes no mundo.Nós conhecemos as coisas pela a RAZAO.

brena kelly n:07 2ano'E" disse...

1ª) 1. Como, sendo seres decaídos e pervertidos, podemos conhecer a verdade? 2. Sendo nossa natureza dupla (matéria e espírito), como nossa inteligência pode conhecer o que é diferente dela? Isto é, como seres corporais podem conhecer o incorporal (Deus) e como seres dotados de alma incorpórea podem conhecer o corpóreo (mundo)? 3. Os filósofos antigos consideravam que éramos entes participantes de todas as formas de realidade: por nosso corpo, participamos da Natureza; por nossa alma, participamos da Inteligência divina.
2ª)Como, sendo seres decaídos e pervertidos, podemos conhecer a verdade?. Sendo nossa natureza dupla (matéria e espírito), como nossa inteligência pode conhecer o que é diferente dela? Isto é, como seres corporais podem conhecer o incorporal (Deus) e como seres dotados de alma incorpórea podem conhecer o corpóreo (mundo)? 3. Os filósofos antigos consideravam que éramos entes participantes de todas as formas de realidade: por nosso corpo, participamos da Natureza; por nossa alma, participamos da Inteligência divina.
3ª)Os filósofos antigos consideravam que éramos entes participantes de todas as formas de realidade: por nosso corpo, participamos da Natureza; por nossa alma, participamos da Inteligência divina. O cristianismo, ao introduzir a noção de pecado original, introduziu a separação radical entre os humanos (pervertidos e finitos) e a divindade (perfeita e infinita).
4ª).Bacon elaborou uma teoria conhecida como crítica do ídolo e descartes criou um metodo de análise conhecido como duvida metódica.Existem 4 tipos de ídolos:1-idolos da caverna;opnioes que se formam em nós por erros e defeitos de nossos órgaos de sentidos.2Foŕum:sao as opnioes q se formam em nós por consequencia da linguagem.3-Sao as opnioes formadas em nós em decorrencia das autoridades.4-Tribo:Sao as opnioes q se formam em nós em decorrencia de nossa natureza humana;esses ídolo sao proprios da espécie humana.
5ª)O Método indutivo parte do particular para o universal já o dedutivo parte do universal para o particular.EX:todo homem é mortal .kariny é humana;portanto kariny é mortal.
6ª)Nós seres humanos nascemos sem conhecimento;com o tempo é q vamos adquirindo.EX:Quando nascemos nao sabemos falar;aprendemos com o tempo.
7ª)PARA Descartes a fonte do conhecimento é a RAZAO.EX:o ser humano nasce com ideias inatas q ira desenvolve-las no decorrer do tempo.
8ª) É metodo de analise;Descartes com esse metodo vai combater o erro.ele usava a duvida para filosofia.
9ª)Racionalismo:A fonte do conhecimento é a razão.
10ª)Empirismo:É uma experiencia sensível.

rené 2.e disse...

R=1. Como, sendo seres decaídos e pervertidos, podemos conhecer a verdade? 2. Sendo nossa natureza dupla (matéria e espírito), como nossa inteligência pode conhecer o que é diferente dela? Isto é, como seres corporais podem conhecer o incorporal (Deus) e como seres dotados de alma incorpórea podem conhecer o corpóreo (mundo)? 3. Os filósofos antigos consideravam que éramos entes participantes de todas as formas de realidade: por nosso corpo, participamos da Natureza; por nossa alma, participamos da Inteligência divina.


r.2-Bacon

3-Apesar dessas diferenças, os filósofos retomaram o modo de trabalhar filosoficamente proposto por Sócrates, Platão e Aristóteles, qual seja, começar pelo exame das opiniões contrárias e ilusórias para ultrapassá - las em direção à verdade.

r.4.Bacon elaborou uma teoria conhecida como crítica do ídolo e descartes criou um metodo de análise conhecido como duvida metódica.Existem 4 tipos de ídolos:1-idolos da caverna;opnioes que se formam em nós por erros e defeitos de nossos órgaos de sentidos.2Foŕum:sao as opnioes q se formam em nós por consequencia da linguagem.3-Sao as opnioes formadas em nós em decorrencia das autoridades.4-Tribo:Sao as opnioes q se formam em nós em decorrencia de nossa natureza humana;esses ídolo sao proprios da espécie humana.

r.5.O Método indutivo parte do particular para o universal já o dedutivo parte do universal para o particular.EX:todo homem é mortal .kariny é humana;portanto kariny é mortal.

r.6.Nós seres humanos nascemos sem conhecimento;com o tempo é q vamos adquirindo.EX:Quando nascemos nao sabemos falar;aprendemos com o tempo.

7.PARA Descartes a fonte do conhecimento é a RAZAO.EX:o ser humano nasce com ideias inatas q ira desenvolve-las no decorrer do tempo.

8.Dúvida metodica é metodo de analise;Descartes com esse metodo vai combater o erro.ele usava a duvida para filosofia.

9.No Racionalismo a fonte do conhecimento é a razao;e o empirismo é uma experiencia sensível.

10.Meu posicionamento é racionalismo pois nada melhor que a razao para conhecer as diversas coisas existentes no mundo.Nós conhecemos as coisas pela a RAZAO.

Reginilson 2º E Eliezer disse...

1. Como, sendo seres decaídos e pervertidos, podemos conhecer a verdade? 2. Sendo nossa natureza dupla (matéria e espírito), como nossa inteligência pode conhecer o que é diferente dela? Isto é, como seres corporais podem conhecer o incorporal (Deus) e como seres dotados de alma incorpórea podem conhecer o corpóreo (mundo)? 3. Os filósofos antigos consideravam que éramos entes participantes de todas as formas de realidade: por nosso corpo, participamos da Natureza; por nossa alma, participamos da Inteligência divina.

. Sendo nossa natureza dupla (matéria e espírito), como nossa inteligência pode conhecer o que é diferente dela? Isto é, como seres corporais podem conhecer o incorporal (Deus) e como seres dotados de alma incorpórea podem conhecer o corpóreo (mundo)?
3. Os filósofos antigos consideravam que éramos entes participantes de todas as formas de realidade: por nosso corpo, participamos da Natureza; por nossa alma, participamos da Inteligência divina. O cristianismo, ao introduzir a noção de pecado original, introduziu a separação radical entre os humanos (pervertidos e finitos) e a divindade (perfeita e infinita).

4-Antes de abordar o conhecimento verdadeiro, Bacon e Descartes examinaram exaustivamente as causas e as formas do erro, inaugurando um estilo filosófico que permanecerá na Filosofia, isto é, a análise dos preconceitos e do senso comum.
Bacon elaborou uma teoria conhecida como a crítica dos ídolos (a palavra ídolo vem do grego eidolon e significa imagem). Descartes, como já mencionamos, elaborou um método de análise conhecido como dúvida metódica. De acordo com Bacon, existem quatro tipos de ídolos ou de imagens que formam opiniões cristalizadas e preconceitos, que impedem o conhecimento da verdade.

5)O Método indutivo parte do particular para o universal já o dedutivo parte do universal para o particular.EX:todo homem é mortal .kariny é humana;portanto kariny é mortal.

6)Nós seres humanos nascemos sem conhecimento;com o tempo é q vamos adquirindo.EX:Quando nascemos nao sabemos falar;aprendemos com o tempo.

7)PARA Descartes a fonte do conhecimento é a RAZAO.EX:o ser humano nasce com ideias inatas q ira desenvolve-las no decorrer do tempo.

8)Dúvida metodica é metodo de analise;Descartes com esse metodo vai combater o erro.ele usava a duvida para filosofia.

9).No Racionalismo a fonte do conhecimento é a razao;e o empirismo é uma experiencia sensível.

10).Meu posicionamento é racionalismo pois nada melhor que a razao para conhecer as diversas coisas existentes no mundo.Nós conhecemos as coisas pela a RAZAO.

alexsander 2.e disse...

R=1. Como, sendo seres decaídos e pervertidos, podemos conhecer a verdade? 2. Sendo nossa natureza dupla (matéria e espírito), como nossa inteligência pode conhecer o que é diferente dela? Isto é, como seres corporais podem conhecer o incorporal (Deus) e como seres dotados de alma incorpórea podem conhecer o corpóreo (mundo)? 3. Os filósofos antigos consideravam que éramos entes participantes de todas as formas de realidade: por nosso corpo, participamos da Natureza; por nossa alma, participamos da Inteligência divina.


r.2-Bacon

3-Apesar dessas diferenças, os filósofos retomaram o modo de trabalhar filosoficamente proposto por Sócrates, Platão e Aristóteles, qual seja, começar pelo exame das opiniões contrárias e ilusórias para ultrapassá - las em direção à verdade.

r.4.Bacon elaborou uma teoria conhecida como crítica do ídolo e descartes criou um metodo de análise conhecido como duvida metódica.Existem 4 tipos de ídolos:1-idolos da caverna;opnioes que se formam em nós por erros e defeitos de nossos órgaos de sentidos.2Foŕum:sao as opnioes q se formam em nós por consequencia da linguagem.3-Sao as opnioes formadas em nós em decorrencia das autoridades.4-Tribo:Sao as opnioes q se formam em nós em decorrencia de nossa natureza humana;esses ídolo sao proprios da espécie humana.

r.5.O Método indutivo parte do particular para o universal já o dedutivo parte do universal para o particular.EX:todo homem é mortal .kariny é humana;portanto kariny é mortal.

r.6.Nós seres humanos nascemos sem conhecimento;com o tempo é q vamos adquirindo.EX:Quando nascemos nao sabemos falar;aprendemos com o tempo.

7.PARA Descartes a fonte do conhecimento é a RAZAO.EX:o ser humano nasce com ideias inatas q ira desenvolve-las no decorrer do tempo.

8.Dúvida metodica é metodo de analise;Descartes com esse metodo vai combater o erro.ele usava a duvida para filosofia.

9.No Racionalismo a fonte do conhecimento é a razao;e o empirismo é uma experiencia sensível.

10.Meu posicionamento é racionalismo pois nada melhor que a razao para conhecer as diversas coisas existentes no mundo.Nós conhecemos as coisas pela a RAZAO.

ana carolina sales eliezer 2.E disse...

1)1.sendo seres imperfeitos e de mentes sujas,como podemos conhecer a verdade?2.como seres mortais podemos conhecer o imortal e como podemos conhecer o que não conhecemos verdadeiramente?3.como o humano pode conhecer a verdade divina?
2)É de explicar como a razão e o pensamento podem tornar-se mais fortes do que a vontade e controlá-la para que evite o erro.E ai que a Filosofia precisa começar pelo exame da capacidade humana de conhecer, pelo entendimento ou sujeito do conhecimento.
Francis Bacon e o francês René Descartes.
3)

maxwell da silva N:20 2°E disse...

) 1. Como, sendo seres decaídos e pervertidos, podemos conhecer a verdade?
2. Sendo nossa natureza dupla (matéria e espírito), como nossa inteligência pode conhecer o que é diferente dela? Isto é, como seres corporais podem conhecer o incorporal (Deus) e como seres dotados de alma incorpórea podem conhecer o corpóreo (mundo)?
3. Os filósofos antigos consideravam que éramos entes participantes de todas as formas de realidade: por nosso corpo, participamos da Natureza; por nossa alma, participamos da Inteligência divina. O cristianismo, ao introduzir a noção de pecado original, introduziu a separação radical entre os humanos (pervertidos e finitos) e a divindade (perfeita e infinita). Com isso, fez surgir a pergunta: como o finito (humano) pode conhecer a verdade (infinita e divina)?
Eis porque, durante toda a Idade Média, a fé tornou-se central para a Filosofia, pois era através dela que essas perguntas eram respondidas. Auxiliada pela graça divina, a fé iluminava nosso intelecto e guiava nossa vontade, permitindo à nossa razão o conhecimento do que está ao seu alcance, ao mesmo tempo em que nossaalma recebia os mistérios da revelação. A fé nos fazia saber (mesmo que não pudéssemos compreender como isso era possível) que, pela vontade soberana de Deus, era concedido à nossa alma imaterial conhecer as coisas materiais.

2)O problema do conhecimento torna-se, portanto, crucial e a Filosofia precisa começar pelo exame da capacidade humana de conhecer, pelo entendimento ou sujeito do conhecimento. A teoria do conhecimento volta-se para a relação entre o pensamento e as coisas, a consciência (interior) e a realidade (exterior), o entendimento e a realidade; em suma, o sujeito e o objeto do conhecimento.
Os dois filósofos que iniciam o exame da capacidade humana para o erro e a verdade são o inglês Francis Bacon e o francês René Descartes. O filósofo que propõe, pela primeira vez, uma teoria do conhecimento propriamente dita é o inglês John Locke. A partir do século XVII, portanto, a teoria do conhecimento torna-se uma disciplina central da Filosofia.

3)Sujeito e objeto

4)Antes de abordar o conhecimento verdadeiro, Bacon e Descartes examinaram exaustivamente as causas e as formas do erro, inaugurando um estilo filosófico que permanecerá na Filosofia, isto é, a análise dos preconceitos e do senso comum.
Bacon elaborou uma teoria conhecida como a crítica dos ídolos (a palavra ídolo vem do grego eidolon e significa imagem). Descartes, como já mencionamos, elaborou um método de análise conhecido como dúvida metódica. De acordo com Bacon, existem quatro tipos de ídolos ou de imagens que formam opiniões cristalizadas e preconceitos, que impedem o conhecimento da verdade.

5)O Método indutivo parte do particular para o universal já o dedutivo parte do universal para o particular.EX:todo homem é mortal .kariny é humana;portanto kariny é mortal.

6)Nós seres humanos nascemos sem conhecimento;com o tempo é q vamos adquirindo.EX:Quando nascemos nao sabemos falar;aprendemos com o tempo.

7)PARA Descartes a fonte do conhecimento é a RAZAO.EX:o ser humano nasce com ideias inatas q ira desenvolve-las no decorrer do tempo.

8)Dúvida metodica é metodo de analise;Descartes com esse metodo vai combater o erro.ele usava a duvida para filosofia.

9).No Racionalismo a fonte do conhecimento é a razao;e o empirismo é uma experiencia sensível.

10).Meu posicionamento é racionalismo pois nada melhor que a razao para conhecer as diversas coisas existentes no mundo.Nós conhecemos as coisas pela a RAZAO.

ll

yuri disse...

1) 1. Como, sendo seres decaídos e pervertidos, podemos conhecer a verdade?
2. Sendo nossa natureza dupla (matéria e espírito), como nossa inteligência pode conhecer o que é diferente dela? Isto é, como seres corporais podem conhecer o incorporal (Deus) e como seres dotados de alma incorpórea podem conhecer o corpóreo (mundo)?
3. Os filósofos antigos consideravam que éramos entes participantes de todas as formas de realidade: por nosso corpo, participamos da Natureza; por nossa alma, participamos da Inteligência divina. O cristianismo, ao introduzir a noção de pecado original, introduziu a separação radical entre os humanos (pervertidos e finitos) e a divindade (perfeita e infinita). Com isso, fez surgir a pergunta: como o finito (humano) pode conhecer a verdade (infinita e divina)?
Eis porque, durante toda a Idade Média, a fé tornou-se central para a Filosofia, pois era através dela que essas perguntas eram respondidas. Auxiliada pela graça divina, a fé iluminava nosso intelecto e guiava nossa vontade, permitindo à nossa razão o conhecimento do que está ao seu alcance, ao mesmo tempo em que nossaalma recebia os mistérios da revelação. A fé nos fazia saber (mesmo que não pudéssemos compreender como isso era possível) que, pela vontade soberana de Deus, era concedido à nossa alma imaterial conhecer as coisas materiais.

2)O problema do conhecimento torna-se, portanto, crucial e a Filosofia precisa começar pelo exame da capacidade humana de conhecer, pelo entendimento ou sujeito do conhecimento. A teoria do conhecimento volta-se para a relação entre o pensamento e as coisas, a consciência (interior) e a realidade (exterior), o entendimento e a realidade; em suma, o sujeito e o objeto do conhecimento.
Os dois filósofos que iniciam o exame da capacidade humana para o erro e a verdade são o inglês Francis Bacon e o francês René Descartes. O filósofo que propõe, pela primeira vez, uma teoria do conhecimento propriamente dita é o inglês John Locke. A partir do século XVII, portanto, a teoria do conhecimento torna-se uma disciplina central da Filosofia.

3)Sujeito e objeto

4)Antes de abordar o conhecimento verdadeiro, Bacon e Descartes examinaram exaustivamente as causas e as formas do erro, inaugurando um estilo filosófico que permanecerá na Filosofia, isto é, a análise dos preconceitos e do senso comum.
Bacon elaborou uma teoria conhecida como a crítica dos ídolos (a palavra ídolo vem do grego eidolon e significa imagem). Descartes, como já mencionamos, elaborou um método de análise conhecido como dúvida metódica. De acordo com Bacon, existem quatro tipos de ídolos ou de imagens que formam opiniões cristalizadas e preconceitos, que impedem o conhecimento da verdade.

5)O Método indutivo parte do particular para o universal já o dedutivo parte do universal para o particular.EX:todo homem é mortal .kariny é humana;portanto kariny é mortal.

6)Nós seres humanos nascemos sem conhecimento;com o tempo é q vamos adquirindo.EX:Quando nascemos nao sabemos falar;aprendemos com o tempo.

7)PARA Descartes a fonte do conhecimento é a RAZAO.EX:o ser humano nasce com ideias inatas q ira desenvolve-las no decorrer do tempo.

8)Dúvida metodica é metodo de analise;Descartes com esse metodo vai combater o erro.ele usava a duvida para filosofia.

9).No Racionalismo a fonte do conhecimento é a razao;e o empirismo é uma experiencia sensível.

10).Meu posicionamento é racionalismo pois nada melhor que a razao para conhecer as diversas coisas existentes no mundo.Nós conhecemos as coisas pela a RAZAO.

Aluna: Larisse dos santos 2º E eliezer

rosilene dasilva 2 E disse...

1) 1. Como, sendo seres decaídos e pervertidos, podemos conhecer a verdade?
2. Sendo nossa natureza dupla (matéria e espírito), como nossa inteligência pode conhecer o que é diferente dela? Isto é, como seres corporais podem conhecer o incorporal (Deus) e como seres dotados de alma incorpórea podem conhecer o corpóreo (mundo)?
3. Os filósofos antigos consideravam que éramos entes participantes de todas as formas de realidade: por nosso corpo, participamos da Natureza; por nossa alma, participamos da Inteligência divina. O cristianismo, ao introduzir a noção de pecado original, introduziu a separação radical entre os humanos (pervertidos e finitos) e a divindade (perfeita e infinita). Com isso, fez surgir a pergunta: como o finito (humano) pode conhecer a verdade (infinita e divina)?
Eis porque, durante toda a Idade Média, a fé tornou-se central para a Filosofia, pois era através dela que essas perguntas eram respondidas. Auxiliada pela graça divina, a fé iluminava nosso intelecto e guiava nossa vontade, permitindo à nossa razão o conhecimento do que está ao seu alcance, ao mesmo tempo em que nossaalma recebia os mistérios da revelação. A fé nos fazia saber (mesmo que não pudéssemos compreender como isso era possível) que, pela vontade soberana de Deus, era concedido à nossa alma imaterial conhecer as coisas materiais.

2)O problema do conhecimento torna-se, portanto, crucial e a Filosofia precisa começar pelo exame da capacidade humana de conhecer, pelo entendimento ou sujeito do conhecimento. A teoria do conhecimento volta-se para a relação entre o pensamento e as coisas, a consciência (interior) e a realidade (exterior), o entendimento e a realidade; em suma, o sujeito e o objeto do conhecimento.
Os dois filósofos que iniciam o exame da capacidade humana para o erro e a verdade são o inglês Francis Bacon e o francês René Descartes. O filósofo que propõe, pela primeira vez, uma teoria do conhecimento propriamente dita é o inglês John Locke. A partir do século XVII, portanto, a teoria do conhecimento torna-se uma disciplina central da Filosofia.

3)Sujeito e objeto

4)Antes de abordar o conhecimento verdadeiro, Bacon e Descartes examinaram exaustivamente as causas e as formas do erro, inaugurando um estilo filosófico que permanecerá na Filosofia, isto é, a análise dos preconceitos e do senso comum.
Bacon elaborou uma teoria conhecida como a crítica dos ídolos (a palavra ídolo vem do grego eidolon e significa imagem). Descartes, como já mencionamos, elaborou um método de análise conhecido como dúvida metódica. De acordo com Bacon, existem quatro tipos de ídolos ou de imagens que formam opiniões cristalizadas e preconceitos, que impedem o conhecimento da verdade.

5)O Método indutivo parte do particular para o universal já o dedutivo parte do universal para o particular.EX:todo homem é mortal .kariny é humana;portanto kariny é mortal.

6)Nós seres humanos nascemos sem conhecimento;com o tempo é q vamos adquirindo.EX:Quando nascemos nao sabemos falar;aprendemos com o tempo.

7)PARA Descartes a fonte do conhecimento é a RAZAO.EX:o ser humano nasce com ideias inatas q ira desenvolve-las no decorrer do tempo.

8)Dúvida metodica é metodo de analise;Descartes com esse metodo vai combater o erro.ele usava a duvida para filosofia.

9).No Racionalismo a fonte do conhecimento é a razao;e o empirismo é uma experiencia sensível.

10).Meu posicionamento é racionalismo pois nada melhor que a razao para conhecer as diversas coisas existentes no mundo.Nós conhecemos a

glaubio disse...

Glaubio Soares 2° A
1. O cristianismo fez distinção entre fé e razão, verdades reveladas e verdades racionais, matéria e espírito, corpo e alma; afirmou que o erro e a ilusão são parte da natureza humana em decorrência do caráter pervertido de nossa vontade, após o pecado original. Em conseqüência, a Filosofia precisou enfrentar três problemas novos.

2.A palavra ser em português, traduz a palavra latina esse e a expressão grega ta onta. A palavra latina esse é o infinitivo de um verbo, o verbo ser. A expressão grega ta onta quer dizer: as coisas existentes, os entes, os seres. No singular, ta onta se diz to on, que é traduzida por: o ser. Os primeiros filósofos ocupavam-se com a origem e a ordem do mundo, o kosmos, e a filosofia nascente era uma cosmologia. Pouco a pouco, passou-se a indagar o que era o próprio kosmos, qual era o fundo eterno e imutável que permanecia sob a multiplicidade e transformação das coisas.

3.para que aja um conhecimento tanto para se aprofundar como para se questionar no mundo em que vivemos.

4..Bacon elaborou uma teoria conhecida como crítica do ídolo e descartes criou um metodo de análise conhecido como duvida metódica.Existem 4 tipos de ídolos:1-idolos da caverna;opnioes que se formam em nós por erros e defeitos de nossos órgaos de sentidos.2Foŕum:sao as opnioes q se formam em nós por consequencia da linguagem.3-Sao as opnioes formadas em nós em decorrencia das autoridades.4-Tribo:Sao as opnioes q se formam em nós em decorrencia de nossa natureza humana;esses ídolo sao proprios da espécie humana.

5.O Método indutivo parte do particular para o universal já o dedutivo parte do universal para o particular.EX:todo homem é mortal .kariny é humana;portanto kariny é mortal.

6..Nós seres humanos nascemos sem conhecimento;com o tempo é q vamos adquirindo.EX:Quando nascemos nao sabemos falar;aprendemos com o tempo.

7.PARA Descartes a fonte do conhecimento é a RAZAO.EX:o ser humano nasce com ideias inatas q ira desenvolve-las no decorrer do tempo.

8.Dúvida metodica é metodo de analise;Descartes com esse metodo vai combater o erro.ele usava a duvida para filosofia.

9.No Racionalismo a fonte do conhecimento é a razao;e o empirismo é uma experiencia sensível.

10.Meu posicionamento é racionalismo pois nada melhor que a razao para conhecer as diversas coisas existentes no mundo.Nós conhecemos as coisas pela a RAZAO.

Bruna sales Barros 2 ano E tarde disse...

1. O cristianismo fez distinção entre fé e razão, verdades reveladas e verdades racionais, matéria e espírito, corpo e alma; afirmou que o erro e a ilusão são parte da natureza humana em decorrência do caráter pervertido de nossa vontade, após o pecado original. Em conseqüência, a Filosofia precisou enfrentar três problemas novos.

2.A palavra ser em português, traduz a palavra latina esse e a expressão grega ta onta. A palavra latina esse é o infinitivo de um verbo, o verbo ser. A expressão grega ta onta quer dizer: as coisas existentes, os entes, os seres. No singular, ta onta se diz to on, que é traduzida por: o ser. Os primeiros filósofos ocupavam-se com a origem e a ordem do mundo, o kosmos, e a filosofia nascente era uma cosmologia. Pouco a pouco, passou-se a indagar o que era o próprio kosmos, qual era o fundo eterno e imutável que permanecia sob a multiplicidade e transformação das coisas.

3.para que aja um conhecimento tanto para se aprofundar como para se questionar no mundo em que vivemos.

4..Bacon elaborou uma teoria conhecida como crítica do ídolo e descartes criou um metodo de análise conhecido como duvida metódica.Existem 4 tipos de ídolos:1-idolos da caverna;opnioes que se formam em nós por erros e defeitos de nossos órgaos de sentidos.2Foŕum:sao as opnioes q se formam em nós por consequencia da linguagem.3-Sao as opnioes formadas em nós em decorrencia das autoridades.4-Tribo:Sao as opnioes q se formam em nós em decorrencia de nossa natureza humana;esses ídolo sao proprios da espécie humana.

5.O Método indutivo parte do particular para o universal já o dedutivo parte do universal para o particular.EX:todo homem é mortal .kariny é humana;portanto kariny é mortal.

6..Nós seres humanos nascemos sem conhecimento;com o tempo é q vamos adquirindo.EX:Quando nascemos nao sabemos falar;aprendemos com o tempo.

7.PARA Descartes a fonte do conhecimento é a RAZAO.EX:o ser humano nasce com ideias inatas q ira desenvolve-las no decorrer do tempo.

8.Dúvida metodica é metodo de analise;Descartes com esse metodo vai combater o erro.ele usava a duvida para filosofia.

9.No Racionalismo a fonte do conhecimento é a razao;e o empirismo é uma experiencia sensível.

10.Meu posicionamento é racionalismo pois nada melhor que a razao para conhecer as diversas coisas existentes no mundo.Nós conhecemos as coisas pela a RAZAO.

nandalimma;* disse...

Fernanda Lima 2º A
1. O cristianismo afirmou que o erro e a ilusão são parte da natureza humana em decorrência do caráter pervertido de nossa vontade, após o pecado original.
2. Explicar como a razão e o pensamento podem tornar-se mais fortes do que a vontade e controlá-la para que evite o erro.E ai que a Filosofia precisa começar pelo exame da capacidade humana de conhecer, pelo entendimento ou sujeito do conhecimento.
3. Sujeito e objeto
4. -
5. O Método indutivo parte do particular para o universal já o dedutivo parte do universal para o particular.EX:todo homem é mortal .kariny é humana;portanto kariny é mortal.
6. Nós seres humanos nascemos sem conhecimento;com o tempo é q vamos adquirindo. EX:quando nascemos não saiamos andar nem falar, aprendemos com o tempo.
7. Para Descartes a fonte do conhecimento é a RAZAO.EX:o ser humano nasce com ideias inatas q ira desenvolve-las no decorrer do tempo.
8.Dúvida metodica é metodo de analise;Descartes com esse metodo vai combater o erro.ele usava a duvida para filosofia.
9.No Racionalismo a fonte do conhecimento é a razao;e o empirismo é uma experiencia sensível.

ϟ RonnySilvα . 2º D ELIEZER ; nº 45 disse...

1)- Como, sendo seres decaídos e pervertidos, podemos conhecer a verdade? 2. Sendo nossa natureza dupla (matéria e espírito), como nossa inteligência pode conhecer o que é diferente dela? Isto é, como seres corporais podem conhecer o incorporal (Deus) e como seres dotados de alma incorpórea podem conhecer o corpóreo (mundo)? 3. Os filósofos antigos consideravam que éramos entes participantes de todas as formas de realidade: por nosso corpo, participamos da Natureza; por nossa alma, participamos da Inteligência divina.

2)-2)O problema do conhecimento torna-se, portanto, crucial e a Filosofia precisa começar pelo exame da capacidade humana de conhecer, pelo entendimento ou sujeito do conhecimento. A teoria do conhecimento volta-se para a relação entre o pensamento e as coisas, a consciência (interior) e a realidade (exterior), o entendimento e a realidade; em suma, o sujeito e o objeto do conhecimento.
Os dois filósofos que iniciam o exame da capacidade humana para o erro e a verdade são o inglês Francis Bacon e o francês René Descartes. O filósofo que propõe, pela primeira vez, uma teoria do conhecimento propriamente dita é o inglês John Locke. A partir do século XVII, portanto, a teoria do conhecimento torna-se uma disciplina central da Filosofia.

3)-Os filósofos antigos consideravam que éramos entes participantes de todas as formas de realidade: por nosso corpo, participamos da Natureza; por nossa alma, participamos da Inteligência divina. O cristianismo, ao introduzir a noção de pecado original, introduziu a separação radical entre os humanos (pervertidos e finitos) e a divindade (perfeita e infinita).

4)-.Bacon elaborou uma teoria conhecida como crítica do ídolo e descartes criou um metodo de análise conhecido como duvida metódica.Existem 4 tipos de ídolos:1-idolos da caverna;opnioes que se formam em nós por erros e defeitos de nossos órgaos de sentidos.2Foŕum:sao as opnioes q se formam em nós por consequencia da linguagem.3-Sao as opnioes formadas em nós em decorrencia das autoridades.4-Tribo:Sao as opnioes q se formam em nós em decorrencia de nossa natureza humana;esses ídolo sao proprios da espécie humana.

5)-5.Indução é um processo mental por intermédio do qual, partindo de dados particulares, suficientemente constatados, infere-se uma verdade geral ou universal, não contida nas partes examinadas. Portanto, o objetivo dos argumentos é levar a conclusões cujo conteúdo é muito mais amplo do que o das premissas nas quais se basearam.

Exemplo:

O corvo 1 é negro
O corvo 2 é negro
O corvo 3 é negro
O corvo "n" é negro
----------------------------
(todo) corvo é negro
A dedução é o processo mental contrário à indução. Através da indução, não produzimos conhecimentos novos, porém explicitamos conhecimentos que antes estavam implícitos.
ex.Todo mamífero tem um coração.
Ora, todos os cães são mamíferos.

6)-Nós seres humanos nascemos sem conhecimento;com o tempo é q vamos adquirindo.EX:Quando nascemos nao sabemos falar;aprendemos com o tempo.


7)-PARA Descartes a fonte do conhecimento é a RAZAO.EX:o ser humano nasce com ideias inatas q ira desenvolve-las no decorrer do tempo.

8)-Dúvida metodica é metodo de analise;Descartes com esse metodo vai combater o erro.ele usava a duvida para filosofia.


9)-No Racionalismo a fonte do conhecimento é a razao;e o empirismo é uma experiencia sensível.

10)- RACIONALISMO, pois nada melhor que a razão para conhecer as diversas coisas existentes no mundo.Nós conhecemos as coisas pela a RAZãO.

cicera roberia martins 2 G noite disse...

Cicera Roberia Martins 2G
1) I- Como, sendo seres decaídos e pervertidos, podemos conhecer a verdade?
II-Sendo nossa natureza dupla (matéria e espírito), como nossa inteligência pode conhecer o que é diferente dela? Isto é, como seres corporais podem conhecer o incorporal (Deus) e como seres dotados de alma incorpórea podem conhecer o corpóreo (mundo)?
III-lósofos antigos consideravam que éramos entes participantes de todas as formas de realidade: por nosso corpo, participamos da Natureza; por nossa alma, participamos da Inteligência divina. O cristianismo, ao introduzir a noção de pecado original, introduziu a separação radical entre os humanos (pervertidos e finitos) e a divindade (perfeita e infinita). Com isso, fez surgir a pergunta: como o finito (humano) pode conhecer a verdade (infinita e divina)?

2)Locke é o iniciador da teoria do conhecimento propriamente dita porque se propõe a analisar cada uma das formas de conhecimento que possuímos, a origem de nossas idéias e nossos discursos, a finalidade das teorias e as capacidades do sujeito cognoscente relacionadas com os objetos que ele pode conhecer.

3)materia e espirito . Como nossa inteligencia pode conhecer o que é diferente dela? isto é, como seres corporais podem conhecer o incorporal (deus)e como seres dotados de alma incorporea podem conhecer o mundo.
4) Bacon elaborou uma teoria conhecida como a crítica dos ídolos de acordo com bacon existem quatro tipos de imagens ou idolos que formam opiniões cristalizadas e preconceitos, que impedem o conhecimento da verdade. Descartes, como já mencionamos, elaborou um método de análise conhecido como dúvida metódica.
5)MÉTODO DEDUTIVO: Caracteriza-se, quando se parte de uma situação geral e genérica para uma particular.
A dedução é o processo mental contrário à indução. Através da indução, não produzimos conhecimentos novos, porém explicitamos conhecimentos que antes estavam implícitos.
MÉTODO INDUTIVO: Caracteriza-se pelo processo pelo qual ,o pesquisador por meio de um levantamento particular,chega a determinadas conclusões gerais,ou seja, parte-se do específico para o geral.
Indução é um processo mental por intermédio do qual, partindo de dados particulares, suficientemente constatados, infere-se uma verdade geral ou universal, não contida nas partes examinadas. Portanto, o objetivo dos argumentos é levar a conclusões cujo conteúdo é muito mais amplo do que o das premissas nas quais se basearam.
6) porque se propõe a analisar cada uma das formas de conhecimento que possuímos, a origem de nossas idéias e nossos discursos, a finalidade das teorias e as capacidades do sujeito cognoscente relacionadas com os objetos que ele pode conhecer.
7) Descartes acredita que a razão é a verdadeira fonte do conhecimento universal, pois é ela que nos fornece as ideias e os princípios pelo meio dos quais conhecemos.
8)Ele cria varios metodos de conhecimento atraves de duvidas ao qual ele mesmo tenta responder.
9)O racionalismo é a corrente filosófica que iniciou com a definição do raciocínio que é a operação mental, discursiva e lógica. Este usa uma ou mais proposições para extrair conclusões se uma ou outra proposição é verdadeira, falsa ou provável. Essa era a idéia central comum ao conjunto de doutrinas conhecidas tradicionalmente como racionalismo.
Racionalismo é a corrente central no pensamento liberal que se ocupa em procurar, estabelecer e propor caminhos para alcançar determinados fins [1]. Tais fins são postulados em nome do interesse coletivo (commonwealth), base do próprio liberalismo e que se torna assim, a base também do racionalismo. O racionalismo, por sua vez, fica à base do planejamento da organização econômica e espacial da reprodução social.
10)seria a experiência decorrente dos nossos sentidos, que originam nosso conhecimento.pois avoutra teoria vai para queles que estudam afilosofia como alguns filosofos.

cicera roberia martins 2G noite disse...

cicera roberia martins 2G no=ite1) I- Como, sendo seres decaídos e pervertidos, podemos conhecer a verdade?
II-Sendo nossa natureza dupla (matéria e espírito), como nossa inteligência pode conhecer o que é diferente dela? Isto é, como seres corporais podem conhecer o incorporal (Deus) e como seres dotados de alma incorpórea podem conhecer o corpóreo (mundo)?
III-lósofos antigos consideravam que éramos entes participantes de todas as formas de realidade: por nosso corpo, participamos da Natureza; por nossa alma, participamos da Inteligência divina. O cristianismo, ao introduzir a noção de pecado original, introduziu a separação radical entre os humanos (pervertidos e finitos) e a divindade (perfeita e infinita). Com isso, fez surgir a pergunta: como o finito (humano) pode conhecer a verdade (infinita e divina)?

2)Locke é o iniciador da teoria do conhecimento propriamente dita porque se propõe a analisar cada uma das formas de conhecimento que possuímos, a origem de nossas idéias e nossos discursos, a finalidade das teorias e as capacidades do sujeito cognoscente relacionadas com os objetos que ele pode conhecer.

3)materia e espirito . Como nossa inteligencia pode conhecer o que é diferente dela? isto é, como seres corporais podem conhecer o incorporal (deus)e como seres dotados de alma incorporea podem conhecer o mundo.
4) Bacon elaborou uma teoria conhecida como a crítica dos ídolos de acordo com bacon existem quatro tipos de imagens ou idolos que formam opiniões cristalizadas e preconceitos, que impedem o conhecimento da verdade. Descartes, como já mencionamos, elaborou um método de análise conhecido como dúvida metódica.
5)MÉTODO DEDUTIVO: Caracteriza-se, quando se parte de uma situação geral e genérica para uma particular.
A dedução é o processo mental contrário à indução. Através da indução, não produzimos conhecimentos novos, porém explicitamos conhecimentos que antes estavam implícitos.
MÉTODO INDUTIVO: Caracteriza-se pelo processo pelo qual ,o pesquisador por meio de um levantamento particular,chega a determinadas conclusões gerais,ou seja, parte-se do específico para o geral.
Indução é um processo mental por intermédio do qual, partindo de dados particulares, suficientemente constatados, infere-se uma verdade geral ou universal, não contida nas partes examinadas. Portanto, o objetivo dos argumentos é levar a conclusões cujo conteúdo é muito mais amplo do que o das premissas nas quais se basearam.
6) porque se propõe a analisar cada uma das formas de conhecimento que possuímos, a origem de nossas idéias e nossos discursos, a finalidade das teorias e as capacidades do sujeito cognoscente relacionadas com os objetos que ele pode conhecer.
7) Descartes acredita que a razão é a verdadeira fonte do conhecimento universal, pois é ela que nos fornece as ideias e os princípios pelo meio dos quais conhecemos.
8)Ele cria varios metodos de conhecimento atraves de duvidas ao qual ele mesmo tenta responder.
9)O racionalismo é a corrente filosófica que iniciou com a definição do raciocínio que é a operação mental, discursiva e lógica. Este usa uma ou mais proposições para extrair conclusões se uma ou outra proposição é verdadeira, falsa ou provável. Essa era a idéia central comum ao conjunto de doutrinas conhecidas tradicionalmente como racionalismo.
Racionalismo é a corrente central no pensamento liberal que se ocupa em procurar, estabelecer e propor caminhos para alcançar determinados fins [1]. Tais fins são postulados em nome do interesse coletivo (commonwealth), base do próprio liberalismo e que se torna assim, a base também do racionalismo. O racionalismo, por sua vez, fica à base do planejamento da organização econômica e espacial da reprodução social.
10)seria a experiência decorrente dos nossos sentidos, que originam nosso conhecimento.pois avoutra teoria vai para queles que estudam afilosofia como alguns filosofos.

jessica martins dos santos 2 G noite disse...

jessica martins dos santos 2G noite
1) I- Como, sendo seres decaídos e pervertidos, podemos conhecer a verdade?
II-Sendo nossa natureza dupla (matéria e espírito), como nossa inteligência pode conhecer o que é diferente dela? Isto é, como seres corporais podem conhecer o incorporal (Deus) e como seres dotados de alma incorpórea podem conhecer o corpóreo (mundo)?
III-lósofos antigos consideravam que éramos entes participantes de todas as formas de realidade: por nosso corpo, participamos da Natureza; por nossa alma, participamos da Inteligência divina. O cristianismo, ao introduzir a noção de pecado original, introduziu a separação radical entre os humanos (pervertidos e finitos) e a divindade (perfeita e infinita). Com isso, fez surgir a pergunta: como o finito (humano) pode conhecer a verdade (infinita e divina)?

2)Locke é o iniciador da teoria do conhecimento propriamente dita porque se propõe a analisar cada uma das formas de conhecimento que possuímos, a origem de nossas idéias e nossos discursos, a finalidade das teorias e as capacidades do sujeito cognoscente relacionadas com os objetos que ele pode conhecer.

3)materia e espirito . Como nossa inteligencia pode conhecer o que é diferente dela? isto é, como seres corporais podem conhecer o incorporal (deus)e como seres dotados de alma incorporea podem conhecer o mundo.
4) Bacon elaborou uma teoria conhecida como a crítica dos ídolos de acordo com bacon existem quatro tipos de imagens ou idolos que formam opiniões cristalizadas e preconceitos, que impedem o conhecimento da verdade. Descartes, como já mencionamos, elaborou um método de análise conhecido como dúvida metódica.
5)MÉTODO DEDUTIVO: Caracteriza-se, quando se parte de uma situação geral e genérica para uma particular.
A dedução é o processo mental contrário à indução. Através da indução, não produzimos conhecimentos novos, porém explicitamos conhecimentos que antes estavam implícitos.
MÉTODO INDUTIVO: Caracteriza-se pelo processo pelo qual ,o pesquisador por meio de um levantamento particular,chega a determinadas conclusões gerais,ou seja, parte-se do específico para o geral.
Indução é um processo mental por intermédio do qual, partindo de dados particulares, suficientemente constatados, infere-se uma verdade geral ou universal, não contida nas partes examinadas. Portanto, o objetivo dos argumentos é levar a conclusões cujo conteúdo é muito mais amplo do que o das premissas nas quais se basearam.
6) porque se propõe a analisar cada uma das formas de conhecimento que possuímos, a origem de nossas idéias e nossos discursos, a finalidade das teorias e as capacidades do sujeito cognoscente relacionadas com os objetos que ele pode conhecer.
7) Descartes acredita que a razão é a verdadeira fonte do conhecimento universal, pois é ela que nos fornece as ideias e os princípios pelo meio dos quais conhecemos.
8)Ele cria varios metodos de conhecimento atraves de duvidas ao qual ele mesmo tenta responder.
9)O racionalismo é a corrente filosófica que iniciou com a definição do raciocínio que é a operação mental, discursiva e lógica. Este usa uma ou mais proposições para extrair conclusões se uma ou outra proposição é verdadeira, falsa ou provável. Essa era a idéia central comum ao conjunto de doutrinas conhecidas tradicionalmente como racionalismo.
Racionalismo é a corrente central no pensamento liberal que se ocupa em procurar, estabelecer e propor caminhos para alcançar determinados fins [1]. Tais fins são postulados em nome do interesse coletivo (commonwealth), base do próprio liberalismo e que se torna assim, a base também do racionalismo. O racionalismo, por sua vez, fica à base do planejamento da organização econômica e espacial da reprodução social.
10)seria a experiência decorrente dos nossos sentidos, que originam nosso conhecimento.pois avoutra teoria vai para queles que estudam afilosofia como alguns filosofos.

karyne brito 2anoD ELIEZER DE FREITAS disse...

1)1.como,sendo seres decaidos e pervertidos,podemos podemos conhecer a verdade?
2.sendo nossa natureza dupla(matéria e espirito),como nossa inteligencia pode cochecer o que é diferente dela?isto é como seres corporais podem conhecer o incorporal(Deus)e como seres dotado de alma incorpórea podem conhecer o incorpóreo(mundo)?
3.os filosofos antigos consideravam que éramos entes participantes de todas as formas de realidade:por nosso corpo ,participamos da natureza;por nossa alma participamos da inteligécia divina.
2)locke é o iniciador da teoria do conhrcimento propriamente dita porque se propoe a analisar cada umas das formas de conhecimento que possuimos,a origem de nossas ideias e nossos discurso,a finalidade das teorias e as nossas capacidades do sujeito cognoscente relacionadas com os objetos que ele pode conhecer.
3)sujeito cognoscente(aqueles que conhecem alguma coisa) e objeto cognoscivel(aquele que é conhecido).
4)descartes criou o método de analise conhecida como dúvida métodica.bacon elaborou a teoria conhecida como critica ao ídolo,onde de acordo com ele existem quatroídolos(imagem)que impedem o conhecimento da verdade:ídolos da carverna:as opiniões que se formam em nós por erros e defeitos de nossos orgãos de sentido.são mais facieis de corrigir por nosso intelectuo.2.ídolos do fórum:são as opiniões que se formam em nós como consequencia da linquagem e de nossas relações com outros.são dificies de vencer,mas o intelectuo tem poder sobre eles.3.ídolos do teatro:sãoas opiniões forn=madas em nós em decorencia dos poderes das autoridades que nos empõem seus pontos de vista e os transformam em decretos e leis inquestionaveis.4.ídolos da tribo:são as opiniões que se formam em nossa propria natureza humana;esses ídolos são proprios da especie humana e só podem ser vencidos se houver uma reforma da propria natureza humana.
5)método indutivo:parase chegar ao conhecimento verdadeiro deve-se partir do particular para o universal.método dedutivo:deve-se partir do universal para o particular.ex.:todo homem é mortal;karyne émortal,logo karyne é humana.
6)para locke o conhecimento écomo uma "folha rasa",ou seja,nascemos sem conhecimento.
7)para descartes aorigem do conhecimento é a razão.ao nascermos nosso conhecimento é inabto e só com o tempo é que vamos desenvolve-lo.
8)duvida métodica é o método de analise,descartes a desenvolvel para evitar o erro.
9)racionalismo:a fonte de conhecimento é a razão;impirismo:afonte de conhecimento é a experiencia sencivel.
10)é a razão,pois é com ela que procuramos conhecer o que existi ou até o que não existi.

karyne brito 2anoD ELIEZER DE FREITAS disse...

1)1.como,sendo seres decaidos e pervertidos,podemos podemos conhecer a verdade?
2.sendo nossa natureza dupla(matéria e espirito),como nossa inteligencia pode cochecer o que é diferente dela?isto é como seres corporais podem conhecer o incorporal(Deus)e como seres dotado de alma incorpórea podem conhecer o incorpóreo(mundo)?
3.os filosofos antigos consideravam que éramos entes participantes de todas as formas de realidade:por nosso corpo ,participamos da natureza;por nossa alma participamos da inteligécia divina.
2)locke é o iniciador da teoria do conhrcimento propriamente dita porque se propoe a analisar cada umas das formas de conhecimento que possuimos,a origem de nossas ideias e nossos discurso,a finalidade das teorias e as nossas capacidades do sujeito cognoscente relacionadas com os objetos que ele pode conhecer.
3)sujeito cognoscente(aqueles que conhecem alguma coisa) e objeto cognoscivel(aquele que é conhecido).
4)descartes criou o método de analise conhecida como dúvida métodica.bacon elaborou a teoria conhecida como critica ao ídolo,onde de acordo com ele existem quatroídolos(imagem)que impedem o conhecimento da verdade:ídolos da carverna:as opiniões que se formam em nós por erros e defeitos de nossos orgãos de sentido.são mais facieis de corrigir por nosso intelectuo.2.ídolos do fórum:são as opiniões que se formam em nós como consequencia da linquagem e de nossas relações com outros.são dificies de vencer,mas o intelectuo tem poder sobre eles.3.ídolos do teatro:sãoas opiniões forn=madas em nós em decorencia dos poderes das autoridades que nos empõem seus pontos de vista e os transformam em decretos e leis inquestionaveis.4.ídolos da tribo:são as opiniões que se formam em nossa propria natureza humana;esses ídolos são proprios da especie humana e só podem ser vencidos se houver uma reforma da propria natureza humana.
5)método indutivo:parase chegar ao conhecimento verdadeiro deve-se partir do particular para o universal.método dedutivo:deve-se partir do universal para o particular.ex.:todo homem é mortal;karyne émortal,logo karyne é humana.
6)para locke o conhecimento écomo uma "folha rasa",ou seja,nascemos sem conhecimento.
7)para descartes aorigem do conhecimento é a razão.ao nascermos nosso conhecimento é inabto e só com o tempo é que vamos desenvolve-lo.
8)duvida métodica é o método de analise,descartes a desenvolvel para evitar o erro.
9)racionalismo:a fonte de conhecimento é a razão;impirismo:afonte de conhecimento é a experiencia sencivel.
10)é a razão,pois é com ela que procuramos conhecer o que existi ou até o que não existi.

Lucas Rodrigues Nº:32 2º D Eliezer disse...

1ª) 1. Como, sendo seres decaídos e pervertidos, podemos conhecer a verdade? 2. Sendo nossa natureza dupla (matéria e espírito), como nossa inteligência pode conhecer o que é diferente dela? Isto é, como seres corporais podem conhecer o incorporal (Deus) e como seres dotados de alma incorpórea podem conhecer o corpóreo (mundo)? 3. Os filósofos antigos consideravam que éramos entes participantes de todas as formas de realidade: por nosso corpo, participamos da Natureza; por nossa alma, participamos da Inteligência divina.
2ª)Como, sendo seres decaídos e pervertidos, podemos conhecer a verdade?. Sendo nossa natureza dupla (matéria e espírito), como nossa inteligência pode conhecer o que é diferente dela? Isto é, como seres corporais podem conhecer o incorporal (Deus) e como seres dotados de alma incorpórea podem conhecer o corpóreo (mundo)? 3. Os filósofos antigos consideravam que éramos entes participantes de todas as formas de realidade: por nosso corpo, participamos da Natureza; por nossa alma, participamos da Inteligência divina.
3ª)Os filósofos antigos consideravam que éramos entes participantes de todas as formas de realidade: por nosso corpo, participamos da Natureza; por nossa alma, participamos da Inteligência divina. O cristianismo, ao introduzir a noção de pecado original, introduziu a separação radical entre os humanos (pervertidos e finitos) e a divindade (perfeita e infinita).
4ª).Bacon elaborou uma teoria conhecida como crítica do ídolo e descartes criou um metodo de análise conhecido como duvida metódica.Existem 4 tipos de ídolos:1-idolos da caverna;opnioes que se formam em nós por erros e defeitos de nossos órgaos de sentidos.2Foŕum:sao as opnioes q se formam em nós por consequencia da linguagem.3-Sao as opnioes formadas em nós em decorrencia das autoridades.4-Tribo:Sao as opnioes q se formam em nós em decorrencia de nossa natureza humana;esses ídolo sao proprios da espécie humana.
5ª)O Método indutivo parte do particular para o universal já o dedutivo parte do universal para o particular.EX:todo homem é mortal .kariny é humana;portanto kariny é mortal.
6ª)Nós seres humanos nascemos sem conhecimento;com o tempo é q vamos adquirindo.EX:Quando nascemos nao sabemos falar;aprendemos com o tempo.
7ª)PARA Descartes a fonte do conhecimento é a RAZAO.EX:o ser humano nasce com ideias inatas q ira desenvolve-las no decorrer do tempo.
8ª) É metodo de analise;Descartes com esse metodo vai combater o erro.ele usava a duvida para filosofia.
9ª)Racionalismo:A fonte do conhecimento é a razão.
Empirismo:É uma experiencia sensível.
10ª)

Lucas Rodrigues Nº:32 2º D Eliezer disse...

1ª) 1. Como, sendo seres decaídos e pervertidos, podemos conhecer a verdade? 2. Sendo nossa natureza dupla (matéria e espírito), como nossa inteligência pode conhecer o que é diferente dela? Isto é, como seres corporais podem conhecer o incorporal (Deus) e como seres dotados de alma incorpórea podem conhecer o corpóreo (mundo)? 3. Os filósofos antigos consideravam que éramos entes participantes de todas as formas de realidade: por nosso corpo, participamos da Natureza; por nossa alma, participamos da Inteligência divina.
2ª)Como, sendo seres decaídos e pervertidos, podemos conhecer a verdade?. Sendo nossa natureza dupla (matéria e espírito), como nossa inteligência pode conhecer o que é diferente dela? Isto é, como seres corporais podem conhecer o incorporal (Deus) e como seres dotados de alma incorpórea podem conhecer o corpóreo (mundo)? 3. Os filósofos antigos consideravam que éramos entes participantes de todas as formas de realidade: por nosso corpo, participamos da Natureza; por nossa alma, participamos da Inteligência divina.
3ª)Os filósofos antigos consideravam que éramos entes participantes de todas as formas de realidade: por nosso corpo, participamos da Natureza; por nossa alma, participamos da Inteligência divina. O cristianismo, ao introduzir a noção de pecado original, introduziu a separação radical entre os humanos (pervertidos e finitos) e a divindade (perfeita e infinita).
4ª).Bacon elaborou uma teoria conhecida como crítica do ídolo e descartes criou um metodo de análise conhecido como duvida metódica.Existem 4 tipos de ídolos:1-idolos da caverna;opnioes que se formam em nós por erros e defeitos de nossos órgaos de sentidos.2Foŕum:sao as opnioes q se formam em nós por consequencia da linguagem.3-Sao as opnioes formadas em nós em decorrencia das autoridades.4-Tribo:Sao as opnioes q se formam em nós em decorrencia de nossa natureza humana;esses ídolo sao proprios da espécie humana.
5ª)O Método indutivo parte do particular para o universal já o dedutivo parte do universal para o particular.EX:todo homem é mortal .kariny é humana;portanto kariny é mortal.
6ª)Nós seres humanos nascemos sem conhecimento;com o tempo é q vamos adquirindo.EX:Quando nascemos nao sabemos falar;aprendemos com o tempo.
7ª)PARA Descartes a fonte do conhecimento é a RAZAO.EX:o ser humano nasce com ideias inatas q ira desenvolve-las no decorrer do tempo.
8ª) É metodo de analise;Descartes com esse metodo vai combater o erro.ele usava a duvida para filosofia.
9ª)Racionalismo:A fonte do conhecimento é a razão.
Empirismo:É uma experiencia sensível.
10ª)

Antonia Vanessa disse...

1. O cristianismo fez distinção entre fé e razão, verdades reveladas e verdades racionais, matéria e espírito, corpo e alma; afirmou que o erro e a ilusão são parte da natureza humana em decorrência do caráter pervertido de nossa vontade, após o pecado original. Em conseqüência, a Filosofia precisou enfrentar três problemas novos. Quais os três problemas que a filosofia moderna precisou enfrentar com relação ao problema do conhecimento?

2. Quando o conhecimento se torna um problema propriamente dito para a Filosofia? Quem é o filósofo que inicia essa investigação das condições de possibilidade do conhecimento?
3. Para que haja conhecimento é preciso uma relação entre dois elementos, quais são eles? Explique como se dá essa relação.
4. Os filósofos modernos, na investigação do conhecimento, querem evitar o erro. São eles Bacon e Descartes. Como eles fazem para evitar o erro e ter certeza de conhecer a verdade?
5. Explique a diferença entre o método indutivo e o dedutivo. Dê exemplos.

6. De acordo com Locke, qual seria a origem do conhecimento? Dê exemplos.
7. De acordo com Descartes, qual a origem do conhecimento? Dê exemplos.

8. Explique método da "dúvida metódica" de Descartes para desenvolver a sua filosofia do conhecimento verdadeiro.

9. Qual a diferença entre o racionalismo e o empirismo?

10. De acordo com o que você aprendeu sobre o racionalismo e o empirismo, como você se posiciona a respeito da origem do conhecimento verdadeiro? Seria a razão, a fonte do conhecimento ou, ao contrário, seria a experiência decorrente dos nossos sentidos, que originam nosso conhecimento?

08 de abril de 2011 04:3

Samila Araujo disse...

1. O cristianismo fez distinção entre fé e razão, verdades reveladas e verdades racionais, matéria e espírito, corpo e alma; afirmou que o erro e a ilusão são parte da natureza humana em decorrência do caráter pervertido de nossa vontade, após o pecado original. Em conseqüência, a Filosofia precisou enfrentar três problemas novos. Quais os três problemas que a filosofia moderna precisou enfrentar com relação ao problema do conhecimento?

2. Quando o conhecimento se torna um problema propriamente dito para a Filosofia? Quem é o filósofo que inicia essa investigação das condições de possibilidade do conhecimento?
3. Para que haja conhecimento é preciso uma relação entre dois elementos, quais são eles? Explique como se dá essa relação.
4. Os filósofos modernos, na investigação do conhecimento, querem evitar o erro. São eles Bacon e Descartes. Como eles fazem para evitar o erro e ter certeza de conhecer a verdade?
5. Explique a diferença entre o método indutivo e o dedutivo. Dê exemplos.

6. De acordo com Locke, qual seria a origem do conhecimento? Dê exemplos.
7. De acordo com Descartes, qual a origem do conhecimento? Dê exemplos.

8. Explique método da "dúvida metódica" de Descartes para desenvolver a sua filosofia do conhecimento verdadeiro.

9. Qual a diferença entre o racionalismo e o empirismo?

10. De acordo com o que você aprendeu sobre o racionalismo e o empirismo, como você se posiciona a respeito da origem do conhecimento verdadeiro? Seria a razão, a fonte do conhecimento ou, ao contrário, seria a experiência decorrente dos nossos sentidos, que originam nosso conhecimento?

07 de abril de 2011 09:37

blena Kézia disse...

1. O cristianismo fez distinção entre fé e razão, verdades reveladas e verdades racionais, matéria e espírito, corpo e alma; afirmou que o erro e a ilusão são parte da natureza humana em decorrência do caráter pervertido de nossa vontade, após o pecado original. Em conseqüência, a Filosofia precisou enfrentar três problemas novos.

2.A palavra ser em português, traduz a palavra latina esse e a expressão grega ta onta. A palavra latina esse é o infinitivo de um verbo, o verbo ser. A expressão grega ta onta quer dizer: as coisas existentes, os entes, os seres. No singular, ta onta se diz to on, que é traduzida por: o ser. Os primeiros filósofos ocupavam-se com a origem e a ordem do mundo, o kosmos, e a filosofia nascente era uma cosmologia. Pouco a pouco, passou-se a indagar o que era o próprio kosmos, qual era o fundo eterno e imutável que permanecia sob a multiplicidade e transformação das coisas.

3.para que aja um conhecimento tanto para se aprofundar como para se questionar no mundo em que vivemos.

4..Bacon elaborou uma teoria conhecida como crítica do ídolo e descartes criou um metodo de análise conhecido como duvida metódica.Existem 4 tipos de ídolos:1-idolos da caverna;opnioes que se formam em nós por erros e defeitos de nossos órgaos de sentidos.2Foŕum:sao as opnioes q se formam em nós por consequencia da linguagem.3-Sao as opnioes formadas em nós em decorrencia das autoridades.4-Tribo:Sao as opnioes q se formam em nós em decorrencia de nossa natureza humana;esses ídolo sao proprios da espécie humana.

5.O Método indutivo parte do particular para o universal já o dedutivo parte do universal para o particular.EX:todo homem é mortal .kariny é humana;portanto kariny é mortal.

6..Nós seres humanos nascemos sem conhecimento;com o tempo é q vamos adquirindo.EX:Quando nascemos nao sabemos falar;aprendemos com o tempo.

7.PARA Descartes a fonte do conhecimento é a RAZAO.EX:o ser humano nasce com ideias inatas q ira desenvolve-las no decorrer do tempo.

8.Dúvida metodica é metodo de analise;Descartes com esse metodo vai combater o erro.ele usava a duvida para filosofia.

9.No Racionalismo a fonte do conhecimento é a razao;e o empirismo é uma experiencia sensível.

10.Meu posicionamento é racionalismo pois nada melhor que a razao para conhecer as diversas coisas existentes no mundo.Nós conhecemos as coisas pela a RAZAO.

08 de abril de 2011 04:38

lanny_irlania disse...

Irlania Gonçalves dos Santos 2A nº 23. manhã

1º questão: 1. Como, sendo seres decaídos e pervertidos, podemos conhecer a verdade?
2. Sendo nossa natureza dupla (matéria e espírito), como nossa inteligência pode conhecer o que é diferente dela? Isto é, como seres corporais podem conhecer o incorporal (Deus) e como seres dotados de alma incorpórea podem conhecer o corpóreo (mundo)?
3. Os filósofos antigos consideravam que éramos entes participantes de todas as formas de realidade: por nosso corpo, participamos da Natureza; por nossa alma, participamos da Inteligência divina. O cristianismo, ao introduzir a noção de pecado original, introduziu a separação radical entre os humanos (pervertidos e finitos) e a divindade (perfeita e infinita). Com isso, fez surgir a pergunta: como o finito (humano) pode conhecer a verdade (infinita e divina)?

4º questão: Bacon faz a critica aos ídolos. Descartes elaborou um método de análise conhecido como dúvida metódica.

lanny_irlania disse...

Irlania Gonçalves dos Santos. 2A manhã. nº 23

5º questão:O Método indutivo parte do particular para o universal já o dedutivo parte do universal para o particular.EX:todo homem é mortal .

6º questão: Nós seres humanos nascemos sem conhecimento,com o tempo é que vamos adquirindo. EX:Quando nascemos nao sabemos falar,aprendemos com o tempo.

7º questão: Para Descartes a fonte do conhecimento é a RAZAO.EX:o ser humano nasce com ideias inatas q ira desenvolve-las no decorrer do tempo.

8º questão: Dúvida metodica é metodo de analise,Descartes com esse metodo vai combater o erro.ele usava a duvida para filosofia.

9º questão: No Racionalismo a fonte do conhecimento é a razão, e o empirismo é uma experiencia sensível.

10 questão: Na minha opinião nada melhor que a razão. Nós conhecemos as coisas pela a razão. ou seja, Racionalismo.

ana carolina sales 2E eliezer disse...

3)O conhecimento pressopõe de dois elementos:o sujeito cognocente(que conhece objeto) e o objeeto cognocível(que é conhecido).O sujeito faaz uma ´´imagem´´ do objeto
E nessa imagem,ele define que objeto é esse.
4), a dúvida metódica, pela qual o sujeito do conhecimento, analisando cada um de seus conhecimentos, conhece e avalia as fontes e as causas de cada um, a forma e o conteúdo de cada um, a falsidade e a verdade de cada um e encontra meios para livrar-se de tudo quanto seja duvidoso perante o pensamento
5)indutivo:(Bacon) é o método que parte da experiencia particular,para o universal
Ex.:Isaac Newton viu uma maçã cair,e daí ele disse que tudo que tem peso tem a tendencia à cair,que é a gravidadeda terra.
dedutivo:(Descartes) é o método que parte do universal,para o particular.
Ex.:todo homem é mortal (universal)
sócrates é homem (particular)
logo,sócrates é mortal. (dedução)
6)Locke é o iniciador da teoria do conhecimento propriamente dita porque se propõe a analisar cada uma das formas de conhecimento que possuímos, a origem de nossas idéias e nossos discursos, a finalidade das teorias e as capacidades do sujeito cognoscente relacionadas com os objetos que ele pode conhecer.

QUÍMICA..........ADOLLÚH MUITO! disse...

1.1. Como, sendo seres decaídos e pervertidos, podemos conhecer a verdade? 2. Sendo nossa natureza dupla (matéria e espírito), como nossa inteligência pode conhecer o que é diferente dela? Isto é, como seres corporais podem conhecer o incorporal (Deus) e como seres dotados de alma incorpórea podem conhecer o corpóreo (mundo)? 3. Os filósofos antigos consideravam que éramos entes participantes de todas as formas de realidade: por nosso corpo, participamos da Natureza; por nossa alma, participamos da Inteligência divina.

QUÍMICA..........ADOLLÚH MUITO! disse...

1)1. Como, sendo seres decaídos e pervertidos, podemos conhecer a verdade?
2. Sendo nossa natureza dupla (matéria e espírito), como nossa inteligência pode conhecer o que é diferente dela? Isto é, como seres corporais podem conhecer o incorporal (Deus) e como seres dotados de alma incorpórea podem conhecer o corpóreo (mundo)?
3. Os filósofos antigos consideravam que éramos entes participantes de todas as formas de realidade: por nosso corpo, participamos da Natureza; por nossa alma, participamos da Inteligência divina. O cristianismo, ao introduzir a noção de pecado original, introduziu a separação radical entre os humanos (pervertidos e finitos) e a divindade (perfeita e infinita)

QUÍMICA..........ADOLLÚH MUITO! disse...

2)Locke é o iniciador da teoria do conhecimento propriamente dita porque se propõe a analisar cada uma das formas de conhecimento que possuímos, a origem de nossas idéias e nossos discursos, a finalidade das teorias e as capacidades do sujeito cognoscente relacionadas com os objetos que ele pode conhecer.

QUÍMICA..........ADOLLÚH MUITO! disse...

3)A consciência é um conhecimento (das coisas e de si) e um conhecimento desse conhecimento (reflexão).
Do ponto de vista psicológico, a consciência é o sentimento de nossa própria identidade: é o eu, um fluxo temporal de estados corporais e mentais, que retém o passado na memória, percebe o presente pela atenção e espera o futuro pela imaginação e pelo pensamento. O eu é o centro ou a unidade de todos esses estados psíquicos.

Ana Beatriz 2* D Tarde Eliézer disse...

1: a. Como, sendo seres decaídos e pervertidos, podemos conhecer a verdade?
b. Sendo nossa natureza dupla (matéria e espírito), como nossa inteligência pode conhecer o que é diferente dela? Isto é, como seres corporais podem conhecer o incorporal (Deus) e como seres dotados de alma incorpórea podem conhecer o corpóreo (mundo)?
c. Os filósofos antigos consideravam que éramos entes participantes de todas as formas de realidade: por nosso corpo, participamos da Natureza; por nossa alma, participamos da Inteligência divina. O cristianismo, ao introduzir a noção de pecado original, introduziu a separação radical entre os humanos (pervertidos e finitos) e a divindade (perfeita e infinita).

Ana Beatriz 2* D Tarde Eliézer disse...

2 : Locke é o iniciador da teoria do conhecimento propriamente dita porque se propõe a analisar cada uma das formas de conhecimento que possuímos, a origem de nossas idéias e nossos discursos, a finalidade das teorias e as capacidades do sujeito cognoscente relacionadas com os objetos que ele pode conhecer.

Ana Beatriz 2* D Tarde Eliézer disse...

3 : A consciência é um conhecimento (das coisas e de si) e um conhecimento desse conhecimento (reflexão).
Do ponto de vista psicológico, a consciência é o sentimento de nossa própria identidade: é o eu, um fluxo temporal de estados corporais e mentais, que retém o passado na memória, percebe o presente pela atenção e espera o futuro pela imaginação e pelo pensamento. O eu é o centro ou a unidade de todos esses estados psíquicos.

Ana Beatriz 2* D Tarde Eliézer disse...

4 : Bacon faz a critica aos idolos e
Descartes elaborou um método de análise conhecido como dúvida metódica .
5 : Indutivo : parte dos fatos específicos para chegar em conclusões gerais. Dedutivo : parte das conclusões gerais para explicar o particular .
6 : A Teoria da Tábula Rasa diz que nascemos sem conhecimento . Porém , com o tempo nossas percepções são sensações que podem gerar reflexões . As ideias simples que adquirimos surgem dos sentidos e da reflexão, enquanto as ideias complexas resultam da atividade da mente , por associação das ideias simples e se fundam na memória .

Ana Beatriz 2* D Tarde Eliézer disse...

7 : .Para Descartes a fonte do conhecimento é a razão.Ex :o ser humano nasce com ideias inatas q irá desenvolvê-las no decorrer do tempo.
8 : É um instrumento metológico com que o filósofo procurou chegar à prova da existência de verdades absolutas , logicamente necessárias e de reconhecimento universal , tal como exige a defesa do dogmatismo por ele preconizada e defendida , na questão da possibilidade do conhecimento .

Ana Beatriz 2* D Tarde Eliézer disse...

9 : Empirismo : a experiência é a fonte de todo e qualquer conhecimento . Raconalismo : a razão é o fundamento do conhecimento .
10 :Para mim é a experiência decorrente dos nossos sentidos, que originam nosso conhecimento .

JOELMA 2d n23 disse...

1 1. Como, sendo seres decaídos e pervertidos, podemos conhecer a verdade?
2. Sendo nossa natureza dupla (matéria e espírito), como nossa inteligência pode conhecer o que é diferente dela? Isto é, como seres corporais podem conhecer o incorporal (Deus) e como seres dotados de alma incorpórea podem conhecer o corpóreo (mundo)?
3. Os filósofos antigos consideravam que éramos entes participantes de todas as formas de realidade: por nosso corpo, participamos da Natureza; por nossa alma, participamos da Inteligência divina. O cristianismo, ao introduzir a noção de pecado original, introduziu a separação radical entre os humanos (pervertidos e finitos) e a divindade (perfeita e infinita)

JOELMA 2d n23 disse...

2. Quando o conhecimento se torna um problema propriamente dito para a Filosofia? Quem é o filósofo que inicia essa investigação das condições de possibilidade do conhecimento?
3. Para que haja conhecimento é preciso uma relação entre dois elementos, quais são eles? Explique como se dá essa relação.
4. Os filósofos modernos, na investigação do conhecimento, querem evitar o erro. São eles Bacon e Descartes. Como eles fazem para evitar o erro e ter certeza de conhecer a verdade?
5. Explique a diferença entre o método indutivo e o dedutivo. Dê exemplos.

6. De acordo com Locke, qual seria a origem do conhecimento? Dê exemplos.
7. De acordo com Descartes, qual a origem do conhecimento? Dê exemplos.

8. Explique método da "dúvida metódica" de Descartes para desenvolver a sua filosofia do conhecimento verdadeiro.

9. Qual a diferença entre o racionalismo e o empirismo?

10. De acordo com o que você aprendeu sobre o racionalismo e o empirismo, como você se posiciona a respeito da origem do conhecimento verdadeiro? Seria a razão, a fonte do conhecimento ou, ao contrário, seria a experiência decorrente dos nossos sentidos, que originam nosso conhecimento

Tatiane 2D n48 disse...

1) 1. Como, sendo seres decaídos e pervertidos, podemos conhecer a verdade?
2. Sendo nossa natureza dupla (matéria e espírito), como nossa inteligência pode conhecer o que é diferente dela? Isto é, como seres corporais podem conhecer o incorporal (Deus) e como seres dotados de alma incorpórea podem conhecer o corpóreo (mundo)?
3. Os filósofos antigos consideravam que éramos entes participantes de todas as formas de realidade: por nosso corpo, participamos da Natureza; por nossa alma, participamos da Inteligência divina. O cristianismo, ao introduzir a noção de pecado original, introduziu a separação radical entre os humanos (pervertidos e finitos) e a divindade (perfeita e infinita).

2) Locke é o iniciador da teoria do conhecimento propriamente dita porque se propõe a analisar cada uma das formas de conhecimento que possuímos, a origem de nossas idéias e nossos discursos, a finalidade das teorias e as capacidades do sujeito cognoscente relacionadas com os objetos que ele pode conhecer.

3) A consciência é um conhecimento (das coisas e de si) e um conhecimento desse conhecimento (reflexão).
Do ponto de vista psicológico, a consciência é o sentimento de nossa própria identidade: é o eu, um fluxo temporal de estados corporais e mentais, que retém o passado na memória, percebe o presente pela atenção e espera o futuro pela imaginação e pelo pensamento. O eu é o centro ou a unidade de todos esses estados psíquicos.

Tatiane 2D n48 disse...

4. Os filósofos modernos, na investigação do conhecimento, querem evitar o erro. São eles Bacon e Descartes. Como eles fazem para evitar o erro e ter certeza de conhecer a verdade?
5. Explique a diferença entre o método indutivo e o dedutivo. Dê exemplos.

6. De acordo com Locke, qual seria a origem do conhecimento? Dê exemplos.
7. De acordo com Descartes, qual a origem do conhecimento? Dê exemplos.

8. Explique método da "dúvida metódica" de Descartes para desenvolver a sua filosofia do conhecimento verdadeiro.

9. Qual a diferença entre o racionalismo e o empirismo?

10. De acordo com o que você aprendeu sobre o racionalismo e o empirismo, como você se posiciona a respeito da origem do conhecimento verdadeiro? Seria a razão, a fonte do conhecimento ou, ao contrário, seria a experiência decorrente dos nossos sentidos, que originam nosso conhecimento?